sábado, 31 de outubro de 2020

ALGARVE: COMO A PANDEMIA DESTROI O SNS!

O Algarve tinha nas antigas instalações do sanatorio de Sª Braz de Alportel, um serviço de excelência que era o Centro de Reabilitação de poli-traumatizados. Pois bem, como a nossa classe politicA no geral entende a establidade politica como essencial, e as pessoas aceitam tal principio como valido, estão criadas as condições para o encerramento daquela unidade. Com establidade não há contestação nas ruas! Está feita a vontade daqueles que tudo têm feito para destruir o País. Não se pense que se trata de um caso isolado, integrando-se ele no processo de desinvestimento no Serviço Nacional de Saúde, que no caso não é um mero desivestimento mas muito mais do que isso, é mesmo a destruição de um serviço de referência no sul do País, que os privados não estão em condições de o substituir, assegurando as mesmas condições. O Centro de Reabilitação da Sº Braz não é apenas daquela localidade mas de toda a região e cabe a todos os algarvios lutarem pela sua manutenção, apesar dos politicos de todos os quadrantes estarem silenciados sobre mais este crime anti-popular. A pandemia não pode justificar a destruição de um serviço destes para no seu lugar, instalar um serviço de retaguarda para o combate à mesma; para isso existem quarteis sem utilização ou de uma utilização inutil quando bem aproveitados podiam constituir unidades de apoio no combate ao COVID. Estranhamente ou talvez não, o presidente da AMAL e também presidente da câmara municipal de Olhão, calou-se sobre o tema Covid e mais ainda, ele que tem puxado dos colarinhos do cargo, nada diz sobre o aumento do numero de casos na região e em Olhão e menos ainda sobre o futuro do Centro de Reabilitação de Sº Braz. E os restantes partidos, os tais que se dizem da oposição? Porque se calam perante um crime destes? Ou será que a Reabilitação é um parente pobre na arte de recuperar as pessoas para a vida? Bem podem os canalhas que nos governam, vir com boas palavras e palmadinhas nas costas anunciar a necessidade de desmantelar um serviço de referência para o pôr ao serviço do combate à Covid, mas um dia as pessoas vão acordar e ver que afinal, à pala da pandemia, todos eles se juntam quando se trata de afundar o nosso Serviço Nacioal de Saúde, para entregar os cuidados a serviços privados que só funcionam graças aos dinheiros publicos. Que merda de governo, este!

sexta-feira, 30 de outubro de 2020

OLHÃO: TRESANDA A CORRUPÇÃO?

Há dias atrás dávamos a conhecer a Area de Reabilitação Urbana do Levante, mas ainda estávamos longe de saber o que já estava planeado em termos de negociatas. Se em tempos, o Pina andou com o ex-presidente da câmara municipal de Faro a ver as antigas instalações das fabricas do Xavier e do Lazaro, prevendo-se alguns negócios pouco claros, já que o cão de fila do Pina andava a pressionar as pessoas que tinham estabelecimentos ou viviam em torno daquelas instalações. Mas agora tivemos conhecimento que o Pina foi bastante mais longe. Apenas falta, a quase impossível tarefa de saber os números que envolvem os negocios. Quem diria que a antiga ministra da (pouca) cultura, Isabel Canavilhas, é a nova proprietária da Fabrica Xavier, senão no todo pelo menos em parte. Claro que no meio disto e em relação à Bela Olhão, surge como potencial, senão o unico candidato à compra, um dos maiorais do Grupo Impresa. Ou seja, no caso da Bela Olhão, altera-se o uso dos solos para dar de bandeja ao comprador a possibilidade de um enriquecimento que seria impossível se não fosse tal alteração. E nisto não há corrupção! Mas não haverá um enriquecimento ilegítimo? Obviamente que a justiça deste País está-se borrifando para os possíveis crimes praticados por titulares de cargos políticos ou de altos cargos públicos, branqueando até algumas situações, omitindo outras, enfim, demitindo-se de fazer justiça, que essa é só para os pés descalços. E se já foi alterado o uso do solo no caso da Bela Olhão, ele ainda não o foi no caso da Fabrica do Xavier, tentando-se com a ARU do Levante, transmitir a ideia de que tudo aquilo pode ser urbanizável sem cumprir as regras do Plano Director Municipal. No fundo, esta ARU, pretende ser uma espécie de Plano de Pormenor encapotado. Os nossos leitores devem perceber que se num determinado terreno, por força das disposições legais, não se puder construir, os oportunistas aliados de um qualquer autarca, podem compra-lo por baixo preço que o amigo de seguida vai alterar o uso do solo, dando-lhe vantagens patrimoniais muito grandes, assegurando desde logo mais valias na ordem das centenas de vezes do custo. Isso neste País não é corrupção! Foi assim com o Plano de Pormenor da Quinta João de Ourem, é assim com a Bela Olhão, como será assim em muitas outras situações. Mas pergunta-se se quem tem o Poder de tomar tais decisões, o faz apenas pela amizade, e pelos lindos olhos dos traficantes de influências? Ou será que há mais alguma coisa? Mas mais, o que têm a dizer os aprendizes de mafiosos que se acoitam no partido dito socialista na esperança de um dia lhes cair o Poder nas mãos para fazerem mais do mesmo? Obviamente que concordam, senão todos, parte deles! Dentro do PS Olhão todos sabem do que se passa mas todos ficam calados e até batem palmas. Que raio de merda é esta? E os olhanenses o que têm a dizer? Será que vão enterrar a cabeça na areia e fingir que nada sabem? Não acham que já está na hora de correr com esta cambada? REVOLTEM-SE PORRA!

quinta-feira, 29 de outubro de 2020

OLHÃO: MERCADOS EM TEMPO DE PANDEMIA

Segundo foi noticiado, a empresa municipal Mercados de OLhão estebeleceu uma parceria com a AGIGARVE, como se pode ler em https://regiao-sul.pt/2020/10/27/sociedade/mercados-de-olhao-e-associacao-de-guias-interpretes-do-algarve-assinam-parceria/515413. Até aqui tudo bem, não fora dar-se o caso de estarmos em plena pandemia, com os numeros a subirem todos os dias, e as restrições impostas no acesso aos Mercados, cinquenta pessoas no maximo, vem pôr em causa a execução da parceria. Primeiro que tudo, muita gente dentro dos Mercados não é sintoma de mais negócio, pelo contrário pode ter um efeito negativo. É que os turistas tiram muitas fotografias, selfies como agora se diz, mas não compram nada. Só atrapalahm quem lá vai fazer compras e os operadores já estão, em muitos casos. com a corda no pescoço. Mas ainda assim, quando o acesso está limitado a cinquenta pessoas de cada vez, os habituais clientes, que já estão fartos de tantas restrições, quando virem os Mercados invadidos por turistas, não vão ficar à espera de vez para entrarem, com prejuizo para os operadores. Compreendemos o interesse da AGIGARVE e até lhe reconhecemos o mérito da iniciativa mas consideramos não ser o momento, o timing dizem eles, próprio para a execução de uma parceria deste tipo. Que a Associação o queira fazer percebe-se, mas já não se pode dizer o mesmo da administração da Mercados de Olhão. Que pretende afinal a administração da Mercados? Matar as actividades que são a essência da sua existência? Ou, como se diz no texto, antes apostar nas caracteristicas dos edificios para exibir aos turistas? Desde que o presidente da autarquia foi eleito em 2013, que não faz outra coisa que não seja apostar no sector turistico, em detrimento de todas as outras actividades, particularmente as que são tradicionais no concelho, como a pesca e moluscicultura, quanso estas podiam servir de atracção turistica, complementando o património arquitectónico, embora muito dele apresente sinais de degradação por demissão da entidade fiscalizadora. Os Marcados de Olhão valem pelos edificios mas também por toda a actividade económica que à sua volta se gera, ainda que na actualidade e devido á pandemia, os tempos não sejam os melhores. Se não forem criadas condições para que os operadores possam exercer a sua actividade, agravando-as como será caso os Mercados sejam invadidos por turistas-fotografos, dentro de pouco tempo não veremos uma tolda com peixe. É isso que se pretende? Acabar com os Mercados para vira-los para o turismo? Para onde vai a nossa cidade e as suas caracteristicas? Quais eucaliptos que secam tudo. Já o Zeca dizia que "Eles comem tudo e não deixam nada!" Até quando?

quarta-feira, 28 de outubro de 2020

OLHÃO: O INCULTO PINA

A imagem acima foi surripiada da página, numa rede social, do meu amigo Marco Vigo. Nem me vou pronunciar sobre o português do outro meu grande amigo e ministeriavel Pina, presidente da câmara municipal de Olhão e da AMAL mas apenas comentar a sua postura politica. Não me compete a mim defender o BE nem nenhum outro partido, quando muito posso e devo criticar o posicionamento deles perante a situação politica. E começo por dizer que o BE nunca devia ter aceitado fazer parte da geringonça em 2015, porque quem ganhou as eleições naquele ano, foi o PSD que teria de formar um governo minoritário, condenado a governar escassos seis meses. Era capaz de se desintegrar ou ter de se reformular. O BE e todos os outros que se dizem de oposição, são na realidade partidos de contestação, cuja base social de apoio é incompatviel com um governo patrão e dos patrões. Logo a sua base social de apoio não podia ver traduzido em mais valia a subserviência a um governo apostado em manter a austeridade que vinha de trás. Ainda que tivessem reposto algumas conquistas retiradas, também se sabe que foi à custa do aumento da carga fiscal, criação de novos impostos que vieram para ficar e à redução da TSU para os patrões quando ela estava indexada ao salario, do qual faz parte ainda que apresentado de forma disfarçada. A redução da TSU para os patrões vai pôr em causa o já de si debilitado sistema de reformas. Para o governo, deixou de existir o factor de sustentabilidade com o qual pretendia defender o aumento da idade das reformas, e a redução do valor delas. Mais, foi aos fundos da segurança social, retirar dinheiro que é dos dos trabalhadores e não do Estado, já que foram eles que pagaram a contribuição, para o dar aos patrões em tempo de pandemia. Para os trabalhadores, ZERO! É este um governo de esquerda? Foram estas as politicas que BE e PC defenderam quando se dirigiram ao seu eleitorado? Ou com elas traíram quem neles votou? Os partidos representam extractos sociais, classes e os interesses dessas classes e não podem fazer uma politica de alianças sem que os interesses das classes neles representadas, sejam salvaguardados. Ao aceitar integrar a geringonça asseguraram esses interesses? Não e por isso foram e continuarão a ser penalizados se não arrepiarem caminho. Percebe-se que o Pina queira que todos os partidos se juntem em torno do projecto do seu partido dito socialista, como se de uma União Nacional se tratasse. Outra coisa não era de esperar de quem já mostrou toda a sua veia de ditador. Em nome da estabilidade politica cometem-se toda a especie de crimes contra os trabalhadores, bastando olhar quem são os mais atingidos e menos protegidos desta pandemia, trabalhadores e idosos. Dinheiro para os empresarios e desemprego para os trabalhadores! É esta a estabilidade que o Pina defende? Lembramos ao Pina que o que não lhe falta, a ele, é a estabilidade de uma maioria absoluta, contando ainda com a muleta do PSD. E o que tem ele feito em prol da população do concelho de Olhão? Certamente que assegurou o enriquecimento de patos bravos e outros empresários, mas empobreceu ainda mais quem já vivia mal, promovendo a valorização das rendas das habitaciões para niveis que os reformados não conseguem pagar. E se metesse a estabilidade politica no olho do cu?

terça-feira, 27 de outubro de 2020

OLHÃO: PLANOS DO PINA

Já há muito tempo que chamamos a atenção para a falta de divulgação das chamadas discussões publicas promovidas pela câmara Municipal de Olhão. A questão é saber qual o grau de participação dos munícipes em discussões que ninguém se apercebe da sua realização, apesar dos temas poderem e deverem ser importantes para a população em geral. E talvez por isso, o Pina esconda o jogo. Alguém que não esteja ligado à câmara soube da discussão publica a propósito da ARU do Levante? É que ela acabou em Setembro e apanhou toda a gente desprevenida e no entanto tinha bastante interesse como vamos ver de seguida.

Na imagem acima, reproduzimos a pagina 21 do Plano Estratégico de Reabilitação Urbana e que no fundo vem mostrar a razão pela qual o cão de fila do Pina andou a chatear os proprietários e inquilinos na Avenida 16 de Junho e bairro do Xavier. São quatro as classificações atribuídas ao estado do edificado, e que vão desde o Bom, Médio; Mau a Péssimo, sabe-se lá com que outro critério que não fosse o de promover a alteração de toda a zona, pressionando as pessoas a abandonarem os seus lugares para que os patos bravos façam as suas compras de terrenos ao preço da uva mijona e enriquecer demasiado rápido. De notar que a delimitação da ARU do levante junta-se à delimitação da área do Plano de Pormenor Este de Olhão, o que revela da aposta na limpeza quase total da zona, com especial incidência para as antigas instalações da fabrica e do que resta do quarteirão do Xavier, o qual está classificado como mau ou péssimo, a que se junta um antigo armazém da Conserveira do Sul e os da OCM, que pela dimensão das áreas se torna bastante apetecível para os patos bravos. Desde logo devemos lembrar que em tempos denunciámos aqui o facto do presidente da câmara acompanhado do antigo presidente da câmara municipal de Faro, um tal de Luís Coelho, andarem a ver as antigas instalações da fabrica do Xavier mas também do Fabrica do Lazaro; quase ao mesmo tempo, o cão de fila pressionava os comerciante e habitantes dessas áreas a abandonar os seus espaços, dando-lhes um prazo de cinco anos para se mudarem! Temos de admitir que alguns edifícios não apresentam as melhores condições mas também não estarão assim tão degradados como isso, mas mesmo que assim fosse, questionamos também se a autarquia não tem responsabilidades nessa matéria, já que a Lei proíbe a degradação e por isso dá poderes às autarquias para se substituírem aos proprietários e fazerem as obras necessárias para evitar a degradação do edificado. Aliás ainda recentemente a câmara tomou a posse administrativa do antigo Ria Sol, substuindo-se ao proprietário. Não é pois por falta de habilitação mas sim de falta de vontade politica de resolver certos problemas. No entanto é curioso ver que o que está mais degradado é o espaço publico e as infraestruturas, com as ruas todas esburacadas, ligações de esgotos ás redes de aguas pluviais, rede eléctrica e de comunicações a dançar no ar. Embora a degradação do espaço publico seja maior que o do edificado, a ARU do Levante está mais preocupada com este, o que não acontece por acaso. Sem querer, o documento põe a nu as reais intenções quanto ao potencial de negócios que ali se cozinham. É que se apela ao investimento privado, não para recuperar o edificado mas para a construção de habitações. Só que também se apela aos mediadores imobiliários para uma aposta forte no turismo. Tudo resumido, estão a criar as condições para a expulsão de uma boa parte da população olhanense para os substituir pelo elemento estranho. Olhão é cada vez mais, menos dos olhanenses. Tudo tem o seu tempo e no próximo ano há eleições. Será que vão continuar a manter uma ditadura tão longa quanto a do Estado Novo?

domingo, 25 de outubro de 2020

OLHÃO: QUE PLANO É ESTE?

Dado o tamanho do documento, fomos obrigados a recorrer a esta forma de publicar a planta de demolições previstas no Plano de Pormenor Este de Olhão. O unico edificio a demolir é o da Bela Olhão, sendo tudo o mais para manter, excepto alguns arranjos em termos de infraestruturas e paisagisticos, ou seja, um Plano concenido unica e exclusivamente, não para alterar todo o uso do solo mas apenas para permitir o uso habitacional, turistrico e comercial daquele espaço. Claro que para isto, o Pina contou com a cumplicidade de Luis Gomes, ex-presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Sº Antonio, a quem pagou 63.600,00 euros mais IVA pelo lindo trabalho que fez. No entanto o Plano peca por algumas falhas a serem exploradas, sendo que uma delas será a da alteração do Loteamento da Zona Industrial, a desenvolver posteriormente, e não só! Para aquele espaço estão previstas a construção de 285 fogos de uso habitacional mais 310 Unidades de Alojamento e espaço verdes e de utilização colectiva privada para não misturarem os feios porcos e maus dos olhanenses com as novas criaturas que para ali virão. E basta pensar que a construção de um alojamento turistico não quer misturas, como se pode ver com o edificio Delmar, junto à PSP, onde não fizeram janelas para as traseiras para não verem as casas de habitação social que ali estão. Sem discriminação! Aos poucos, a frente de mar em Olhão está ser tomada de assalto, com a cumplicidade do Poder Politico autarquico, e os olhanenses residentes a serem afastados das sua ligações com o mar e expulsos do seu habitat. Falta apenas correr com os armazens que se mantêm na Avenida 16 de Junho mas que já foram ameaçados disso, com o cxão de fila do Pina a falar directamente com as pessoas. E não se ficam apenas pela frente de mar porque algumas pessoas que moram no bairro do Xavier tambem foram "aconselhadas" a mudar de ares, como se elas tivessem posses para pagar uma renda numa nova habitação. Temos um presidente que não vê mais que o turismo, mas que condena os seus eleitores à maior das miserias, induzindo-as a mudarem-se para os guetos periféricos. Será que estes olhanenses vão continuar a votar nesta cambada?

sábado, 24 de outubro de 2020

OLHÃO: O NEGOCIO ESCURO DA BELA OLHÃO!

No proximo dia 29 vai realizar-se mais uma Assembleia Municipal em que um dos pontos da ordem de trabalhos é a da proposta da hasta (pouco) publica da venda das antigas instalações da Bela Olhão, sendo este o momento certo para divulgar algumas situações pouco claras que rodearam todo o processo. Assim recuamos no tempo para irmos ao fundo da questão.

Como se pode ver pelas imagens acima, foi celebrado um contrato promessa de compra e venda entre duas entidades, vendedora e compradora, das antigas instalações da Bela Olhão, com data de 26 de Setembro de 2017, em que estavam previstas algumas condições. Tendo em conta a natureza industrial das instalações, o promitente comprador questionou a Câmara Municipal de Olhão, na pessoa do Pina, o qual o desmotivou alegando ser necessario alterar o uso do solo para poder dar-lhe um uso habitacional, o que não estava previsto, tendo com isso abortado o negocio. Repare-se que o contrato promessa está datado de Setembro de 2017. Nas costas do promitente comprador, o Pina tratou de contactar o promitente vendedor com o objectivo de ser a autarquia a adquirir o imovel. E assim fez aprovar em sessão de câmara uma proposta nesse sentido e que viria ser aprovada em assembleia municipal, sendo que a aquisição seria feita em duas etapas; um fundo imobiliario compraria o imovel, alugava à autarquia por um periodo de dez anos, findos os quais a autarquia comprava, conforme declarações prestadas na dita assembleia, tendo apresentado para esse efeito a proposta que consta na imagem a seguir.
Como se pode ver na proposta, dizia o Pina: Considerando que a dispersão geografica dos serviços afectos ao Municipio provoca enormes entraves a uma organização que assenta num modelo de racionalização de meios e de recursos cija optimização requer uma localização adequada à prestação publica e à satisfação das necessidades operacionais imprescindiveis à boa gestão municipal. Atendedno a que o Municipio não dispõe no seu patrimonio imovel de um espaço fisico necessario para a agregação destes serviços e verificando que existe um imovel, sito na Avenida dos Operarios Conserveiros,... que corresponde às necessidades mencionadas. Observando que a forma mais adequada de possibilitar a utilização, por parte do Municipio,deste imovel será a celebração de um contrato de arrendamento para fins não habitacionais,.... As citações acima constam da proposta nº 8/2018 com data de Janeiro de 2018. Muito depressa mudou o Pina de opinião para inviabilizar um negocio e participar noutro. Bastaram pouco mais de três meses após ter abortado o negocio para passar a ser o principal interessado. Depois disso, acabou por fazer uma "vaquinha" com a Ambiolhão, por ele presidida, para a compra definitiva do espaço e começou desde logo a desenhar a alteração do uso do solo, mandando para tal elaborar um Plano de Pormenor Este de Olhão, cuja discussão publica está a decorrer e quase a terminar. Noutros casos, como em Gondomar, tambem uns terrenos foram alienados e alterados o uso do solo, para dar vantagem patrimonial a terceiros, e que acabou sob investigação por indicios de crimes conexos aos de corrupção. A alteração do uso do solo para valorização do mesmo, em beneficio de quem tem o Poder de o alterar esconde de alguma forma uma prática pouco clara e transparente do que deve ser a forma de funcionamento de uma autarquia, transformada por via destes esquemas numa enorme imobiliaria. Falta saber ainda as regras da hasta (pouco) publica embora se anuncie desde já, o Parente como o comprador da mesma forma como adivinhámos o comprador do Lote 3 do Loteamento do Porto de Recreio. E NINGUEM VAI PRESO!

sexta-feira, 23 de outubro de 2020

OLHÃO: MAIS UMA TRAPALHADA DO PINA!

Está quase a terminar a discussão publica sobre o Plano de Pormenor Este de Olhão, o tal que abrange as antigas instalações da Bela Olhão mas aquilo que aparece no seu lugar, como sendo do tal Plano é a Area de Reabilitação Urbana. De acordo com a imagem, para que não possam desmentir, a area barangida tem como limites a nascente o Porto de Pesca, a poente a Rua Manuel Eusébio Ramires e Rua das Lavadeiras, a sul a Ria Formosa e a norte a Rua Joaquim Casaca. Ora esta é a tal zona o cão de fila do Pina, um tal de Sergio Viana, andou a intimidar as pessoas para abandonarem a zona e deixar o espaço para futuras negociatas, como de costume. Dizendo de outra forma, esta Area de Reabilitação Urbana visa correr com o que resta da população olhanense de uma vasta zona, valorizando-a de tal forma que quem lá vive seja obrigado a ir viver para a periferia. O que se pretende ao apresentar a Discussão Publica do Plano de Pormenor Este e no seu lugar surgir a Area de Reabilitação Urbana? Não poderá ser outra coisa senão confundir as pessoas e evitar a sua participação, até porque a area abrangida pelo Plano de Pormenor Este é muito maior que a da Bela Olhão, cujos limites abrangem toda a rea da Associação 11 de Março a Poente, o caminho de ferro a norte, o intermarché a nascente e a sul o porto de pesca.
De qualquer das formas quem quiser aceder às peças do Plano de Pormenor vai ter muitas dificuldades quase sendo necessario ter formação em informatica para descobrir os documentos. Nunca foi, não é e nem nunca será uma câmara transparente, pautando a sua actuação pela opacidade das decisões, pelas dificuldades que cria no acesso a documentos que deviam estar bem visiveis e de acesso facil. Para a canalha que se diz socialista quanto mais escura for a sua administração melhor. O Povo de Olhão merece mais e melhor mas enquanto bater palmas a esta gentinha jamais logrará uma sociedade mais justa. Tanto o Plano de Pormenor como a Area de Reabilitação Urbana, tresandam a negocios pouco claros e transparentes, alterando o uso dos solos de tal forma que onde não se pode construir para fins habitacionais passem a ser urbanizaveis, valorizando-os substancialmente, em contraste com os rendimentos das pessoas que vivem nestas zonas. A localização de ambas zonas, junto da frente de mar, pode considerar-se como eles dizem "prime", demasiado apeteciveis para os patos bravos que apostam na construção de empreendimentos de luxo. Nunca votei, não voto nem nunca votarei em canalhas para quem a ganancia do dinheiro condena à miseria os mais desfavorecidos. E os outros, como vão reagir a mais esta golpada?

quinta-feira, 22 de outubro de 2020

Vergonhoso!

Que Que eu saiba os centros de saúde não estão sobre a alçada organizativa das câmaras, logo se os centros saúde precisam de apoio logístico devem solicitar as câmaras!
Em qualquer parte do País.!
Publicado na página do fb 

Saudades de olhao terra da minha paixao

 

 A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, árvore e ar livre

Foi desta forma que o pai Pina vem em defesa do filho perante a critica de um cidadão preocupado com a forma como são tratadas as pessoas que recorrem ao Centro de Saúde para dar a vacina contra a gripe, mostrando todo o desprezo que tem pelos munícipes, aqueles que lhes dão de ganhar os ricos salários que recebem. Sim senhor, a autarquia não tem qualquer responsabilidade já que se trata dentro do espaço do Centro de Saúde, como não tem à porta dos correios ou da caixa geral de depósitos quando as pessoas passam horas para levantar as reformas, mas já tem responsabilidade para apoiar as providencias cautelares nas ilhas sobre jurisdição da Câmara de Faro ou para mandar, bem, pôr os abrigos nas paragens das camionetas de uma empresa privada. Para o papá Pina o facto de as pessoas terem de esperar ao sol ou chuva é-lhe indiferente mas outra coisa não era de esperar, já que ele não precisa de ir ao dito Centro. Mas mesmo não tendo essa responsabilidade, a verdade é que o presidente da Câmara é o representante de todos os munícipes, arrogando-se até a poderes que vão muito alem daquilo que deviam ir no processo de representatividade, e como tal deveria questionar a ARS sobre a forma como são tratados os candidatos à vacina. Esse é um dever dele, por mais que o papá diga o contrario. Claro que virão a terreiro alguns dos defensores do meu amigo Pina mandando as pessoas para as farmácias, para alimentar o negocio destas quando as podem ter gratuitas no Centro. É o que faz o bem estar dos apoiantes do Pina e o mal estar da generalidade dos munícipes. É essa a grande diferença, barriga cheia e barriga vazia!

quarta-feira, 21 de outubro de 2020

OLHÃO: PRESTAR HOMENAGEM AOS MORTOS A CONTA-GOTAS!

A imagem acima reporta o Aviso da Câmara Municipal de Olhão sobre a visita de familiares e amigos aos entes queridos nos Cemitérios de Olhão. Em primeir lugar é proibida a manutenção e limpeza das sepulturas e jazigos, algo que bule com os habitos e tradições de pessoas no Dia de Todos os Santos. Não se percebe bem qual a razão da medida porque não seria pela manutenção e limpeza das sepulturas que alastraria a COVID 19, mas o presidente é que sabe! Pior ainda quando é obrigatório o uso de mascara e higienização das mãos, num espaço tão grande e ao ar livre. Coisas do Pina, como que a dizer, eu é que sei, eu é que mando! Tudo isto quando não são permitidos ajuntamentos de mais de cinco pessoas. Por outro lado, o horario apresenta um acesso muito limitado no tempo, com as entradas a horas previstas, melhor dizendo, às 09:00, às 10:00: 11:00: 12:00, às 13:00, às 14:00, às 15:00 e ás 16:00. Dado que só podem entrar 20 pessoas de cada vez no Cemiterio Velho, no máximo serão 160 pessoas no total; e no Cemiterio Novo em que podem entrar até 50 pessoas, o máximo serão de quatrocentas visitas; mas mais, a permanencia no cemiterio não pode exceder a meia hora. É a Câmara Municipal de Olhão a impedir a justa homenagem a quem foi antes de nós. E como ficam as pessoas que têm diversos familiares entre os defuntos? São as pessoas idosas que mais frequentam os cemiterios, muitas delas com dificuldades de locomoção e que assim terão dificuldades acrescidas para estarem juntos dos seus. Mas o Pina é que sabe, ele é que manda! Cabe-nos a nós perguntar se nos estabelecimentos privados que o Pina frequenta, também impõe as regras de higienização, de distanciamento e o uso obrigatorio das mascaras? Não foi o Pina que andou a promover festas e ajuntamentos durante o Verão? Não foi ele quem apelou à utilização de bares e restaurantes onde não eram cumpridas as regras? Não foi ele quem convidou as pessoas a frequentarem as praias onde nnenhuma regra era cumprida? Quem é afinal o irresponsavel? Serão os idosos que querem visitar os entes queridos ou quem promoveu todos os ajuntamentos a que assistimos? Ainda que fossem impostas algumas regras no acesso aos cemiterios, impor mediadas que vão alem daquilo que é imposto nas escolas aos alunos e nas ruas ou estabelecimentos da cidade, nas fabricas ou nas obras, é entrar no campo do absurdo. O COVID não pode justificar tudo. Pina restringe e só não vai mais longe pelo medo que tem das consequencias do encerramento, embora espreita a oportunidade de um incumprimento das regras para ordenar o encerramento dos Cemiterios. Tenha vergonha!

terça-feira, 20 de outubro de 2020

OLHÃO: DINHEIRO PARA FESTAS HÁ MAS FALTA PARA O ESSENCIAL!

Há uns tempos atrás chamavamos a atenção para o estado da rede de aguas pluviais já que há anos que não são lavadas as ruas da cidade nem desentupidos os sumidores, acumulando-se toda a especie de lixo que não deixa fazer uma drenagem capaz de escoar as aguas da chuva, e hpoje retomamos o assunto pelas razões que as imagens deixam perceber. E fazemo-lo até porque cerca das cinco e trinta da manhã atravessámos a cidade e sabemos o que choveu, não tanto como vão tentar dizer. Ainda que a maré pudesse estar cheia também não justifica, ou então sempre que chova mais uns pingos de agua teremos mais do mesmo. É verdade que choveu bastante, mas não o suficiente para justificar o que presenciámos na Rua Diogo Mendonça Corte Real com a agua a entrar pela casa das pessoas. Nem o Restaurante do Roque escapou apesar da altura da cota coleira. Imagine-se aquelas casas mais baixas. Também a Rua das Lavadeiras e a dos Lavadouros encheu. À cheia juntou-se a falta de civismo de algumas pessoas que passando de carro não tiveram a minima preocupação com o cachão que levantavam favorecendo a invasão das aguas pelas casas adentro. Na Rua das Lavadeiras há um sumidouro com duas tampas e enquanto num se consegue ver o fundo o outro está meio de lixo, o que dificulta o escoamento das aguas, razão que levou a que rua alagasse. Para a proxima chamo o barco da carreira para fazer a travessia. Como se vê na imagem tirada ainda de noite, um cidadão tentando controlar o transito para que a agua não invadisse a sua casa; os bombeiros passaram mas disseram que não podiam fazer nada. É assim a nossa Protecção Civil. Por outro lado, a recem inaugurada Escola Nº 5, no Bairro 28 de Setembro, está hoje pior do que no dia da inauguração, só que desta vez não há um presidente para inaugurar. Lembrar que a inauguração da escola foi adiada da manhã para a tarde para dar tempo a escoar a agua e encher de areia o recreio e assim dar um bom aspecto ao presidente Martelo. Logo na altura chamávamos a atenção para a pouca importancia que era dada aos alunos não havendo a preocupação com a falta de espaço para os miudos brincarem e hoje isso está mais que comprovado; a agua não foi esgotada nem foi jogada areia. Ou melhor dizendo gastaram a areia toda quando a jogaram nos olhos da comitiva inauguradora. Para o resto do dia prevê-se um agravamento do estado do tempo e se de madrugada foi assim, como será o resto do dia? Claro que o presidente não mora numa casinha destas nem tem os filhos na escola nº 5 e por isso não pode avaliar o sofrimento dos outros. Infelizmente não temos imagens da Rua Almirante Reis e transversais, onde deve ter acontecido mais do mesmo. Gastanto o dinheiro em festas e em auto-promoção mas sem dinheiro para resolver um problema tão essencial como a drenagem de aguas pluviais. Ganda presidente!

segunda-feira, 19 de outubro de 2020

OLHÃO: O BIG BROTHER FALIU?

Já se passaram alguns desde o assalto ali perto da sede da Policia Municipal, onde os amigos do alheio se deram ao trabalho de tapar a câmera de videovigilância. No inicio da semana passada, foi a vez dos tais amigos visitarem alguns estabelecimentos na Rua Vasco da Gama razão que levou os proprietarios a pedirem o acesso às imganes das ditas câmeras. Mas foram surpeendidos com a resposta de que as ditas cujas estavam desligadas. Os amigos do alheio bem podiuam ter surripiado as câmeras, já que selas não servem para nada ao menos davam-lhes alguma utilidade. Fazer como a autarquia que parece nadar em dinheiro, que gastou na aquisição das ditas cujas apenas para decorar os sitios onde foram instaladas. Mau gosto porque nem para decorar aquilo serve! Com o aproximar do Inverno, noites escuras e de vendaval, com pouco policiamento,e sem o Big Brother a funcionar, é natural que as visitas aos estebelciumentos da zona tendam a aumentar, aumentando também o sentimento de insegurança. Valha-nos ao menos ser na zona dos ricos, embora os comerciantes estejam a viver de balões de oxigénio, que na dos pobres não há nada para roubar. Passado todo este tempo e de gasto o dinheiro o minimo que se pode dizer, é que aquilo foi instalado, não para funcionar mas para dar algum sentimento de segurança aos noctivagos estrangeiros que ali passam. Imagem e mais imagem! A Policia Municipal não tem por função actuar no caso de furtos, cingindo-se a pouco mais do que passar multas de transito (estacionamento) ou de coimas em obras particulares e ainda de ocupação de espaços publicos. Não podem é multar o senhor Sergio Viana porque é patrão deles! Sendo assim, resta-nos a PSP, agora com a função de fiscalizar o uso de mascara e da aplicação StayAway, não tendo tempo para ver o que se passa nas nossas ruas durante a noite, sendo que a culpa nem é deles mas de quem lhes atribui tarefas para as quais não estavam previstas. A preocupação com a pandemia sobrepõe-se à segurança das pessoas, ainda que o irresponsavel presidente de câmera tenha promovido os ajuntamentos de pessoas para assistitrem às suas festas (Road Show) entre outras, de ter apelado ao consumo em restaurantes e esplanadas onde não eram cumpridos as recomendações anti- Covid. Pina esuqeceu-se das conseuqências do que andou a promover! Irá pôr em funcionamento para ver quem não anda mascarado? É que com mascara e um chapeu, os amigos do alheio ficam bem disfarçados. Venha de lá o Big Brother do Pina.

domingo, 18 de outubro de 2020

RIA FORMOSA: EU ACUSO!

Quando o mar galgou a Ilha da Fuzeta, espraiou as areias pela Ria, destruindo algumas pradarias marinhas, compostas por manchas de seba, e que serviam de habitat de diversas especies como o cavalo marinho, o choco entre outras. Enquanto a seba desaparecia, surgia uma nova alga a CAULERPA, espécie exótica, invasora e infestante, numa mancha com cerca de quatro metros quadrados, havendo duvidas e muitas suspeitas sobre como terá surgido. Certo é que esta alga tem proliferado por toda a Ria Formosa chegando já até perto da Praia de Faro. Esta alga tem vindo a conquistar espaço, substituindo-se à seba; não serve de abrigo a nenhuma espécie, muito pelo contrário, ela induz à extinção do longueirão, do berbigão, da ameijoa e de espécies piscicolas como o cavalo marinho, que todos dizem defender mas que o vêm matando. O CCMAR da UALG, tem como função o estudo dos problemas e da vida marinhos mas defende esta alga com a desculpa da descarbonização da agua da Ria. Ora a necessidade da descarbonização resulta da forte poluição da agua, pelo que defender a descarbonização é uma forma de branquear os crimes ambientais praticados na Ria pelas entidades publicas, porque pretende combater as causas e não a origem da poluição. Bem sabemos que não o podem fazer, porque deixaraima de receber os apoios para a investigação. Dizendo de outra forma, o controlo politico a sobrepor-se à ciência. Parece não haver duvidas sobre a necessidade de combater a presença da Caulerpa sob pena de estarmos a comprometer o futuro das actividades tradicionais da Ria Formosa, o que daria muito jeito ao Poder politico que dessa forma corria com o que resta de pescadores e mariscadores para no seu lugar introduzie o elemento estranho, o turista! Ninguem melhor que o CCMAR para estudar a forma de combater a Caulerpa, uma autentica praga. Devemos dizer que noutros países que tiveram o mesmo problema trataram de erradicar a presença da "erva". Que fez até hoje o CCMAR para combater esta praga? Nada! E o Parque Natural da Ria Formosa o que tem a dizer sobre uma espécie exotica infestante no seu territorio? Nada! Foi o CCMAR a entidade que mais lutou e bem, diga-se, em defesa do cavalo marinho, tendo conseguido a criação de santuarios para o mesmo, mas de nada lhe servirá se permitir que a Caulerpa continue a conquistar espaço à seba, o habitat do cavalo marinho. A seba é uma planta de fundo, com algum comprimento, a que o cavalo marinho se agarra com a sua cauda preensil, servindo de abrigo contra predadores de especie como o choco, polvo, dourada ou robalo que ali vão depositar os ovos e daí a sua enorme importancia para a vida na Ria, para alem de produzir o oxigenio existente na agua. Durante dez anos, o CCMAR andou a transferir manchas de seba da Ria Formosa para o Portinho da Arrabida, tanto tempo como o que já leva a Caulerpa a expandir-se por toda a Ria Formosa, sem que nada tenha feito para a erradicar. Porquê? CCMAR e Parque Natural da Ria Formosa, com as suas atitude negligentes, estão a contribuir para o desaparecimento da vida na Ria. Sim, ACUSO-OS de negligência, para não dizer premeditação nesta praga ambiental! Mais, só não os acuso de serem os autores da plantação da Caulerpa, por falta de provas, embora seja voz corrente que foram os seus autores. Enquanto todos aqueles que vivem de e na Ria não se unirem para dar combate às espécies exóticas, à poluição e às tentativas de correr com eles, não será possivel mudar o quer que seja. Uni-vos e lutem por vocês e pelas gerações seguintes.

sábado, 17 de outubro de 2020

OLHÃO: OS NOVOS DONOS DISTO TUDO!

Tal como denunciámos há dias atrás, voltamos hoje ao assunto da forma como os nossos autarcas ditos socialistas funcionam em termos da utilização que dão aos maios da câmara, pagos por todos nós. No caso e mais uma vez o adjunto do presidente da câmara, o todo poderoso Sergio Viana, a utilizar, já não a viatura que lhe foi distribuida, mas uma carrinha da autarquia como se pode ver na imagem. E como não bastasse a utilização das vciaturas, ocupa um pequeno terreno na area de cedência da urbanização onde vive ali para as bandas de Quelfes. De salientar que as imagens foram captadas depois da Policia Municipal ter ameaçado uma municipe de coima por ocupação do espaço publico, a mesma policia que não actua contra os novos donos disto tudo. Importa saber quem é esta figura que aterrou em Olhão pela mão do pai Pina. Como o proprio diz no artigo de opinião que escreveu para o Jornal do Algarve, foi Secretario da Organização do PS Algarve de 2003 a 2011. Pode confirmar em . Pelo meio fica uma possivel candidatura à concelhia socialista de Vila real de Sº Antonio, como se pode ver em Porque não vivia da politica, montou uma firma de instalações electricas com o nome de Sergio Viana-Instalações Electricas, Lda, que faliu tendo declarado o encerraento da actividade em Outubro de 2016. Mas enquanto encerra e não encerra monta uma pequena oficina de restauro de velharias e queixava-se que havia sido abandonado pelo partido dito socialista, o que levou ao gesto misericordioso do pai Pina, a quem servou como motorista enquanto aquele foi governador civil. Mas aqui para nós, o importante é perceber como funcionba o nosso poder autarquico e como é que este cavalheiro vem parar a Olhão. Terá ele mais habilitações que o resto da população ou é o cartão do partido que se sobrepõe a tudo o mais? Olhemos então para a miseria do gabinete de apoiio ao presidente, conforme consta do mapa de pessoal. Assim o chefe de gabinete tem o 9º ano de escolaridade; o adjunto tem o curso complementar do liceu: tem ainda um administrativo como tecnico superior habilitado com o 9º ano. Não restam duvidas que mais faz quem pode do que quem quer, bastanto para isso filiar-se no partido do presidente. Quando assim é não espanta pois que o todo poderoso adjunto, possa fazer da autarquia o que bem lhe der na real gana, até mesmo utilizar a carrinha da autarquia para transportar os seus produtos horticolas para o Mercado. para quem, enquanto funcionario do goevrno civil conseguiu vender os quadros da mulher aquela entidade, tudo é de esperar! E os olhanenses, compo ficam?

sexta-feira, 16 de outubro de 2020

DO COMBATE AO COVID ÀS RESTRIÇÕES AOS DIREITOS, LIBERDADES E GARANTIAS DAS PESSOAS

Desde Março que estamos a combater a pandemia provocada pelo corona virus. O combate a qualquer doença é de natureza tecnica mas no nosso País, ela é condicionada pela politica, razão pela qual a Directora Geral de Saude tem entrado em sucessivas contradições. Como resultado da decisão politica de abrir as fronteiras, assistimos ao agravar da situação da pandemia e vêm agora impor novas restrições, algumas delas violadoras dos direitos liberdades e garantias dos cidadãos consagrados na Constituição da Republica Portuguesa. Enquanto o governo pondera permitir a realização de cerimonias familiares de casamentos ou batizados até cinquenta pessoas, os funerais para que a familia se possa despedir dos seus entes queridos é mais condicionado que aquelas festas que podem ser adiadas, Os funerais é que não! Tudo em nome da economia, já que um funeral com 2 pessoas ou mil respresenta o mesmo volume de negocio para as agencias enquanto os casamentos e batizados quanto mais gente mais economia. Entretanto fica ao criterio das autarquias permitirem o acesso aos cemiterios, no proximo dia 1 de Novembro, para uma reflexão junto daqueles que nos abandonaram. Por outro lado tenta impor-se o uso obrigatorio de mascara na rua quando não há muito tempo diziam que as mascaras não protegiam o portador mas sim quem com ele estivesse. Mas se um individuo é portador de uma doença altamente contagiosa, porque há-de andar a passear em vez de ficar em isolamento? E como grande "democrata" o nosso primeiro ministro insiste na defesa da obrigatoriedade do uso da apliacção StayAway, uma forma de ter o controlo sobre a população. Só lhe falta obrigar ao uso de um chip em cada pessoa. Nem a defunta PIDE seria capaz de tanto. Esta é uma daquelas medidas que colidem com os direitos, liberdades e garantias e como tal deve ser rejeitada mesmo que a tornem obrigatória. A ser aprovada uma tal medida, imaginem a policia a pedir-lhes o telefone para ver se têm a aplicação? E se não tiverem, multa! Não, todos nós temos o direito de recusar o acesso aos nossos telefones. Eu não vou fazer aplicação nenhuma. E tu, vais? Nos dias que correm existem testes rápidos, não tão eficazes como os chamados PCR mas que permitiam, pelo seu baixo custo, proceder ao rastreio de toda a população. No caso de testes duvidosos, então recorriam ao PCR para ter certezas. Os que acusassem positivo, obviamente iriam para confinamento obrigatório. Mas esses e só esses. Com os hospitais à beira da ruptura, lembramos que em todos os distritos há antigos quartéis militares sem utilização que bem podiam servir de unidades de internamento para os doentes com Covid. Cabe ao governo dotar o SNS dos meios técnicos, humanos e financeiros para o combate à pandemia. Em nome do combate à pandemia, que não se combate como devia, promove-se um clima de medo para de seguida se impor um conjunto de medidas restritivas dos direitos sociais das pessoas. Mas deviam dizer quantas pessoas já morreram por falta de assistência com o adiamento de consultas, de cirurgias e de outros actos medicos, ou será que tudo se justifica com a pandemia?

quinta-feira, 15 de outubro de 2020

OLHÃO: VIATURAS DA AUTARQUIA COM USO PRIVADO

Não é de agora mas é facto que ao longo dos anos a Câmara Municipal de Olhão tem permitido que funcionários seus, para alem de quadros dirigentes utilizarem de forma indevida as viaturas da autarquia para usos pessoais. Por lei, só o presidente da câmara pode utilizar a viatura que lhe está distribuida a todo o tempo; nem os vereadores o podem fazer e pior ainda quando se trata de funcionários. No passado, as viaturas da autarquia usavam uma placa dizendo "corpos administrativos" e hoje nem isso; mas também não são caracterizadas o que permite que os utlizadores dessas viaturas se possam deslocar por todo o lado sem que alguém os possa controlar. Também no passado chegaram a ser vistas viaturas da autarquia em Espanha ou no Alentejo sem que tivessem sido tomadas quaisquer medidas para o evitar. Nos tempos que decorrem, o adjunto do presidente, um tal de Sergio Viana, utiliza a viatura que lhe foi distribuida para ir aos sabados aos Mercados! Vai sem serviço? Não! Ele que nem eleito foi e nem se sabe como entrou para o lugar, mas que tem tantos poderes ou mais que certos eleitos. É certo que o homem é um quadro socialista, oriundo de Vila Real de Sº Antonio dos tempos do Murta, que esteve ao serviço do pai Pina quando este era governador civil, sendo essa a razão para que não ficasse desempregado. Em Olhão havia tantos desempregados e nenhum tinha as qualificações deste cavalheiro. Quem diria! Não se pense porém que este é o unico caso já que num sabado, pelas 07:20 horas, o carro descaracterizado mas com a legenda na porta traseira do Olhão Tem Alma, se passeava pelas ruas da cidade. Devia estar a fazer uma grande reportagem para uma revista que nunca mais foi editada. Não importa, a viatura está em boas mãos, isto é nas mãos de alguém de confiança e como tal protegido pela presidência. Mas há mais! Isto é um regabofe pegado, com os otários olhanenses a pagarem taxas e impostos cada vez mais elevados para alimentarem uma enorme quadrilha de bandidos politicos que assim se vão mantendo no Poder. O regime instalado em Olhão no pós 25 de Abril já leva quase tanto tempo quanto o regime deposto naquela data. E tal como nos velhos tempos, os eleitos fazem aquilo que muito bem querem e entendem sem prestar contas ao Povo. Mas será que este quer saber do que se passa ou preferem deixar que terceiros façam o que eles desejariam fazer mas não têm coragem para tanto? Até quando?

terça-feira, 13 de outubro de 2020

OLHÃO: IMAGEM PARA PROMOVER OUTRA IMAGEM

 Depois de uma pequena interrupção na nossa produção normal por razões técnicas, regressamos ao ritmo anterior.
Como não podia deixar de ser fomos visitar o portal base do governo onde são publicados os contratos da administração (pouco) publica e verificar o que andou a fazer a câmara municipal de Olhão durante estas ferias forçadas.
Ali encontrámos dois contratos que nos chamaram a atenção, o primeiro para aquisição de equipamento de video, no valor de 7226,10 acrescidos de IVA, com data de 6/10/2020 e isso merece-nos um comentário. É que ainda à bem pouco tempo houve uma assembleia municipal onde alguns cidadãos tentaram gravar aquilo que ali se passava e que foram impedidos de o fazer. Agora na posse de um tal instrumento já não têm como dizer que não têm meios para filmar e divulgar em directo aquilo que se passa nas assembleias e sessões de câmara, assim haja vontade politica de o fazer.
Claro que sabemos que o que está em causa é a produção de videos de promoção mais do presidente do que propriamente do município porque para isso tem algumas profissionais para o fazer. Mas é a imagem do presidente que convém melhorar num momento de pré-campanha eleitoral.
E como o presidente da câmara já nos habituou à venda de banha de cobra, nada melhor do que apresentar em grandes telas, as obras prometidas e não executadas, as obras em curso, mais as obras futuras. Então iremos assistir à colocação de lonas e mais lonas distribuídas por todo o concelho como convém ao momento politico. 
Melhor do que fazer obras que beneficiem as populações, é a apresentação daquilo que vai ficar como marca para o futuro do pequeno rei. Tratar de resolver o problema dos esgotos, a substituição da rede de aguas com cerca de setenta anos, proceder á lavagem das ruas, tapar os buracos que subsistem nas nossas ruas e não apenas nas principais artérias, promover uma politica de habitação acessivel em lugar de promover os empreendimentos de luxo, isso não é com o presidente. Mas teve cum contratempo este ano, ao não poder ir ao salão internacional do imobiliário de Paris.
Bom o contrato das lonas sob o titulo de aquisição de serviços de divulgação (o nome não deixa duvidas) datado de 7/10/2020 pode ser visto em http://www.base.gov.pt/base2/rest/documentos/874163  tem o valor de 19900,00 euros acrescidos de IVA.
Tostão a tostão se vai gastando o dinheiro extorquido aos municípes sob a forma de taxas e impostos municipais, mas as pessoas gostam disso e aplaudem sem perceber que é o seu bolso que está a pagar a imagem de uma pessoa.
Até um dia!

domingo, 11 de outubro de 2020

Olhão – o presidente e a destruição dos jardins

António Pina continua a esbanjar o dinheiro dos contribuintes para destruir o património que nos é querido.

As obras continuam no Jardim Pescador Olhanense e estão longe de estar acabadas. Este jardim, mais recente do que o Jardim Patrão Joaquim Lopes, já sofreu 3 ou 4 alterações desde que foi inaugurado em 1984 e parece que ainda não atingiu o estrado “perfeito”. As obras actuais não são mera manutenção ou “aperfeiçoamento”, pelo contrário, o jardim foi completamente destruído e irá começar do zero. 


Quanto ao Jardim Patrão Joaquim Lopes, já podemos ver que as obras estão em preparação. Provavelmente também vai ser todo destruído e construído de raiz.

Num período em que todos os portugueses estão preocupados com a COVID-19, num período em que todos ouvimos os responsáveis dizer que a crise em que estamos a entrar não tem comparação com nenhuma anterior, quando todos sabemos que a crise/destruição do serviço nacional de saúde está aí e que faltam recursos básicos para as populações, quando os responsáveis do governo dizem que estamos em período de contenção… enfim, o presidente esbanja o dinheiro dos contribuintes com a conivência e de acordo com os interesses seus, de todos os que têm o poder de decidir por nós e da suposta oposição.

Enquanto andamos preocupados com a pandemia o sr. Presidente da Câmara e da AMAL, aproveita para tratar dos seus negócios e dos seus interesses nas negociatas da Câmara.

Luzes de Natal em Setembro? Jardim para turistas? Comemorações dos 325 anos da Paróquia de Nossa Senhora do Rosário de Olhão? Despachos do presidente a dizer o mesmo que as resoluções do Conselho de Ministros? Balcão Eletrónico do Mar (BMar) quando destrói a pesca?

Mais importante que tudo isto seria pressionar e tomar posição em relação à falta de recursos e de pessoal a que são votados os Centros de Saúde e o Hospital de Faro.

Governo de “faz de conta” para “olhanense ver”.

segunda-feira, 5 de outubro de 2020

Presidente da CMOlhão descarrega veneno nas águas da Ria Formosa...mas "protege" o cavalo-marinho

O Presidente da CMOlhão António Miguel Ventura Pina, surpreende-nos todos os dias, e  hoje  ao consultar a página oficial do Município de Olhão, deparo-me com a mensagem:

𝐅𝐢𝐥𝐦𝐞 𝐝𝐨 𝐌𝐮𝐧𝐢𝐜í𝐩𝐢𝐨 "𝐂𝐚𝐯𝐚𝐥𝐨𝐬 𝐝𝐞 𝐆𝐮𝐞𝐫𝐫𝐚" 𝐟𝐚𝐳 𝐟𝐮𝐫𝐨𝐫 𝐧𝐨 𝐜𝐨𝐧𝐭𝐢𝐧𝐞𝐧𝐭𝐞 𝐚𝐦𝐞𝐫𝐢𝐜𝐚𝐧𝐨
"Este reconhecimento internacional é motivo de orgulho e mais uma prova de que a Ria Formosa é um ex-libris do nosso património natural que precisa de ser protegido e preservado em prol da sustentabilidade da vida selvagem e de todas as comunidades que dele dependem”, considera o presidente do Município de Olhão,
António Miguel Pina.

 

Esta mensagem vem pela boca do maior poluidor do nosso concelho e do responsável pela não resolução dos seus problemas ambientais, nomeadamente  o esgoto do T em Olhão onde diariamente são descarregados esgotos domésticos não tratados na Ria Formosa em Olhão que é o habitat do famoso cavalo-marinho que ele tanto diz defender e preservar, bem como de muitas outras espécies de fauna e flora em perigo. Esse crime diário pode ser observado sempre que a maré está vazia e só prevalece com a conivência de TODAS as autoridades que dão cobertura a esses hediondo crime ambiental e sócio económico.

 Resultado de imagem para fotos dos esgotos em Olhão

A poluição microbiológica provocada por este esgoto, com a cobertura da CMOlhão, deu origem à desclassificação desde Março do ano de 2019  da Zona de Produção de Bivalves Olhão 3, zona que envolve toda a zona Ribeirinha de Olhão desde os Estaleiros da Pescrul até à Ribeira de Belamandil, uma zona com mais de 5000metros de extensão. Aí é completamente proibido às centenas de mariscadores e aos cerca de 160 pessoas que tem licença de exploração de viveiros de bivalves, apanhar amêijoas, ostras, berbigões, lingueirões e mexilhão por o consumo desses bivalves constituírem um perigo de saúde publica devido ao elevado grau de contaminação microbiológica como comprovado pelo IPMA.

Neste momento 160 pessoas, por ser proibido apanhar amêiojas ostras berbigões e langueirões, estão impedidas de governar a vida na exploração dos seus viveiros e centenas de pessoas legalizadas estão proibidas de mariscar em toda a frente ribeirinha de Olhão. Sobre isto o presidente da autarquia de Olhão não abre a boca, nem faz filmes da miséria do dia a dia que grassa nos lares dessas pessoas.

António Miguel Ventura Pina vai continuar impunemente, a cometer esses crimes diários que destroem a fauna e a flora dessa Zona de Protecção Especial da Ria Formosa e cabe-nos a nós exigir que estes crimes sejam resolvidos.