quinta-feira, 30 de junho de 2011

OLHÂO: INCOMPETÊNCIA E ROUBO


A imagem, é de uma factura de agua da Ambiolhão e nela se pode comprovar a incompetencia e roubo que estão fazendo.
Este consumidor gastou 22 m3 de agua, e como tal teria de pagar 5 m3 do 1º escalão, 10m3 do 2º escalão e 7m3 do 3º escalão, mas só lhe são cobrados 10 metros do 1º e 1 do 2º.
Como se isso não bastasse, tinha uma "divida" anterior de 209,46 euros e agora fica com 208,71.
Se houvesse um minimo de rigor, o consumidor em causa teria de pagar bem acima do dobro daquilo que pagou, mas isso elevaria a factura para mais de 50 euros. Ora a criatura em causa não tem nenhuma piscina, couves para regar nem barriga de agua. Tem um filho apenas e apesar do calor escaldante, parece ser demasiada agua para beber.
Mas a Ambiolhão ao cortar a conta ao meio, deixa para mais tarde cobrar o que agora fica por pagar e virá depois dizer que havia este debito, e apresentará uma conta gorda que o consumidor está obrigado a pagar.
Quem tem culpa disto: o consumidor ou a gestão manhosa da Ambiolhão?
Se eu pensar que amanhã, é apresentado no Jardim Pescador Olhanense, a 7ª Maravilha da Gastronomia, em que a Camara de Olhão paga ao cozinheiro 30.000 euros para fazer um prato de Xarem com conquilhas, lá compreenderei com mais facilidade a necessidade de assaltar o bolso do consumidor, porque não vejo como vão pagar ao homem. Mas lá que é um Xarem muito caro, é, e a conta da agua um roubo tambem.

OLHÃO: ROUBO NA AGUA?

Saiu a primeira factura da novel Ambiolhão, empresa constituida para dar empregos a mais uns boys socialistas e com o objecto de sacar dos bolsos dos municipes o pouco dinheiro que lhes resta.
Junto da factura, uma missiva do presidente do concelho de administração da empresa e ao mesmo tempo presidente da Câmara Municipal de Olhão, Francisco Leal.
E á primeira cavadela agudia. Saíu tudo errado, restando saber se foi erro ocasional ou premeditado. É que se torna estranho que ninguem tivesse dado pelo erro em centenas de facturas exigindo aos municipes dinheiros que não deviam. E a dar pelo erro, a empresa devia ter suprimido aquelas facturas e reenviado aos municipes facturas corrigidas sob pena de aos não reclamantes serem cobrados valores que não deviam.
Por outro lado, como são feitas as contas da empresa quando na factura aparecem dois valores. Francisco Leal já nos habituou à falta de transparencia em todos os seus actos de gestão, mas de uma forma tão flagrante e descarada, nunca se tinha visto.
Pôr a Câmara Municipal de Olhão a pagar as contas do Partido Socialista, embora seja crime, não tem o impacto que as contas da agua estão a proporcionar. A outra foi às escondidas dos municipes, mas esta eles sentem nos bolsos e é corrente ouvir-se pelos cantos que estão a ser roubados.
Não devia a Câmara Municipal e a Ambiolhão fazer um comunicado à população a retratar-se e a corrigr o erro? Porque não o fez?
A Ambiolhão herdou logo à partida uma divida de 6.000.000 de euros às Aguas do Algarve, e prepara um pedido de emprestimo de mais 1.700.000 de euros. Alguem terá de pagar estas contas, com erros ou sem erros, e como vai sendo habito é ao municipe que cabe esse fardo.
Foi na gestão de Francisco Leal que a Cooperativa de Stª Catarina deu o berro, e será com a gestão dele que a Câmara Municipal de Olhão, berrará. Quem trava este incompetente desmiolado?

quarta-feira, 29 de junho de 2011

OLHÃO: PERDA DE MANDATO!

Por despacho de 21 de Junho do corrente ano, o Ministério Publico junto do Tribunal Administrativo e Fiscal de Loulé, os autarcas da anterior maioria correm o risco de perda de mandato, por se considerar que aos queixosos Somos Olhão, lhes assiste razão no pedido efectuado.
Num despacho que decide por atacado, com alguns arquivamentos passíveis de contestação, constata-se ainda que o Ministério Publico junto do Tribunal Administrativo, faz uma apreciação às declarações das partes que não aos factos.
Constata-se ainda que o IGAL, que em principio seria uma entidade de boa-fé, continua sem dar resposta ou seja emitir conclusões sobre alguns processos pendentes. O IGAL integra o poder politico, na anterior legislatura nas mãos de socialistas, e não toma as providências necessárias em tempo útil quanto se trata de certos titulares de cargos políticos, daí não se pronunciar quanto às denuncias do Somos Olhão.
Uma justiça com um cunho de classe, a classe dos aldrabões, mentirosos, independentemente do tamanhos dos narizes dos Zezitos ou Chiquinhos, que têm gerido os destinos deste país, mas que pelo menos desta feita e quem sabe a titulo excepcional permitiu à formiga incomodar o elefante.
A administração da autarquia olhanense que sempre classificou as queixas apresentadas como sendo moinhos de vento, é agora confrontada com a possível perda de mandato de Francisco Leal e António Pina, deixando os destinos do concelho nas mãos de camaleões políticos que já foram do CDS ou do PCP. Muita abrangência no PS Olhão.
Está na hora da mudança em Olhão. Está na hora desta cambada ser varrida da Câmara de Olhão. Rua com todos eles!

terça-feira, 28 de junho de 2011

200 000 visitas no Olhão Livre .Obrigado a Todos.

Chegamos hoje às 200 000 visitas, no nosso blog, 46 seguidores diários do nossso blog, e uma lista de 1000 amigos nacionais do Facebook, a todos que nos visitaram o nosso obrigado.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

NOVO CEMITERIO EM FARO?


Macário Correia, presidente da Câmara Municipal de Faro, veio, há poucos dias, anunciar que ia começar a limpeza da sucata junto ao Cais comercial. Não sendo totalmente falso, pudemos constatar que ouve movimentação de maquinas e que a sucata estava mais arrumada. Contudo, o que falta de sucata sobra em materiais de construção, naquilo que parece ser o futuro cemitério de Faro, tal a quantidade de pequenas catacumbas ou outra coisa semelhante.
A zona do Cais comercial insere-se em plena Ria Formosa e não parece ser o local mais apropriado para a instalação de estaleiros de construção civil e muito menos de um “cemitério”, paredes meias com a lixeira escondida nas traseiras.
Defraudadas as expectativas criadas com a promessa do presidente Macário, que afinal não passou disso mesmo: uma promessa!
Não somos fiscais da Câmara, mas tão só de um ambiente sadio, seja em que ponto for e muito especialmente no coração da reserva ecológica, cercada por uma zona húmida, pertencente à Rede Natura 2000, Sitio de Interesse Comunitário e ao abrigo de convenções internacionais como as de Ahrus ou Ramsar.
O concelho de Faro, ao longo dos anos de caos de gestão autárquica, continua sem rumo no que diz respeito ao ambiente, sendo frequentes o encontro com cenas deste tipo, que em devido tempo denunciaremos. Lamenta-se que um acérrimo “defensor” do ambiente, como fazia crer o presidente Macário, borre a opa com situações como a que pequeno video deixa perceber. Dois anos são tempo mais que suficiente para agir, no entanto a Câmara Municipal de Faro e o seu presidente não conseguem nem reagir. Lamentável!

domingo, 26 de junho de 2011

Há ou não poluição do ar que respiramos no Algarve?

Ambiente

Níveis de poluição do ar por ozono sobem e atingem cinco concelhos

Económico com Lusa
26/06/11 17:03




Os níveis de poluição do ar por ozono detectados hoje em três concelhos em redor do Porto subiram entre as 14 e as 15 horas.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a directora de Serviços de Ambiente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, Paula Pinto, refere que foram detectados naquele período valores de ozono acima dos 180 microgramas por metro cúbico nas estações de Baguim (Gondomar) e Antas (Porto).

A concentração de ozono no ar subiu para valores entre os 214 e 218 microgramas nas estações de Vermoim (Maia), Ermesinde (Valongo) e Avintes (Gaia).

O limiar de informação à população está fixado por lei nos 180 microgramas por metro cúbico e o de alerta em 240 microgramas.

"Durante o período de ultrapassagem do limiar de informação à população, as pessoas mais sensíveis (crianças, idosos, asmáticos e indivíduos com problemas respiratórios) devem evitar inalar uma grande quantidade de ar poluído, especialmente durante o período mais quente (durante a tarde)", recomenda Paula Pinto.

Nota do Olhão Livre: Qual a qualidade do ar que respiramos no Algarve? A CCDR do Algarve é obrigada a publicar esses resultados, mas desde de 2007 que o deixou de fazer, e anda a enganar os cidadãos não cumprindo a lei,dizendo que não recursos económicos para tal,como se pode ler aqui

A Quercus por incumprimento da lei, fez queixa à União Europeia em 2009 ,mas estamos em metade do ano de 2011 e de resultados da qualidade do ar que respiramos no Algarve ,não sabemos de nada. Será para não assustar os turistas, com a má qualidade de ar existente no Algarve? A lei não tem de ser cumprida por todos, ou a CCDR do Algarve está acima da lei?Se a CCDR do Norte tem dinheiro para fazer fazer as análises à qualidade do ar, e divulgar esses resultados de modo a que os cidadãos com doenças respiratórias, se possam prevenir, qual o motivo que a CCDR do Algarve não tem verba para isso, ou a verba veio e foi aplicada noutras coisas?

Os cidadãos, e as associações de defesa do Ambiente e do Cidadãos, deviam voltar a questionar a CCDR, qual o motivo que não faz análises à qualidade do ar, e a sua divulgação , para que nós algarvios sabermos o ar que andamos a respirar.

sábado, 25 de junho de 2011

A Farsa da Bandeira Azul na praia da Fuzeta






Foi hoje retirada a proibição de ir a banhos na praia de Bandeira Azul Fuzeta-Ria.
Perante a conversa ouvida por particulares ontem de manhã na Praia da Fuzeta, não é de admirar: os nadadores-salvadores, que com a bandeira amarela deixavam as pessoas tomar banho apesar do edital da ARH dizer que a água estava imprópria para banhos, comentavam com populares, que esperavam que o Comandante de Porto de Olhão levantasse a interdição e desse o problema por resolvido.
Será por causa dessa lei?
"Consideram-se episódios de poluição de curta duração aqueles em que se verifica contaminação microbiológica (medida pelo parâmetros EC, Escherichia Coli e EI, Enterococos intestinais) provocada por causas claramente identificáveis, que se preveja que não afectem a qualidade das águas balneares por mais de 72 horas a contar do momento em que em que a qualidade dessas águas começou a ser afectada e para os quais o INAG tenha estabelecido procedimentos de previsão e minimização dos seus efeitos, como previsto no anexo III, do Decreto –Lei 135/2009. 8 CTA constituída conforme o nº2 do Artº 3º do D.L. 135/2009."


1º - Quem ordenou que a bandeira vermelha (quarta-feira) passasse a amarela (quinta-feira à tarde)?

2º - Quem deu ordens para permitir banhistas dentro de água com bandeira amarela?

3º - Foi identificada claramente a causa da poluição por Escherichia Coli e Enterococos intestinais?

4º - Será que a dita contaminação microbiológica não continua a afectar a qualidade das águas balneares depois das 72h?

5º - O INAG estabeleceu procedimentos de previsão e de minimização dos seus efeitos?
6º - Quem levantou a interdição?

7º - Em caso de problemas de saúde pública, quem são os responsáveis?

As fotografias apresentam a praia com bandeira vermelha na quarta-feira (enviada por um anónimo), amarela na sexta-feira, e com o mesmo edital a dizer “água imprópria para banhos”.




_________________________________________________________________________________________

sexta-feira, 24 de junho de 2011

E-COLI NA FUZETA




Quatro dias após a analise das aguas balneares da Praia Da Fuzeta – Terra, constata-se que apesar dos resultados, apenas foi trocada a Bandeira Azul por uma Amarela.
O cartaz que apresentamos diz claramente que as aguas estão impróprias para banhos, por conterem valores acima do permitido de E-COLI.
Toda a gente sabe dos recentes problemas com esta bactéria na Alemanha e França, mas mesmo representando um perigo para a saúde publica, as autoridades nacionais, teimam em manter a praia aberta aos banhistas.
Francisco Leal e Valentina Calixto, para alem de aldrabões são também criminosos ao permitirem que a praia continue aberta. Registamos a cumplicidade da capitania de porto, do delegado de saúde, dos responsáveis do Parque Natural da Ria Formosa e do IPIMAR, visto continuarem calados que nem ratos, subordinando o interesse publico aos interesses de meia dúzia de titulares de cargos políticos ou de altos cargos públicos.
Chama-se também a atenção para o elevado risco da contaminação dos bivalves, espécies filtrantes, e a possibilidade da introdução da bactéria na cadeia alimentar.
O encerramento da praia deve ser decretado de imediato, sob pena de procedimento criminal contra esta corja que tendo conhecimento dos riscos para a população, insiste na continuidade da acção criminosa.
Desta feita, não foram tão lestos a tomar as decisões, ao contrario do que aconteceu com o encerramento da barra aberta pelo mar, embora se compreenda que prevalecesse a defesa dos projectos imobiliários em zona do Domínio Publico Marítimo e sem parecer prévio, já que é esse tipo de projectos que permite a pratica dos crimes conexos aos de corrupção e são mais do agrado desta seita.
Tirar o colector de esgoto que está por detrás dos prédios do Leal, em plena zona húmida, Ria Formosa, não é com esta cambada e que pode estar na origem deste surto de E-COLI, não é com eles.
Pelo atrás exposto, Valentina Calixto, deve de imediato ser demitida

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Santos Populares em Olhão: empresário paga para reavivar uma tradição.

“Longe vai o tempo que os ditos Santos Populares tinham tradição em Olhão e em especial a noite de S. João.

As ruas eram enfeitadas com papel de seda das mais variadas cores, ao gosto dos respectivos moradores que faziam chouriços de papel, milhares de triângulos e balões (que se guardavam religiosamente de uns anos para os outros), foles e um sem número de decorações, que a mestria dos artistas populares inventava tentando fazer melhor que as ruas vizinhas. Nas entradas dessas ruas havia sempre um painel decorativo alusivo a um determinado tema feita com inúmeras flores também de papel.
Depois era esperar pelo povo. Não era preciso gastar dinheiro em propaganda pois já se sabia que S. João era em Olhão ou no Porto. Vinha gente de todo o Algarve pois sabia-se que o cheiro a alecrim, rosmaninho e marcela espalhados pelas calçadas de pedra se iriam misturar com o cheiro da sardinha assada (regadas pelo bom vinho caseiro dos nossos vizinhos montanheiros). As pessoas calcorreavam as inúmeras ruas enfeitadas lendo as quadras populares que afixadas nas paredes e que se perderam com o tempo.
Haviam também os mastros populares mais destinados à música e às danças. Por toda a noite se cantava e dançava, havendo pelo meio deliciosos leilões de frango em que alguns populares se envolviam em disputas, chegando muitas vezes a pagar o preço de uma capoeira. O que interessava era derrotar os adversários e comer o frango assado.
Uma tradição que não podia faltar e que toda a gente fazia questão de cumprir, era saltar a fogueira (com os respectivos ditos “fogueira de S.João1”, “fogueira de S.João2”, “fogueira de S.João3”) alimentada até altas horas com lenha recolhida pelos moradores.
A festa continuava até à hora dos mais novos e dos veteranos irem até aos hortejos vizinhos em busca da deliciosa fruta, com a desculpa de se ir à cana verde.

Infelizmente destas tradições só existem placas nas entradas de algumas ruas com o ano em que venceram ou tiveram menção honrosa, pois era este o prémio para tão árduo trabalho (mas que era feito com o gosto de verem passar nas ruas os amigos que há muito não viam).

Claro que tudo isso acontecia porque no dia a seguir era feriado municipal e ninguém trabalhava. Depois do 25 de Abril mudou-se o feriado para 18 de Junho e a seguir para 16 o que se justifica uma vez que é uma data importante para a cidade.
Foi aí que começou o fim do S. João em Olhão, até porque a autarquia ao começar a pagar o papel para enfeitar as ruas (antes os moradores pagavam entre si) começou a exigir que se utilizasse apenas as cores de Olhão. Junta-se a isto alguns actos de vandalismo (incendiaram várias vezes os enfeites das ruas) e então foi melhor e mais fácil acabar com a tradição do que com os vândalos.
Hoje temos as marchas, que têm o seu valor mas não eram uma tradição nossa.
O S. João em Olhão morreu, quem ganhou com isso foi Tavira, pois continua com um feriado no dia de S. João e as pessoas deslocam-se lá para a festa.”


Escrevi este “post” no 1º ano de vida do Olhão Livre e passado 3 anos, pouco ou nada mudou.
Este ano, um pequeno empresário da restauração, decidiu reavivar este costume popular e enfeitou parte da rua com chouriços de papel, balões artesanais, quadras populares e alguns artigos artesanais ligados à pesca da murjona, (arte de pesca artesanal, quase extinta em Olhão). As entradas do largo estão enfeitadas com quadros de um pintor olhanense, com panorâmicas locais, também elas quase desaparecidas.
Os turistas não se cansam de fotografar o largo enfeitado, pois em toda a sua vida nunca viram nada igual, alguns até param e ficam a petiscar, com as pessoas da zona.
O curioso disto tudo é que a CMO que não deu nem um cêntimo para o papel e que tinha o dever de manter as nossas tradições, ainda teve a pouca vergonha de cobrar dinheiro de uma licença e até a delegada dos artista, foi lá cobrar dinheiro porque havia musica no largo.
Nada disso admira, pois o presidente da CMOlhão desde há 18 anos, é de Tavira e provavelmente estas tradições de Olhão não lhe dizem nada.

Aqui ficam fotos do largo enfeitado em Olhão, esperando que para o ano apareçam mais iniciativas destas, mas que não seja preciso pagar para isso.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

A aposta no Mar de Cavaco é.......despedir 380 operários nos Estaleiros Navais de Viana?

ESTALEIROS DE VIANA

Insultos e vidros partidos à porta da administração

por LusaHoje

Centenas de trabalhadores dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC) concentraram-se hoje à porta do edifício da administração para entregar uma moção contra a dispensa de 380 funcionários, acção que culminou com insultos e vidros partidos.

O relato foi feito à Agência Lusa por vários trabalhadores dos mais de 650 que se reuniram em plenário geral para aprovar, entre outras medidas, uma manifestação pública para a próxima quarta-feira, 29 de Junho.

À porta do edifício da administração, onde o acesso a pessoas externas à empresa está vedado, para onde os trabalhadores se deslocaram no final do plenário, depois das 16:00, geraram-se os primeiros momentos de tensão, enquanto elementos da Comissão de Trabalhadores (CT) procediam, já no interior, à entrega do documento.

"Alguém da administração fechou a porta e isso, como os ânimos estão muito exaltados, precipitou uma reacção intempestiva de alguns trabalhadores, que forçaram a entrada", explicou à Lusa um dos funcionários da empresa.

Durante este momento, e numa altura em que já se ouviam vários insultos à administração, um grupo de trabalhadores acabou por partir o vidro de uma das portas de acesso ao edifício da administração.

Contactada pela Agência Lusa, fonte da CT confirmou o incidente, sublinhando que "foi rapidamente sanado".

"Compreende-se este estado de espírito, são pessoas que tinham a sua vida organizada e que de um momento para o outro já não sabem o que será o futuro. Há muita tensão na empresa, depois da forma como é feito um anúncio destes", acrescentou a fonte.

No plenário desta quarta-feira, o mais concorrido dos 67 anos dos ENVC, mais de 650 trabalhadores aprovaram, com apenas uma abstenção, uma moção em que contestam a dispensa anunciada de 380 dos 720 funcionários.

A mesma moção, entregue à administração da empresa, define o próximo dia 29 de Junho como de protesto público, entre as 10:00 e as 12:00, envolvendo funcionários, antigos funcionários e população vianense.

Entretanto, fonte da Administração revelou hoje que só em 2010 o accionista Estado foi obrigado a injectar 26 milhões de euros na empresa, apenas para pagar salários.


Pode ver aqui

Nota do Olhão Livre:Agora é moda falar na aposta no mar, mas enquanto isso a 1º coisa que fazem dessa aposta é tentar despedir380 trabalhadores dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo.

Os Trabalhadores só podem lutar, e ser solidários para impedir este violento despedimento, e outros que se irão seguir.

terça-feira, 21 de junho de 2011

FRANCISCO LEAL, O ASNO

Em, http://www.barlavento.pt/index.php/noticia?id=50002FRANCISCO lEAL , Francisco Leal, o mentiroso presidente da Câmara Municipal de Olhão tece uma serie de considerações sobre o desenvolvimento do concelho.
Começa por dizer que está em curso o Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável, sem saber o que é que isso quer dizer. É que o desenvolvimento sustentável tem como principais vectores o desenvolvimento económico, desenvolvimento social e o ambiente. Em qualquer das umas três áreas o que nós encontramos, é a degradação. Asno no pensamento, Leal, esquece que sem desenvolvimento económico, não há desenvolvimento social e omite que depois de nada ter feito para salvar a Bela Olhão que albergava cerca de 600 trabalhadores, não encontrou respostas capazes de diminuir o desemprego em Olhão. Pelo contrario, tudo tem feito para que o concelho regrida.
Mas a noção de desenvolvimento do ainda presidente vem logo de seguida ao defender a revisão do Plano Director Municipal como forma de aumentar a capacidade urbana das freguesias. O concelho de Olhão tem cerca de três mil casas entregues aos ratos, sem se conseguir comprador. Não se percebe pois, porque aumentar a capacidade construtiva se não há quem compre e logicamente poucos estejam dispostos a arriscar nesse tipo de investimento. Sabemos também, da teia de cumplicidades em torno do urbanismo, e não podendo afirmar que haja corrupção mas contudo reafirmar a pratica de crimes conexos aos crimes de corrupção, pelo que aquilo que Leal vem defender, torna-se suspeito.
O conhecimento prévio das áreas urbanizáveis, a passagem de terrenos agrícolas a terrenos urbanizáveis, mais não passa de uma forma de constituir uma bolsa de terrenos, em que os actuais proprietários se desfazem de bens de família por uma ninharia enquanto os especuladores enriquecem sem conta nem peso ou medida.
Daí, salta para a Variante Norte à 125, dizendo que a obra está parada por falta de estudos de impacto ambiental (já concluídos). Quem teve conhecimento da realização destes estudos? Onde, quando e como foram anunciados? A seu tempo, nos pronunciaremos sobre esse assunto. Mas a verdade é outra e Francisco Leal, sabe que está confrontado com um processo crime em torno da Variante, mas por ter permitido a quem lhe conveio, a construção em cima do traçado do PDM.
Francisco Leal, não dá ponto sem nó, e cada vez que abre a boca ou mente ou diz asneira, valendo-nos o seu reinado estar prestes a acabar.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Fernado Nobre bailou com tantos pares, até, que foi Pisado

Fernando Nobre, bailou com tantos pares até que foi pisado, já diziam as pessoas idosas nos bailes do campo, que" Quem baila com tantos pares, tarde ou cedo é pisado".
Fernado Nobre começou por assinar a ficha do PPM, depois passou para o B.E . sendo o seu mandatário, como se não bastasse, e metendo na cabeça que queria ser Presidente da República, foi apoiado pelos Soaristas( como vingança de Soares, ao poeta Alegre), por fim aterrou no PSD, ele que afirmou várias vezes, que não queria nada com partidos.
Em Olhão a concelhia do PS apoiou Fernando Nobre, boicotando a campanha do candidato oficial do PS, e andando aos beijos e abraços com Fernando Nobre sendo o DrºAntonio Pina(o pai), o seu mandatário no ALLGARVE, e fazendo parte da sua comissão de Honra Nacional.
Na incursão de F.Nobre a Olhão Francisco Leal, andou feito emplastro, só para aparecer ao lado de F.Nobre, escancarrando as portas da CMO de par em par, coisa que não fez a mais nenhum candidato presidencial, coisa igual fez a concelhia do PS em Olhão.
Hoje Fernando Nobre foi pisado, pelo único dançarino a quem deu tampa: o CDS. Fernado Nobre devia saber que para vir a ser candidato a presidente daqui a 4 anos tinha de dançar com o P.P. ao dar tampa ao P.P. deitou por terra as ambições de ser presidente da A.R, e candidato da A.D. daqui a 4 anos, é o que dá bailar com tantos ao longo dos anos, e rejeitar, o que melhor sabe bailar, nesta politica de hipocrisia nacional.

domingo, 19 de junho de 2011

A RIA FORMOSA E A MORTE DA AMEIJOA

Nota-se já, a morte de quantidades apreciáveis de ameijoas, a rondar os 70%, tornando-se imperioso apurar das suas causas.
Em primeiro lugar a poluição da Ria Formosa com as descargas dos efluentes das Etar, particularmente de Faro Nascente e Olhão Poente e as suas consequencias directas e indirectas. Tentando iludir aqueles que vivem da Ria Formosa, as autoridades com poder na matéria, vêm apontando o "Perkinsus atlanticus" como o principal causador da morte da ameijoa, como se a qualidade do efluente descarregado na Ria Formosa também nada tivesse a ver com o assunto.
A verdade é que o IPIMAR ainda não fez qualquer estudo sobre o parasita e muito menos sobre as medidas de combate ao flagelo.
Antes de 1983 a produção de ameijoa na Ria Formosa, chegou a atingir valores na ordem dos 3-4 Kg/m2/ano, para uma área de 4.700.000m2 distribuídos por cerca de 1.600 viveiros. E, se a estimativa apontava para uma produção media de 7.000 toneladas/ano, em 1990 ela baixava para as 2.000. A produtividade baixava assim para 0,5Kg/m2/ano, situando-se actualmente em 0,3Kg/m2, ou seja cerca de 10% da sua real capacidade.
Como causa provável da quebra de produtividade, as autoridades, apontam o dedo ao Perkinsus Atalanticus. Acontece é que a ameijoa tem sido utilizada como organismo ambiental, tendo em conta a alimentação por suspensão que acumulam e concentram contaminantes, reflectindo por isso o grau de contaminação do ambiente.
As condições ambientais da Ria Formosa são favoráveis à presença do Perkimsus, contribuindo para isso a degradação do substrato, a elevada carga orgânica da colina de agua e as descargas excessivas.
O Perkinsus Atlanticus, acredita-se, terá sido importado do mediterraneo, nomeadamente de Itália, e muito provavelmente terá sido introduzido na Ria Formosa, por importadores pouco escrupulosos, na mira do lucro fácil e rápido, sem ter em conta as implicações que o seu gesto descuidado provocava.
Algo semelhante, acontece no momento com a importação de ostras, portadoras de algas infestantes e que põem em causa as pradarias marinhas naturais da Ria Formosa e de vírus ainda não estudados no nosso País.
Assim, para alem do fim das descargas das ETAR, torna-se necessário acabar de vez com a introdução de espécies exteriores à Ria Formosa, o que aliás já é proibido mas que a imbecilidade promovida à gestão da coisa protegida, finge ignorar, satisfazendo clientelismos, também eles pouco transparentes.

sábado, 18 de junho de 2011

Descarga de esgotos tóxicos na" Marina" de Olhão. Porque não cumprem a Lei?

Com a posse de um novo governo, em que a ministra que tutela o ambiente é Assunção Cristas, o nosso blog inicia uma série de denúncias sobre esgotos tóxicos que envenenam a Ria Formosa, que o ano passado foi eleita uma das 7ª Maravilhas da Natureza, mas que tão mal tratada tem sido por Francisco Leal, o ainda presidente da CMOlhão desde há 18 anos.

O nosso blog, desde o seu início, tem feito uma série de acusações ao presidente da CMO, Francisco Leal considerando-o um criminoso, pois que não cumpre a lei e permite descargas diárias de esgotos tóxicos sem tratamento para a Ria Formosa. Francisco Leal tem feito orelhas moucas e em vez de tentar resolver os problemas só os tem agudizado.

As imagens que publicamos foram-nos enviadas, por um cidadão revoltado com os esgotos que correm directos para o porto de recreio de Olhão (também conhecido como Marina de Olhão), sem qualquer tipo de tratamento. De realçar que essa descarga é feita mesmo em frente ao tão propalado Real Marina Hotel, área da ZPE da Ria Formosa onde é proibido por lei haver descargas de esgotos.
A ARH tem como função fiscalizar, todos esses focos de poluição na Ria Formosa, mas ao que parece a sua presidente Valentina Calixto, olha para o lado e faz que não sabe. O mesmo acontece com outras entidades responsáveis pela fiscalização como a CCDR e ICNB, o CEPNA da GNR e o Capitão de Porto de Olhão que fecham os olhos e não cumprem o seu dever, protegendo ao mesmo tempo os responsáveis.

Até aqui F.Leal se não foi julgado, foi porque teve a protecção de Sócrates e dos vários ministros do Ambiente para ocultar esses crimes, pois está previsto na lei que poluir espaços protegidos, como é o caso da Ria Formosa, é matéria mais que suficiente para ser condenado. Com a tomada de posse da nova ministra, aqui fica mais uma vez a denúncia deste crime ambiental para ver se tenta resolver o problema da POLUIÇÃO, que tem contribuído para o desaparecimento da biodiversidade e afectado economicamente os viveiristas, mariscadores e pescadores, que dependem das águas da Ria Formosa para subsistir com dignidade e desafogo financeiro, coisa que não acontece há muito.
De realçar que o IPTM, por lei, é obrigado a fazer as análises das águas do porto de recreio, que nasceu num espaço protegido como é a Ria Formosa, mas como é normal neste Portugal, sem rei nem roque, a lei existe, mas as entidades responsáveis não a cumprem. Até quando, perguntamos nós, neste espaço da blogosfera, que se preocupa com o ambiente e com as pessoas.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Crimes na Ria Formosa vão ter de acabar!

Bruxelas dá dois meses a Portugal para adoptar leis que punam crimes ambientais

por Agência Lusa, Publicado em 1
6 de Junho de 2011 |

A Comissão Europeia deu hoje um prazo de dois meses a Portugal para transpor para a legislação nacional as novas regras europeias em matéria de punição criminal de poluição marítima e outras ofensas ambientais.

Num comunicado enviado à imprensa, Bruxelas aponta que a diretiva (lei comunitária) sobre medidas legislativas criminais para proteção do ambiente deveria ter sido transposta para as legislações nacionais de cada Estado-membro da União Europeia (UE) até 26 de dezembro de 2010, mas 10 países não o fizeram.

Além de Portugal, também Chipre, República Checa, Alemanha, Grécia, Itália, Lituânia, Malta, Roménia e Eslovénia receberam então esta advertência do executivo comunitário, que ameaça recorrer para o Tribunal de Justiça da UE se os Estados-membros incumpridores não responderem favoravelmente no prazo de dois meses.

Retirado do I on line

Nota do Olhão Livre: A ser verdade esta noticia, é sinal que as quiexas que o Movimento de Cidadania Activa "Somos Olhão" não cairiam em saco roto, e Francisco Leal e a C.M.Olhão tem 2 meses sim dois meses, para acabar com os esgotos Tóxicos, que a CMO envenena diariamente a Ria Formosa, ao mandar esgotos Tóxicos não tratados, para uma zona Protegida como é a Ria Formosa, abrangida por várias convenções da União Europeia, e por leis nacionais.

Mas se Francisco Leal foi incompetente,e desleixado, para o fazer em 18 anos que é presidente da CMOlhão, como o vai fazer agora em 2 meses?


OLHÃO/QUELFES: O NOVO CACIQUE

O presidente da Junta de Freguesia de Quelfes, no concelho de Olhão, à semelhança do seu camarada de partido e presidente da Câmara Municipal de Olhão, apresenta-se como o novo cacique do sitio.
Depois de transformar a Junta numa espécie de empresa familiar e do uso e abuso da viatura da Junta, omite que esta é uma autarquia e que por isso integra o sector publico administrativo tradicional. Parecendo uma questão menor, é-o no entanto da maior importância para a transparência que deve pautar a administração publica. É que a Junta de Freguesia de Quelfes, tal como as demais, estão abrangidas pelo Código dos Contratos Públicos, que obrigam à publicação dos contratos por ajuste directo, no portal base do governo.
A Junta de Freguesia de Quelfes tem o NIF 508644518 e consultado o portal base em: http://www.base.gov.pt/_layouts/ccp/ajustedirecto/search.aspx?ajuste=0 , não foram encontrados quaisquer publicações.
O presidente da Junta de Freguesia de Quelfes, não sabe ou não quer saber, mas a falta de publicação dos ajustes directos, torna os actos nulos, para alem de poder constituir crime. Ou seja, o presidente poderá estar obrigado á restituição dos valores pagos indevidamente.
Porque não manda, o presidente da Junta, publicar os contratos que vem fazendo ao longo dos anos sem dar cavaco a quem quer que seja? É que por aí, poderiam ser detectados ajustes, nomeadamente com familiares, e que podiam violar a lei de incompatibilidades e impedimentos.
Por mais azedo, acre ou avinagrado que o presidente esteja por ver denunciada, aqui no Olhão Livre, a sua postura caciqueira, não o deixaremos de fazer sempre que a transparência da gestão autárquica esteja em causa.

terça-feira, 14 de junho de 2011

SERÁ QUE SÃO SANGUESSUGAS?

Nos tempos que correm, com o aumento do desemprego, da fome e da miséria e uma, cada vez mais, situação de precariedade,vamos vendo o  nosso sangue a esvair-se, muito provavelmente, pelo cano de esgoto.
Hoje, Dia Mundial do Dador de Sangue, ficámos a saber que a solidariedade, o altruísmo e acompreensão pelo País que temos, em boa parte, cerca de metade é jogada fora. Enquanto os governantes, quando em viagem, levam vários litros de sangue que os portugueses generosamente dão, quando o cidadão comum precisa de uma transfusão tem que pagar, e de que maneira, para ter direito a alguma porção.
O próprio presidente do Instituto Português do Sangue sente-se revoltado por saber que se joga sangue fora e depois gasta-se 70 milhões de euros para adquirir o plasma.
Se dar sangue é um acto de generosidade, de solidariedade, não será legítimo que o cidadão doador exija saber em que condições é que o seu sangue é aproveitado e, impor mesmo, condições para a sua doação?

segunda-feira, 13 de junho de 2011

OLHÃO: IPIMAR, INCOMPETENTE OU CROMINOSO?



É do conhecimento publico a situação de calamidade que se vive na Ria Formosa, devido à mortandade da ameijoa, e ainda agora começou o calor. Tal como para os humanos a uma subida de pemperatura aumenta a carencia de oxigenio, o que põe em causa a vida de algumas especies da Ria Formosa, particularmente da ameijoa, se no meio em que vivem, a quantidade de oxigenio estiver reduzida. A poluição na Ria Formosa, causada pelas ETAR, é um das razões da carencia de oxigenio na actividade conquicola da Ria Formosa, assistindo-se a taxas de mortandade da ameijoa na ordem dos 70% nalguns sitios.
O IPIMAR, um daqueles institutos de utilidade duvidosa, face à sua pratica, procede com uma grande regularidade imposta por lei, à analise da carne dos bivalves, quanto mais não seja para a detecção de coliformes fecais e toxinas. Sabe tambem, por via dessas analises a causa da morte da ameijoa, mas outros valores, interesses diga-se, de caracter politico se levantam, e é imposta a lei do silencio, da mordaça, da censura, daqueles que entendem ser dever denunciar os crimes diariamente cometidos contra a Ria Formosa, de tal forma que se recusam a dar acesso aos relatorios que anualmente enviam para a CEE e que são documentos publicos.
A teia de cumplicidades é tal que envolve a ARH enquanto entidade responsavel pelo licenciamente das Etar, da CCDR, que por delegação de competencias emite as licenças, as Aguas do Algarve, entidade concessionaria e exploradora das Etar e principal responsavel pelos crimes de poluição contra a Ria Formosa, e as Camaras Municipais de Faro e Olhão. A Universidade do Algarve tambem não fica fora desta teia, bastando para isso ver o percurso politico dos seus reitores, a que não será alheio o silencio do Departamento de Biologia Marinha.
Ano após ano, assistimos à morte da ameijoa, ao abandono da explorações, à regressão social, ao degradar da economia local, enquanto a sacanagem que desgoverna os nossos destinos, sejam rosas ou laranjas, se divertem com o mal estar das populações.
QUANDO É QUE O POVO ACABA COM ESTA SACANICE?

sábado, 11 de junho de 2011

Algarve 72 praias com risco de derrocadas. E se morre alguém de quem é a culpa?

A ARH do Algarve tem como uma das muitas funções, assegurar a segurança das praias do Algarve no entanto 72 Praias no Algarve, correm o risco das falésias caírem em cima do banhistas, como se pode ver neste video.
Há 2 anos na Praia Maria Luísa, em Albufeira, morreram 5 pessoas, no entanto a culpa morreu solteira, e a presidenta da ARH do Algarve, Valentina Calixto, passou por essa tragédia sem um beliscão.
Mais uma vez este ano a ARH do Algarve, não exerceu o seu dever de sinalizar as Falésias em Risco.
Perguntamos nós qual o motivo?Seria falta de verba? Será desleixo? Será incúria?
A ARH não se preocupa com as Falésias em risco, não limpa as ribeiras do Algarve, mas a sua Presidenta Valentina Calixto, que é ao mesmo tempo presidenta do Polis Ria Formosa, está a preparar mais uma inauguração, com pompa e circunstância da Praia da Ilha da Fuzeta, com mais festa e festarolas na companhia do Vice presidente do Polis, Francisco Leal, que foi quem pediu, para fechar a barra que a natureza abriu, com medo que os prédios construídos ilegalmente a menos de 15 metros do Preia mar na zona ribeirinha da Fuzeta, fossem inundados.
Será que Valentina Calixto no dia 15 de Junho, quando for hastear a Bandeira Azul na Ilha da Fuzeta e na Praia dos Tezos, não merecia ser questionada, pelos pescadores da Fuzeta pelos prejuízos causados por durante mais de 1 ano, não terem uma Barra em condições, e de a ARH ter gasto mais de 5 milhões em obras todas elas sem estudos?
No outro tempo, era certo e sabido que os pescadores da Fuzeta lhe fariam uma agradável surpresa, onde não faltariam as tacadas de xoxa de velha, para ela toda roxa, ir pregar as suas mentiras para outro lado.
Em nome do Turismo, que dura 2 meses arruinaram os pescadores da Fuzeta, que sem uma barra em condições se viram impedidos de governar a vida a maior parte dos dias do ano, estando todos eles em condições de ruína.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

É ESTE O APOIO SOCIAL DA CM OLHÃO?

A Camâra Municipal de Olhão efectuou mais uma compra de sacos de comida que presumivelmente seriam distribuidos às pessoas carenciadas do concelho. Temos conhecimento que uma parte substancial desses sacos está armazenado na Igreja do Siroco, há mais de uma semana.
Em situações anteriores foram encontrados alimentos bolorentos, fora de prazo ou com bicho. Interrogamos-nos se o objectivo da Camâra Municipal de Olhão não será deixar apodrecer aqueles produtos, uma vez que não os distribui.
Brincando com as dificuldades dos mais carenciados, a Camâra Municipal de Olhão ao armazenar os alimentos numa igreja certamente estará há espera que os mesmos sejam benzidos, mas essa "bênção" poderá tornar-se num enorme pesadelo. E se as pessoas, aflitas e com escassos recursos financeiros provocados por uma crise criada pelos politicos, aliás os beneficiarios do sistema, sabedoras de que aqueles alimentos estão ali abandonados, resolverem pelos seus proprios meios proceder à sua "distribuição"?
Entretanto, vai decorrer no Bate-Estacas, mais uma manifestação de promoção do hotel do Chico Leal, dando a conhecer a confecção de alguns alimentos por um cozinheiro do Grupo hoteleiro que explora o dito cujo. Só não sabemos se a confecção envolve os produtos alimentares que se destinavam à distribuição das populações carenciadas.
Brincar à caridade, é uma das especialidades destes autarcas de meia tigela, cuja falta de sensibilidade social e hipocrisia os leva a agir desta forma, ignorando a situação de fome e miseria de uma faixa substancial da população de um concelho com a mais elevada taxa de desemprego e de rendimento social de inserção. Estes artistas da politica caseira não compreendem que quanto maior fôr a regressão social, mais urgente e necessario se torna o apoio social, pelo que estão mesmo a jeito para começar a levar umas trapadas.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

C.M. FARO, RAINHA DA SUCATA







A Camara Municipal de Faro mantem, há anos, a sucata que as imagens mostram, e já varias vezes denunciada neste blog.
O presidente da edilidade farense que já teve nas suas mãos a pasta do ambiente, e nunca será demais lembrá-lo, apesar de estar no cargo há cerca de ano e meio, pouco ou nada fez para pôr cobro a uma situação que não só indigna a população farense como todos aqueles que defendem uma Ria Formosa limpa e despoluida.
A sucata apresentada situa-se em Reserva Ecologica e por isso sobs a alçada do ICNB, em Dominio Publico Maritimo e sob a alçada da ARH de Valentina Calixto, em zona do IPTM, para alem da entidade responsavel pelo ambiente algarvio a CCDR.
Parece resultar claro que a teia de cumplicidades que envolvem todas estas entidades que promovem festas, festinhas e festarolas em nome do (pessimo) ambiente são os principais criminosos da Ria Formosa. As populações da zona de intervenção da Ria Formosa não podem ignorar que a negligencia e a omissão dos rsponsaveis politicos é tão condenavel, quanto a de quem poluí.
Valha-nos que ao menos estejam a desmantelar o barco ali ao lado, mas convem manter a vigilancia, não vão deixar os restos submersos e que podem representar um perigo para a navegação na zona.
Enquanto assistimos, e com alguma preocupação, à investida que a Camara Municipal de Faro faz em relação às casas das ilhas a coberto do Polis, ao desperdicio de fundos publicos para destruir os parcos haveres de alguns pescadores a pretexto do ambiente, nao vemos por parte de Macario Corria o mesmo tipo de preocupação com a poluição da Ria Formosa.
Que raio de programa de requalificação e valorização da Ria Formosa no concelho de Faro é este, que degrada o ecosistema, com toda a especie de lixo.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

CORRUPÇÃO EM OLHÃO?



A Câmara Municipal de Olhão com especial ênfase para o seu presidente, continua a pôr-se de cócoras perante os grandes patos-bravos do tipo do Grupo Bernardino Gomes.
Ampliando as imagens, dá para perceber que um bloco ainda não foi rebocado, porque ao seu lado falta a construção daquilo a que corresponde os lotes 1-A e 1-B. Também é visível que a licença de construção, valida por um período de 2 anos expirou em 28/03/2010, uma vez que teve inicio em 28/03/2008.
Prevê o Regime Jurídico da Urbanização e Edificação (artigo 58º, nº 5) que aquele prazo pode ser prolongado por um período igual a metade do prazo de execução da obra, ou seja mais um ano, o que determinaria o seu fim em 28/03/2011, obra que nem começou.
Os negócios entre a Câmara Municipal de Olhão e o Grupo Bernardino Gomes, desde o seu inicio que se têm pautado por uma opacidade tremenda sugestiva de praticas criminosas.
Se Francisco Leal e restante vereação são ou não corruptos, só os próprios podem esclarecer, uma vez que estarão em condições de dizer se receberam, e se o fizeram, de quem receberam, quanto receberam e como receberam. Esses são os pressupostos para que exista o crime de corrupção. De qualquer forma os negócios com a Bernardino Gomes evidenciam a pratica dos crimes conexos aos crimes de corrupção, no mínimo.
A construção excedentária na Quinta João de Ourém e em terrenos agrícolas, as áreas de cedência dadas como cumpridas e que não se sabe se passaram ou não a áreas de compensação, a construção excedentária no caso do Marina Village, a elevação da cota do terreno em cerca de dois metros com a desculpa dos pendentes dos esgotos como se não houvessem estações elevatórias e a dispensa de construção de dois pisos de cave, quando a subida da cota do terreno permitia pelo menos a construção de um piso de cave, a volumetria do Hotel Real Marina e a vergonhosa e rocambolesca venda dos terrenos para a sua construção, com uma hasta publica não publicitada e à margem de todas as regras que devem presidir à transparência de uma hasta publica.
Favorecimento, prevaricação e participação económica em negocio, são apenas alguns dos pequenos crimes das ligações escuras da Câmara Municipal de Olhão com o Grupo Bernardino Gomes.
ATÉ QUANDO?

domingo, 5 de junho de 2011

Resultados Totais , e de todas as freguesias em Olhão..

Resultados eleitorais no concelho de Olhão Total carregue aqui.
Freguesia da Fuzeta carregue aqui.
Freguesia de Moncarapacho carregue aqui.
Freguesia de Olhão carregue aqui.
Freguesia de Pechão carregue aqui.
Freguesia de Quelfes carregue aqui.
Perante estes resultados só se pode questionar o seguinte, que faz a oposição do PSD na CMOlhão?

Resultados eleitorais em Olhão.PS perde estrondosamente!

Concelho Olhão

Partidos % Votos Votantes
PPD/PSD
34,32%
6.389
PS
22,44%
4.178
CDS-PP
13,73%
2.556
PCP-PEV
9,49%
1.766
B.E.
9,03%
1.682
PCTP/MRPP
2,05%
382
PAN
1,82%
338
MPT
0,99%
184
MEP
0,62%
116
PNR
0,46%
85
PPV
0,42%
79
PPM
0,31%
58
POUS
0,20%
38
Abstenção no Concelho de Olhão
Não Votaram 17.947 ( Apurados: 36.564 )
49.08%
Nulos: 236 (1,27%) | Brancos: 530 (2,85%)
Estes resultados em Olhão, demonstram que as pessoas estão fartas de quem vive de festas, e festarolas, nem que para isso tenha de roubar quase todos os cidadãos no aumento do IMI,e no aumento da factura da agua para o triplo.
O PS em Olhão só continua a governar porque a oposição do PSD se vendeu ao PS local, a troco de favores imobiliários, e de empregos na CMO, para dirigentes e familiares de dirigentes do PSD.

sábado, 4 de junho de 2011

Os 3 Presos do Rossio já forma soltos!A Luta Continua!

Acampada

Jovens detidos no Rossio já saíram em liberdade

Publicado em 04 de Junho de 2011 | Actualizado há 41 minutos
Os jovens detidos na sequência da intervenção policial na "acampada" do Rossio saíram em liberdade horas mais tarde. Dois terão de comparecer em Tribunal na próxima segunda-feira

Três jovens foram esta tarde detidos pela PSP na praça do Rossio, em Lisboa, depois de a polícia de choque ter sido chamada a intervir no local. Tudo terá começado aquando da montagem da lona para a assembleia popular do dia. Segundo as testemunhas ouvidas pelo i, a policia municipal terá tentado apreender as lonas, câmaras e material de som do grupo. Os desacatos começaram quando alguns elementos tentaram proteger o material. A policia de choque, que já se encontrava no local, foi chamada a intervir.

Um dos três detidos terá sido "arrastado pelo chão". Os três foram algemados e seguiram na unidade das forças especiais para a esquadra municipal da Praça de Espanha, de onde saíram horas mais tarde. Segundo as informações prestadas pela advogada Luísa Acabado ao i, dois dos detidos foram formalmente acusados de "obstrução às autoridades" e terão de comparecer no Tribunal de pequena instância, segunda-feira às 10 horas.

As detenções aconteceram pelas 15h30. Segundo declarações prestadas à comunicação social, alguns dos agentes que intervieram na praça esconderam as suas identificações. Os mesmos recusaram-se a prestar declarações sobre o que aconteceu no local aos jornalistas do i.

Segundo os manifestantes, no momento da detenção, a polícia "alegou ocupação ilegal de espaço público"

.

Nessa tarde foi votada a hipótese de a assembleia popular abandonar o Rossio, onde os manifestantes se concentram há mais duas semanas semana. "Querem tirar-nos do Rossio, mas não vão conseguir", gritou a maioria em megafones. A Democracia Já acabou por não dispersar e os jovens detidos juntaram-se ao grupo de trabalho nesse mesmo dia.

Noticia do I on line

Graças à solidariedade das pessoas que compareceram no Rossio, os Presos forma soltos e o acapamento do Rossio continua.

O ultimo acto da Democracia de Sócrates?Todos ao Rossio!

Três detidos depois de confrontos entre manifestantes e polícia de choque no Rossio

Publicado em 04 de Junho de 2011 | Actualizado há 1 hora
Uma lona estendida por causa do sol poderá estar na base da intervenção da polícia de choque. Agentes recusaram identificar-se e prestar declarações ao i


'Acampada' desocupa o largo do Rossio, em Lisboa

Três jovens foram esta tarde detidos pela PSP na praça do Rossio, em Lisboa, depois de a polícia de choque ter sido chamada a intervir no local.

Segundo um jornalista do i no local, o corpo de intervenção terá sido chamado ao local pela polícia municipal depois de o grupo de pessoas concentradas no Rossio há alguns dias, numa assembleia popular organizada pelo movimento Democracia Verdadeira Já, terem usado uma lona para se protegerem do sol.

As detenções aconteceram pelas 15h30, hora desde a qual os manifestantes gritam palavras de ordem contra as forças de segurança.

Alguns dos agentes que intervieram na praça esconderam as suas identificações e recusaram-se a prestar declarações sobre o que aconteceu aos jornalistas do i. Entretanto, todos os agentes abandonaram a praça, apreendendo todo o material dos manifestantes.

Segundo os manifestantes, a polícia "alegou ocupação ilegal de espaço público" e que esta não fez "detenções ao acaso". Uma familiar de um dos detidos explicou na praça que os três jovens foram levados para a esquadra municipal da Praça de Espanha e que ainda não foram formalmente acusados de nada, estando detidos "sem saber porquê".

Neste momento, está a ser votada a hipótese de a assembleia popular abandonar o Rossio, onde os manifestantes se concentram há mais de uma semana. "Querem tirar-nos do Rossio, mas não vão conseguir", grita a maioria em megafones.

Retirado do I on line.

Será assim à bastonada, a despedida, de um governo que se dizia socialista liderado por Sócrates,mas com o consentimento de tantos que se dizem democratas?

Todos ao Rossio é o apelo que podemos fazer aqui de Olhão, sejam solidários,em vez de fecharemos olhos.

Lisboa, no Rossio policia prende 3 manifestantes.Há ou não há direito à indignação?

A polícia recolheu este sábado tendas, cartazes e outros materiais de activistas que estavam concentrados há vários dias na praça do Rossio, em Lisboa, e deteve três pessoas.

A intervenção policial começou cerca das 15.30 horas, quando as forças de segurança carregaram sobre alguns dos cerca de 100 manifestantes que permaneciam na histórica praça lisboeta há cerca de duas semanas.

Inicialmente foram detidos dois jovens e depois, por entre muita agitação, e no decorrer das agressões policiais, foi detida uma terceira pessoa.

Cerca das 16 horas, as autoridades abandonaram o local e os jovens voltaram a sentar-se no meio da praça e prometem decidir convocar novas acções de protesto.

Para as 19 horas está prevista no local uma assembleia popular, que já estava prevista antes da intervenção policial, e que deverá agora ganhar novos contornos, advertem os manifestantes.

O Movimento Democracia Verdadeira Já, que promoveu a concentração, protesta contra a qualidade da democracia, as condições de vida e a precariedade, pedindo novas políticas e mais reflexão aos portugueses.

Noticia do Jn

Nota do Olhão Livre: Policia tenta à força como em Barcelona desalojar os manifestantes do Rossio. Será que o direito à indignação é só para países com petróleo, como a Líbia Egipto e outros mais ?Ou a indignação nesses países, é motivada por forças externas para derrubar os governantes que não se vendem, aos EUA, como se pode ver no vídeo de Criminoso Económicos, apresentado hoje no Olhão Livre?


ASSASSINIO ECONÓMICO

sexta-feira, 3 de junho de 2011

QUEM PERDE NESTAS ELEIÇÕES?

Nestas eleições não se discute quem ganha, porque antecipadamente já se sabia quem ganhava, o que se discute é quem perde e quem perde somos todos nós. A comunicação social tem feito o favor de levar ao colo os partidos que assinaram o acordo com a "troika". Quem são os proprietários dos meios de comunicação social deste País? Todos eles alinhados com os três partidos do arco do poder. Não significa que não sejam democratas, não é disso que se trata. Trata-se, sim, de promover os partidos que lhes dão mais contrapartidas. De quem é a SIC, o Expresso, a Visão? Do grupo Impresa, de Pinto Balsemão, ex-presidente e fundador do PSD. De quem é o Público? Do grupo Sonae, de Belmiro de Azevedo, que também veio a terreiro declarar o seu apoio a Passos Coelho. De quem é a TVI? De quem são os outros jornais?
Esta campanha eleitoral foi a mais fraca, a mais reles depois do 25 de Abril de 74. Neste momento que está tanta coisa em causa, que há inúmeras famílias destruídas, famílias que perderam as suas casas, os seus carros, empresários que faliram, não houve uma discussão sobre as medidas que nos estão a fectar e que ainda se vão agravar muito mais.
Redução da Taxa Social Única, a quem serve? A Taxa Social Única e a parte que o empregador descontava, para a Segurança Social, sobre os rendimentos do trabalhadores. Passos Coelho avançou com uma redução de 4%. Sócrates quis crucificá-lo. Afinal, ele, Sócrates, tinha assinado o acordo em que se previa uma redução substancial da Taxa. Para percebermos melhor o que isto significa, tomemos por exemplo uma pequena empresa que pague 5000 euros de ordenados. À parte do patrão seriam 1250 euros a pagar à Segurança Social. Com a proposta inicial de Passos Coelho dos 4%, esse mesmo patrão passaria a pagar 1050 euros, menos 200 do que aquilo que pagava. Alguém pode acreditar que sejam esses 200 euros que marquem a diferença, entre o manter a empresa aberta ou o seu encerramento? Não! A redução da Taxa Social Única supostamente serviria para fomentar a criação do emprego mas, na realidade, ela serve, sim, para aumentar a riqueza dos mais ricos. Imaginem a massa salarial de um grupo SONAE, por exemplo e imaginem quanto milhares de euros representa essa redução. Imaginem o grupo Jerónimo Martins ou os bancos, ou as Seguradoras... No fundo são esses que vão ganhar com estas eleições.
Para compensar esse "déficit" da Taxa Social Única, é no IVA que vão sobrecarregar. Os produtos de primeira necessidade, que até aqui pagavam 6% de IVA vão ser sobrecarregados com mais 17%, que iremos todos nós pagar. Como se a pagássemos pouco à EDP, ainda vai ser lançada mais uma taxa sobre o consumo de energia. Quem paga? Nós!
Nós é que vamos pagar tudo, nós é que vamos pagar aquilo que um Oliveira e Costa, Dias Loureiro, joão Rendeiro e outros desviaram. Averiguemos quem eram os "homens" do BPN, do BPP, do BCP e chegaremos à conclusão que na sua esmagadora maioria eram gente do PSD. Do lado do P"S", temos o Freeport, Face Oculta e outras histórias rocambolescas. Julio Castro Caldas foi ministro da Defesa ao mesmo tempo que Sócrates foi ministro do Ambiente de António Guterres. Julio Castro Caldas foi sorteado para inquirir os "Procuradores" do Processo Freeport. Anteontem, ele dizia no Jornal "i" que havia fortes indícios para que José Sócrates e Pedro Silva Pereira, ministro da presidência (nº2 deste governo) fossem constituídos arguidos.
O subamarinos é outra velha história, mal contada, mas que também nos diz que temos todos os motivos para não acreditar em Portas.
A maioria dos cidadãos ainda não se apercebeu do que vem a caminho, ainda não sentiu o efeito das medidas que ainda não começaram a ser aplicadas e como tal ainda pensam que, votar Passos Coelho ou Portas, é solução. Não é solução coisa alguma. Eles são os mandatários do FMI e da Comissão Europeia para nos espezinharem ainda mais. No fundo, os "mandões" do FMI e da Comissão Europeia são iguais aos políticos da nossa praça. Viu-se com o director do FMI e viu-se agora com os gastos dos comissários europeus: um foi preso por assédio sexual e os outros andaram a passear-se em aviões a jacto, privados, em limusinas e hotéis de luxo. Durão Barroso só de quatro noites gastou 28000 euros para dormir.
É nesta gente que votamos? Não pode ser! Eles foram, são e serão os nossos algozes se não nos enchermos de coragem e levantarmo-nos contra eles.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

OLHÂO E O DESPERDICIO


O pequeno vídeo mostra um exemplo da forma como foram utilizados os dinheiros públicos, ao longo destes anos de integração europeia.
O estaleiro é exactamente um estaleiro de sucata ferrugenta, abandonada, que ao longo dos anos, não mostrou qualquer utilidade, podendo afirmar-se que pouco ou nada trabalhou. O IPTM, abriu desmesuradamente a boca para pedir verbas exorbitantes e que travaram as hipóteses de qualquer candidatura à exploração de uma infra-estrutura, relegada para estrumeira.
Como é moda neste País, não há responsáveis pela politica de esbanjamento de dinheiros públicos, sendo certo que ali foram gastos centenas de milhares de euros.
Logo ali ao lado, estão umas caixas de betão que era suposto serem utilizadas na obra de canalização para as ilhas, também elas abandonadas, porque e apesar da obra ter sido adjudicada por 60.000.000 de euros não foram concluídas por falta de capacidade técnica da empresa adjudicatária, mas que continua a participar e ganhar concursos públicos.
Em vésperas de um acto eleitoral, em que mais importante do que saber quem é o futuro primeiro-ministro será o de saber como pensam resolver os problemas do País, isto é se vamos continuar com a bagunça que se têm revelado estas obras publicas, sorvedor de recursos financeiros mas de utilidade e eficácia duvidosa, numa prática a roçar o criminoso.
Que venha o A, B ou C, não lhes ouvimos pronunciar uma palavra sobre estas questões e muito menos sobre o apurar de responsabilidades de quem promoveu, permitiu e autorizou estes crimes, que o Povo agora vai pagar.