quinta-feira, 4 de novembro de 2021

OLHÃO: DA REQUALIFICAÇÃO PARA A REABILITAÇÃO

 Depois dos projectos de requalificação vêm os de reabilitação urbana, estes mais simples mas também com muito menos custos, já que quase se limitam à repavimentação de ruas, como temos vindo a assistir.

Nesse sentido, foi assinado mais um contrato para a repavimentação das ruas de Pechão, no velor de quase duzentos e oitenta mil euros, como se pode ver em https://www.base.gov.pt/Base4/pt/detalhe/?type=contratos&id=8171441.

Obviamente que as requalificações não acabaram, porque ainda falta a frente de mar na Fuzeta e o lado nascente da cidade.

Anunciado no jornal da campanha eleitoral dita socialista, foram gastos no concelhoao longo do mandato cerca de três milhões de euros na repavimentação de diversas arterias. Já os gastos previstos nas ditas requalificações, só em Olhão, custam acima  de dez milhões.

A reabilitação urbana de que tanto se fala, em principio não contempla as demais infraestruturas, como as da electricidade, telecomunicações, gaz, e especialmente as de agua e esgotos, uma rica reabilitação. É ver os cabos de electricidade e de telecomunicações formando cachos na ruas de todo o concelho, a rede de gaz canalizado feita a conta gotas com a pavimentação a ser partida. Mas o pior não são as infraestruturas de agua e saneamento.

Refira-se que a rede de agua tem cerca de setenta anos, está podre, com roturas constantes como asque se verificam nas ruas agora alcatroadas. Vamos ver quanto tempo aguentam sem abrirem novos buracos.

Está a começar a epoca das chuvas, e vemos que na Rua 18 de Junho não há sumidores de aguas pluviais, escorrendo estas para as transversais que vão desaguar na Rua Almirante Reis, razão pela qual, quando chove um pouco mais, as tampas dos colectores levantarem por não suportar as pressões a que estão sujeitas. Uma rede a precisar de uma intervenção urgente, mas que não faz parte das opções do presidente, embora cause imensos transtornos a quem vive naquela zona.

Será que a reabilitação urbana nestas ruas não deva contemplar todas as infraestruras, ou o dinheiro dos municipes é para ser gasto apenas na frente de mar? Dez milhões gastos na zona ribeirinha e no resto da cidade são tostões!

É como se estivessem varrendo o lixo para debaixo do tapete; o que é para mostrar a quem nos visita bem arranjadinho e o resto fica paraos terceiro mundistas residentes. Que ricas opções!

Sem comentários: