quarta-feira, 31 de março de 2010

Sismo Hoje no Algarve,mas a CMO continua sem Plano de Emergência Civil.

O movimento de Cidadania Activa "Somos Olhão" questionou a CMO e todos os vereadores eleitos, sobre o Plano de Emergência Civil, para o Concelho de Olhão de modo a poder informar os seus assiciados e toda a população em geral, o que fazer em caso de qualquer cataclismo.
A C.M.O. até hoje nada respondeu e nós cidadãos do concelho de Olhão temos razão para ficarmos preocupados, pois o mais certo é não haver Plano de Emergência, para toda a população do Concelho.
É caso para perguntar se o presidente da C.M.Olhão, não é o responsável máximo pela segurança dos que nele votaram, e que nele depositaram a confiança?
Já não falando da segurança da maioria das pessoas que não acreditam nele,ora não indo votar, ou votando noutros partidos.
Para não dizer que é mais um boato aqui fica a noticia do sismo:

Sismo: Abalo de 4.2 na escala de Richter sentido em Lagos

Abalo de 4.2 na escala de Richter sentido em Lagos
Um sismo de 4.2 na escala de Richter foi hoje de madrugada sentido na região de Lagos, no Algarve, sem provocar danos pessoais ou materiais, de acordo com o Instituto de Meteorologia (IM).

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Faro disse à agência Lusa que até ao momento não foi comunicada qualquer situação anómala, indicando igualmente que não recebeu chamadas telefónicas de pessoas que tenham sentido o sismo.

O sismo que ocorreu às 04:12 foi registado nas estações da Rede Sísmica do Continente e o epicentro localizou-se a 74 quilómetros a Oeste-Sudoeste do Cabo de S. Vicente.

De acordo com informação disponível pelo IM, o abalo foi sentido com intensidade máxima IV (escala de Mercalli modificada) na região de Lagos.

A escala de Richter mede a magnitude do sismo, enquanto a de Mercalli classifica a intensidade a partir dos seus efeitos em pessoas e estruturas na superfície da Terra.
(Agência Lusa)
09:23 quarta-feira, 31 março 2010

terça-feira, 30 de março de 2010

Agua Imprória para consumo na U.Algave. Em Olhão quem faz as Análises?

Segundo noticias da Região Sul:

Algarve: Universidade suspende uso de água da rede pública no "campus" de Gambelas

Os serviços de ação social da Universidade do Algarve suspenderam a utilização de água da rede pública no "campus" de Gambelas depois de terem sido detetados micro invertebrados, amebas e fungos na água distribuída no "campus".

Em comunicado, a universidade diz que a situação foi detetada há alguns dias no decorrer dos trabalhos de investigação dos seus laboratórios, tendo logo de seguida informado a Fagar, empresa que gere o sistema municipal.

Segundo a universidade, a empresa "reconheceu que os níveis de cloro na água distribuída não atingiam os valores de referência" e tratou de tomar medidas para repor os níveis para garantir a qualidade da água para consumo público.

Contudo, segundo a Universidade do Algarve, a reposição dos valores de referência de cloro iniciada no final da semana passada pela Fagar "não irá solucionar de imediato a questão", já que poderá gerar "transitoriamente uma situação de desequilíbrio inverso".

Como tal, a universidade decidiu, tal como já tinha feito no início do processo, na passada semana, suspender novamente o consumo de água proveniente da rede de abastecimento público no "campus" de Gambelas.

"A primeira comunicação da Fagar criou expetativas de que a questão poderia estar resolvida, o que, na verdade, ainda não se verificou, razão pela qual está novamente suspenso em Gambelas o consumo de água", diz a universidade.

A universidade diz ainda aguardar que a solução, que deverá ser encontrada em conjunto pela universidade, Fagar e Administração Regional da Saúde (ARS) possa "a breve prazo" permitir a "utilização plena da água de consumo público".

A agência Lusa tentou falar com a administração da Fagar, reitoria da Universidade do Algarve e autoridade de saúde pública regional mas tal não foi possível até ao momento.
(Agência Lusa)
18:19 segunda-feira, 29 março 2010

domingo, 28 de março de 2010

CONTRA O PEC, AVANÇAR!

Durante a semana passada, foi aprovado o PEC, Pacto de Estabilidade e Crescimento. Este PEC visa pura e simplesmente corrigir os desvarios na governança do país ao longo dos últimos 30 anos, sendo que no inicio da década de oitenta também já fôramos objecto das restrições impostas pelo FMI. Durante este período os recursos financeiros do estado foram delapidados pelos politiqueiros da nossa praça, distribuindo entre si mordomias, benesses para os amigos e promovendo os boys como profissão.

Este PEC ao contrario do nome, traz é mais degradação económica e social e é de tal forma que o Ministro das Finanças sugere a criação de um fundo europeu para ajudar os bancos em crise. E as populações, quem ajuda?

O sr. Ministro sabe que a degradação das condições de vida das pessoas se vai agravar de tal forma, que inevitavelmente aumentarão as situações de incumprimento com a banca, perdendo assim o fruto de uma vida de sacrifícios; mas também sabe que associado a esse incumprimento, a banca poderá não conseguir satisfazer os compromissos com a banca internacional, numa espiral que nos conduz a um beco sem saída. É o que dá ficarmos reféns dos interesses dos grandes grupos económicos alinhados no seu bloco central.

Aqui em Olhão, também temos uma autarquia, que a outro nível mas com a mesma politica, se deixou seduzir pelo canto dos patos bravos, e que em plena crise primou pelo desperdício, despesismo e endividamento; veremos agora, em período de contracção das receitas, como se vai comportar. Mais orçamentos rectificativos?

Contra isto devem os olhanenses, preparar-se e organizar-separa a luta contra o PEC, em rotura com aqueles que lhes têm sugado o sangue, suor e lágrimas.

Os tempos que se avizinham vão ser de muita tensão e luta e só unidos em torno de uma direcção única poderão alcançar vitorias!

Está na hora de ir à Luta!

LIXEIRA CLANDESTINA!


Apesar de dois auto-noticia, um deles com mais de um ano, levantados pela Brigada de Ambiente da GNR, e da decisão da CCDR de encerrar a nova lixeira de Quelfes, fomos hoje pelas dez da manhã confrontados com mais uma descarga, desta vez eram monos, por um camião da Câmara Municipal de Olhão.
Curiosamente a meritória acção do Limpar Portugal tem esta curiosidade do lixo recolhido ter sido depositado em lixeira clandestina.
Mais palavras para quê?

quinta-feira, 25 de março de 2010

QUE SAÚDE EM MONCARAPACHO?

Em Moncarapacho está a ocorrer vários baixos assinados (na Junta de Freguesia e Farmácia) para impedir que o Dr. Gonzales Médico do Centro de Saúde que seja transferido para Pechão contra vontade do mesmo, da população e do Médico de Pechão que o irá sustituir.
Pelos vistos o Sr. Dr. Coordenador da ARS foi pressionado por um colega do Dr. Gonzales a fazer a tal tranferência, as razões por ora são desconhecidas, mas calcula-se que seja por pura inveja, pois o Dr. Gonzales, ao contrário dos outros Sehores Doutores, chega a horas, atende todas as pessoas a horas, mantendo uma boa organização, sendo muito requisitado pelas pessoas, daí não haver necessidade de as pessoas estarem horas a fio á espera para um atestado ou revalidar as prescrições de receitas.
O resultado foi que o Dr. Gonzales ao saber disto tudo, um homem com cerca de 35 anos teve um AVC, mas um caso triste de inveja.
O Olhão livre que denuncie este caso pois Moncarapacho esta condenado a ter mais um Centro de Saúde igual a tantos outros.
O Remexido

O texto acima, foi-nos enviado por um leitor, a quem agradecemos, desde já, a sua colaboração. Monarapacho e Pechão são como que as duas freguesias parentes pobres do concelho. Aos mocarapachenses exortamos à luta. O problema da Saúde em Portugal é muito vasto. Como em todas as profissões, há bons e maus profissionais mas, se num dado sítio, a população se sente bem servida, então deve-se manter essa empatia. O Ministério da Saúde tem vindo a degradar o serviço de saúde. Fecha maternidades, fecha hospitais, degrada as condições de trabalho de médicos e enfermeiros, trata-os com desprezo, tal como os nossos governantes nos tratam a nós todos. A política econimicista dos sucessivos governos, em particular este, tem feito com que o número de médicos no activo vá reduzindo drásticamente. Infelizmente, a nossa mentalidade é a de só reagirmos quando nos batem à porta. Aos moncarapachenses cabe saber se não haverá outras motivações, motivações que se prendem com o facto de a Junta de Freguesia de Pechão ser do P"S". É que se o médico é acarinhado pela população de uma freguesia, digamos que dominada pelo PSD, é natural que os "socialistas" queiram retirar alguém que ainda pode servir de trunfo ao presidente da Junta de Moncarapacho. Pechão deve ter o seu médico, sim, mas não à custa do sacrifício de Moncarapacho. Será que não há colherada de Francisco Leal neste imbróglio?
Os moncarapchenses que se unam e se desloquem em peso à próxima sessão de câmara pública e à assembleia municipal reinvindicando a permanência do médico. Homens, mulheres e crianças de Moncarapcho, todos juntos e dispostos a lutarem pelo que consideram justo.

terça-feira, 23 de março de 2010

OLHÃO - O 25 DE ABRIL, A "LEI DA ROLHA" E O BE

O 25 de Abril está à distância de um mês. Com o 25 de Abril comemora-se a liberdade, a liberdade de expressão, a liberdade de opinião. Porém, vivemos temos conturbados em que os partidos procuram silenciar vozes contestatárias às posições que as direccções dos partidos defendem.
A disciplina partidária, a disciplina de voto, são limitativas do direito de expressão ou de opinião dos simpatizantes, militantes e eleitos dos diferentes partidos. É muito fácil acusar o P"C"P ter uma disciplina partidária muito rigida. Cadê os outros? Então no CDS, na anterior legislatura Ribeiro e Castro não esteve arredado da politica nacional? E a atitude do caceteiro da politica que é José Lello, do P"S", em relação a Manuel Alegre ou Matilde  Sousa Franco? E a atitude do BE com Joana Amaral Dias?
A nível local, todos nós sabemos que no PSD quem se opuser a Alberto Almeida não singra dentro do partido. Não é de agora. Já vem de há muito. Os "socialistas" locais esquecem-se das retaliações por militantes seus terem sido alvo de processos disciplinares e convidados a sair por terem apoiado a candidatura da Dª. Conceição Pires.
Surpresa das surpresas, temos agora o BE (não confundimos o partido com o seu dirigente local), pela mão do  seu dirigente local a querer silenciar-nos. Pior que a disciplina partidária, pior que a disciplina de voto, o palhaço que dirige o BE ameaça com o tribunal e pedir indemnizações, chegando mesmo ao ponto de dizer que "fulano" não tem mas que os outros tem bens. De certeza que não foi o partido que lhe pediu isto. Mas porquê? Porque houve uma senhora, nós não a conhecemos, que terá dito algumas coisas acerca do João Pereira. Se são verdades ou mentiras, nós não sabemos. O que sabemos é que a referida senhora está identificada e que até deu o número de telemovel e que no "Forum Olhão", desancou forte e feio. Pelas coisas ditas por essa mulher, o João Pereira entendeu que deveria meter o "Olhão Livre" em tribunal. O que é curioso, é que o João Pereira teve conhecimento das coisas antes destas serem publicadas e não viu qualquer inconveniente.
Ora, como é que se pode aceitar que um indivíduo, que senta à mesa convosco e aproveita para vos anunciar que vos vai meter em tribunal e que vai pedir indemnizações? É próprio de alguém que esteja bem no seu estado de sanidade? Como adjectivam uma pessoa que tem um comportamento destes?
Mas porquê esta vontade do João Pereira? Porque já havia pedido para os comentários, menos abonatórios para a sua pessoa, não serem publicados. Isto, não é de agora, é, sim, logo após as eleições. Quer dizer, o João Pereira o que queria era que fizéssemos o elogio às suas patacoadas. Nâo fizemos e a "criança" entrou em paranóia e na primeira oportunidade ameaça com o tribunal.
Não cedemos, como era de esperar, nem cederemos. Antes pelo contrário. E é aqui que fazemos a distinção entre o partido e a pessoa do seu dirigente local. O partido, no seu conjunto, não tem nada a ver com a conduta desta pessoa, embora seja o partido o principal prejudicado com estas atitudes fascistas, limitativas da liberdade de expressão e de opinião. Vem sempre assim, Joãozinho...Ainda não regressámos ao 24 de Abril.

domingo, 21 de março de 2010

OLHÃO -FALTA DE APOIO À VITIMA

Já se sabe que o presidente da câmara é um marreta vingativo, com muitas dificuldades de discernimento. Não consegue separar o trigo do joio, não consegue distinguir entre o que é um militante de um partido de uma pessoa que, para tentar resolver um problema muito sério da sua vida, aderiu a um partido da "oposição". Não é capaz de perceber que essa pessoa pouco ou nada tem a ver com o partido a que aderiu e que até mesmo o partido não se esgota na pessoa que localmente o representa. Podemos não gostar desse partido, pode não ser a nossa orientação política. Podemos não gostar da pessoa que o dirige. Mas não confundamos as coisas: uma coisa é a necessidade que a pessoa tem de resolver um problema grave e urgente e outra coisa é a luta política.
Os partidos existem para a luta política, é certo. Em período de eleições jogam mão de todas as artimanhas, aproveitam-se das desgraças alheias e iludem alguns cidadãos menos preparados, para conseguirem mais alguns votos. Mas a mentira tem perna curta. Mais tarde ou mais cedo acabam por escorregar e é o que está a acontecer com o BE.
Na realidade, a Margarida só se meteu no BE porque precisava de apoio. Ela não é política. Tomou uma opção que agora está a sair-lhe cara. Está em estado de desespero porque precisa de um emprego (não é do subsídio que falamos, é mesmo de emprego) e precisa de um apoio para a renda de casa. Se em vez de se ter metido com o BE e se se tivesse metido com o polvo socialista, certamente já estaria servida.
Por outro lado, o verme que representa o BE em Olhão, que se serviu da Margarida para os "bailinhos do campo" e para a limpeza da sede e usou de um tema que mexe com as pessoas: A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA, agora está a abandoná-la. Já era de esperar. Está igual a Francisco Leal ou a Alberto Almeida. Não passa de um crápula que se meteu na política por vingaça. A CDU não lhe deu aquilo que queria e infiltrou-se no BE. Conseguiu afastar os outros elementos, alguns deles válidos. Mas, também, como já é de esperar, acabará por cair no caixote do lixo. Hoje, abandona uma pessoa que o ajudou, que precisa da sua ajuda, e refugia-se em subterfugios para não lhe resolver coisa alguma. O problema da Margarida transformou-se numa "pedra no sapato" e há que descartá-la. Quem assim procede não merece contemplações.
Esperemos que a câmara repense a situação desta mulher. Pela nossa parte procuraremos transmitir-lhe uma palavra de confiança e de esperança e procuraremos dar-lhe o nosso apoio.

quinta-feira, 18 de março de 2010

BULLING EM OLHÃO?

Diz a Lei 112/2009 no seu artigo 45º "Quando as necessidades de afastamento da vitima de violência domestica o justifiquem, a vitima tem direito a apoio ao arrendamento, à atribuição de fogo social ou a modalidade especifica equiparável, nos termos e condições a definir em diploma próprio".
Isto é: Margarida Bodião vitima de violência domestica, atento o preceituado no Regime Jurídico para a protecção da vitima de violência domestica, e sendo encaminhada pela APAV, acreditou que poderia encetar nova etapa na sua vida aqui em Olhão.
A insensibilidade social dos autarcas com particular destaque para o seu Presidente, mais preocupada com negócios pouco transparentes, nega à Margarida o direito a recomeçar uma nova vida, quando lhe indefere o pedido de subsidio à renda. Na verdade a Câmara Municipal de Olhão que tem 8 fogos de habitação social vagos na Urbanização João da Rosa, faria melhor figura se entregasse um deles, em lugar de os entregar aos ratos, dando assim cumprimento à Lei.
A perseguição politica, e parece ser essa a única razão, não pode servir de justificação para atitudes deste tipo, independentemente da militância da Margarida.
Não será esta uma forma de Bulling das autoridades perante um indefeso e fragilizado cidadão?

quarta-feira, 17 de março de 2010

Bullyng na escola João da Rosa em Olhão.

Segundo noticia do Correio da Manhã de hoje, há um caso de Bullyng na Escola João da Rosa, onde o aluno agredido e roubado está em casa, e os agressores continuam na escola.
Esse grave problema que tem sido escondido da população de Olhão, é só a ponta do icebergue do que se passa nas escolas do concelho.
Na Escola secundária Francisco Fernandes Lopes em Olhão todas as semanas há casos de violência, desde que juntaram todos os sistemas de ensino no mesmo espaço.
Há professores e alunos com medo de falarem por causa das repressões, e o que fazem as entidades responsáveis pela educação em Olhão? Os conselhos de educação funcionam e reúnem para debater esses casos? Ou os responsáveis pela escolas não querem levantar ondas para não se saber a desgraça que se passa nas escolas do concelho,e não colocar em causa o aparelho socialista?
É tempo das pessoas saberem o que se passa nas escolas do concelho e tomarem medidas urgentes, pois não é camuflando os problemas que estes se resolvem. Ou estão à espera que apareçam vitimas mortais, para tomarem medidas?
Eu como pai estou preocupado, os vereadores que tem filhos em idade escolar não estão? Ou tem os filhos em colégios particulares, onde a segurança é paga pelos nossos impostos?

terça-feira, 16 de março de 2010

Porto de pesca em Olhão é uma Vergonha!

Miguel Freitas líder da distrital do P.S. no Algarve há vários anos, e deputado eleito pelo Algarve à Assembleia da Republica, visitou ontem O porto de Olhão e disse isso:
""O porto de Olhão é o principal porto pesqueiro do Algarve e tem que sofrer uma intervenção o mais urgente possível porque o que nós vimos não corresponde à qualidade que é necessária nos nossos portos, que devem ser uma das nossas sala de visita a nível regional"
Palavras bonitas, mas e a responsabilidade do estado lastimável do porto de Olhão,( já denunciadas por mim neste blog) não pertence ao P.S.? E Miguel Freitas não é o lider dos Socialistas Algarvios?
O presidente da C.M.Olhão não informou Miguel Freitas o que os" más linguas" do Olhão Livre denunciaram esta situação várias vezes?
Os actuais vereadores Antonio Pina e Carlos Martins, ambos socios de uma sociedade de producção de ostras, usuários desse espaço, com armazéns cedidos pelo IPTM, dentro do Porto de Olhão, já há varios anos, nunca lhe informaram as condições deploráveis desse Porto?
Mas será que mostraram tudo o que se passa nesse porto a Miguel Freitas?
Nesse porto de pesca há dois esgotos que correm para dentro do mesmo sem qualquer tipo de tratamento, um desses esgotos corre para dentro da Docapesca, por uma linha de agua,que passa antes pela estação elevatória de esgotos da responsabilidade da C.M.O. do Bairro 11 de Março e de vez enquanto é despejado(como fizeram ontem de manhã) para a Docapesca. O actual vereador das aguas e saneamento da C.M.Olhão,Carlos Martins sabe bem dessa situação, mas até hoje nada fez para acabar com ela, embora sendo usuário do Porto e das aguas da Ria Formosa, pois é na Ria Formosa que Carlos Martins e António Pina tem a sua produção de ostras financiada pela União Europeia.
Mas o Porto de Olhão tem outros problemas, além dos buracos no asfalto e dos esgotos, os recipientes para recolha e tratamento de óleos usados, estão cheios transbordando por fora e indo esses óleos parar dentro do porto, e consequentemente à Ria formosa.
Outro grave problema para quem opera nesse porto são as altas taxas que o IPTM cobra aos armadores que operam nesse porto.
Dizem os armadores que é incompatível o preço das taxas de ocupação pelas artes de pesca, que aumentam cada vez mais, enquanto que o preço do pescado é cada vez menor.
Quem coloca termo à vergonha do sistema da vendagem na Docapesca em Olhão?
Os armadores e pescadores, dizem que há concertação de preços por parte de alguns compradores, e quando aparecem compradores espanhóis a darem valor ao pescado , depressa são enxovalhados e corridos.
Sobre estes graves problemas Miguel Freitas nada disse ou não os conhece, ou não os quer resolver, mas os armadores e pescadores sentem esse problema cada vez mais.
Não é só prometer obras e dizer que o Porto de Olhão é o mais importante do Algarve, pois a importância do Porto depende dos armadores continuarem a persistir na sua actividade, e em sobreviver, pois é que actualmente fazem..
Têm de fazer as obras, mas também acabar com os esgotos para dentro da Docapesca, ao mesmo tempo que têm de se monitorizar a qualidade da Agua do Porto, porque assim obrigam as normas comunitárias, mas que no Porto de Olhão nunca foram cumpridas.
E acima de tudo dar valor aos produtos do Mar, de modo que a riqueza não vá só para quem comercializa esse producto, mas que seja também distribuída pelos armadores e pescadores, pois são esses que arriscam o capital e a vida
A sala de visitas(porto de pesca de Olhão) deve ser limpa, mas o lixo não pode ser escondido debaixo do tapete, que é o que se faz em Olhão.

sábado, 13 de março de 2010

Cngresso do PSD.Quem foram os delegados de Olhão?

Está neste momento a decorrer o Congresso(de um só dia) do PSD . A luta pela liderança do partido, e de um futuro poder, é enorme. Os 4 candidatos não se entendem por isso o"engenheiro" Socrates está à vontade, pois sabe que o PSD está numa crise de poder motivada pela aplicação pelo PS das medidas mais anti-populares que o PSD tentou aplicar e nunca conseguiu. É essa a grande crise do PSD.
No que toca ao PSD de Olhão esse partido, não consegue ser oposição ao PS local , pois desde o 25 de Abril nunca colocou em causa a governação do PS em Olhão.
Não sei mas gostava de saber, quem foram os delegados do PSD local ao congresso Nacional.
Sei que antigamente o Profº Alberto," comprava" votos de militantes do PSD quando queria ganhar a concelhia local.
Sei que o vereador Drº Abundio que foi cabeça de lista pela coligação em" Olhão Nós Acreditamos", está de descontente com o procedimento do outro vereador Prfº Alberto Almeida militante do PSD, também eleito por essa coligação, por este aceitar sem o consultar, o cargo de administrador da Empresa Municipal "Mercados de Olhão" e de aceitar um cargo de vereador a meio termo da CMO.
Tudo isso sem dar a conhecer ao cabeça de lista Drº Abundio, esses convites.
A mim nada me espanta, pois sabe-se que o PSD em Olhão, nunca foi oposição ao PS na CMO ,nem na Assembleia Municipal( com excepção do drº Lourenço Mendonça) nem tão pouco nas juntas de freguesia onde não tem o poder como é o caso de Moncarapacho.
Diz-se à boca cheia em Olhão, que os vereadores do PSD nunca foram oposição, pois cozinhavam entre eles a fatia do bolo a dividir, casos flagrantes foram os projectos de determinados vereadores do PSD que foram aprovados contrariando o PDM.
Sei que o Drº Abundio podia ser uma pedrada no charco na politica local, pois é uma pessoa honesta e integra, mas como todos terá as suas fraquezas que os poderosos do PSD local e do PS, se aproveitam para lhe porem uma peias.
É por isso que o PSD em Olhão não discute o Poder com o PS, pois não se sabe onde começa o PSD e acaba o PS.
Será que os responsáveis do PSD Nacional, sabem o que se passa em Olhão? Não sei quem ganhará o congresso, mas seja quem for é bom que saiba que em Olhão há dois vereadores do PSD que pensam e agem de maneira diferente, um o profº Alberto Almeida que bajula o presidente da CMO e consegue tudo o que que quer, outro que nem sequer recebe as senhas de presença, como vereador nas sessões de Câmara, e nas sessões da Assembleia Municipal. SE o PSD quer ser poder em Olhão em Portugal, isso não pode acontecer e ou um ou outro terão de escolher outro caminho, e começar a pôr em causa a governação(pois é ele quem manda) de Francisco Leal em Olhão.

quinta-feira, 11 de março de 2010

Polvo à moda de Espinho, ou polvo à P.S.?

Passo a relatar uma noticia do Publico On Line

"As buscas foram realizadas no início desta semana na sua residência e no gabinete que ocupava na Câmara Municipal de Espinho, antes de ter sido nomeado Governador Civil, em Novembro passado.

José Mota é suspeito do crime de tráfico de influências e uso indevido de meios da autarquia .

Militante socialista desde 1974, é actualmente membro da comissão nacional do PS.

Comentando à Lusa as buscas a sua casa, na quarta-feira, o ex-presidente da Câmara de Espinho disse que os dois agentes da PJ “não encontraram nem nunca vão encontrar nada”.

“Isto é obra de pulhas que devem estar ligados com a Câmara de Espinho”, disse à Lusa José Mota.

“Não sou pessoa de vigarices”, frisou o antigo autarca, repudiando as notícias acerca das buscas à sua residência."

Perante esta noticia, só posso dizer que entre esta noticia e o que se passa em Olhão, é que há muitas coincidências.

A 1ª coincidência, é que ambos são militantes socialistas e tem 4 mandatos de poder autárquico.

2ª coincidência é que são ambos da comissão nacional do PS

Quanto ao tráfico de influências na C.M.O.? Toda a gente sabe o que se passa,na aprovação de projectos, onde a uns tudo aprovam, e outros tudo tem de cumprir, houve várias queixas no I.G.A.L.sobre o assunto, mas que foram abafadas.

Há neste momento uma polémica sobre um muro com quase 2 metros de altura, e a 4 metros do eixo da via, autorizado pela CMO, numa estrada camarária, que tem causado um numero indeterminado de acidentes de trânsito.O muro segundo dizem está lá, pois pertence a alguém com influências nas altas esferas do presidente da CMO.

Uso indevido de meios da autarquia? Está neste momento na judiciária um processo de investigação a decorrer contra um ex. vereador da C.M.O., que usou o camião da CMO para o transporte de Laranjeiras do sogro para uma lixeira ilegal, que a a C.M.O. teima em manter em funcionamento em Quelfes. O actual presidente e dois actuais vereadores souberam do caso e nada fizeram.

Um camião da C.M.O. foi apanhado em flagrante delito a despejar resíduos não tratados e separados provenientes da construção civil num aterro ilegal da CMO em Zona Húmida da Ria Formosa,e em terrenos do Dominio Hidrico,e ao mesmo tempo terrenos do Parque Natural da Ria Formosa.

O Presidente da C.M.O. mentiu dizendo em sessão da C.M.Olhão, dizendo que desconhecia o aterro em causa,mas que é propriedade da CMO há largos anos.Por esse motivo a C.C.D.R. do Algarve levantou um auto à CMO obrigando-a a retirar o entulho,que ainda lá está.

Pergunta que deixo aos responsáveis da C.M.O. o que fazia um camião da C.M.O.(perfeitamente identificado por fotografias), num Sábado,a transportar várias carradas de entulho da construção civil,num aterro ilegal?

A quem pertencia o entulho proveniente de obras de construção civil, que o camião levou o dia todo a fazer esses transportes?

Quem deu as ordens para o camião fazer essas carradas de entulho,e descarregar numa Zona Sensível da Ria Formosa?

Se Francisco Leal diz que não sabia, o que é duvidoso, pois ele é que manda na C.M.O., e foi ele que anunciou em programa de campanha eleitoral do PS, que quer fazer um parque de estacionamento, naquela Zona Sensível da Ria Formosa, aproveitando o dinheiro do Programa Pólis Ria Formosa. Mas agora que já sabe, da ilegalidade e do uso indevido do camião da C.M.O. o que fez F.Leal para apurar responsabilidades? Será que mandou fazer algum inquérito ao que se passou?

Com tanta coincidência,entre estes dois militantes socialistas, será que com o andar do tempo, ainda vamos ter polvo à moda de Olhão, no cardápio gastronómico Português?





segunda-feira, 8 de março de 2010

Viva o Dia Internacional da Mulher!

A minha singela homenagem a todas as mulheres trabalhadoras do mundo.
Ao contrário do que a sociedade quer fazer este dia não é um dia de festa, mas sim um dia para lembrar as 130 operárias que morreram a lutar pelos seus direitos.
Foi em 1910 que teve lugar a 1ª Conferência Internacional de Mulheres, em Copenhaga, onde foi aprovada uma proposta da socialista alemã Clara Zetkin de instituição de um Dia Internacional.
O dia internacional da mulher foi estabelecido em 1910 , mas com o passar dos anos acabou por ser celebrado a 8 de Março. O dia em que se recordava uma marcha organizada em 1857 pelas operárias da indústria têxtil, em Nova Iorque, reivindicando melhores condições de trabalho e melhores salários. Sendo que as mulheres acabaram por ser trancadas pelos patrões dentro da fábrica, que depois atearam fogo local, matando cerca de 130 operárias.

sexta-feira, 5 de março de 2010

quarta-feira, 3 de março de 2010

Há 30 anos Mário Soares prometeu a abertura da Barra da Fuzeta.

Há 30 anos Mário Soares prometeu abrir uma Barra na Fuzeta em frente à vila e não cumpriu.
Por causa das promessas não cumpridas de Mário Soares, os pescadores da Fuzeta ainda hoje têm de se deslocar de automóvel ou de comboio para Olhão, para conseguirem continuar a pescar, pois a actual Barra da Fuzeta está a cerca de 3 milhas daquela vila e quase fechada, só permitido a entrada e saída de embarcações de pequeno calado com meia-maré e é preciso que não esteja vendaval para saírem a Barra em segurança.
Hoje a Natureza encarregou-se de o fazer, o mar rompeu as dunas e a Barra está aberta. Quem não gosta disso é o Francisco Leal pois tem medo que o mar afecte as construções dos patos bravos que ele autorizou, na zona ribeirinha da Fuzeta, em terrenos pertencentes ao Domínio Publico Marítimo, a menos de 50 metros do maior preia-mar conhecido. A ilegalidade destas construções vai fazer com que no futuro elas se encontrem em risco com o avanço do mar, mas se a lei fosse cumprida não se corria esse risco. F. Leal tenta agora deitar-nos areia para os olhos e inverter essa situação: mandou construir ilegalmente e agora diz que é preciso fechar a Barra para proteger o que não devia ter sido construído.









Os técnicos da ARH dizem que é ali que a Barra deve ser afundada, pois já ali existiu há 50 anos e nunca colocou em risco a população da Fuzeta; o programa Pólis Ria Formosa tem como objectivo renaturalizar a Ria Formosa. Então qual é a dúvida? F. Leal que pertence à sociedade Pólis Ria Formosa quer contrariar a Natureza e a essência do Programa Pólis? Que diz a isso a ministra do Ambiente Lurdes Pássaro?
Pessoalmente eu digo que F.Leal é um grande Passarão pois fala muito da defesa do Ambiente, mas permite que os Patos Bravos invistam na betonização das margens da Ria Formosa (pois a vista da ria, ainda é o que se vende por bom preço). Foi assim com o Marina Village, é assim na Fuzeta e será assim o futuro em Marim onde já tem projectado um Hotel com 900 camas e construções em Zona de Protecção Especial.
Conseguirá Francisco Leal os seus intentos de defesa do Patos Bravos e da betonização da Ria Formosa?
Para ver as fotografias dos prédios em causa em pormenor, clik em cima delas