quinta-feira, 11 de maio de 2017

Socialismo ou Salazarismo disfarçado, na escolha dos candidatos às eleições autárquicas no PS em Olhão.



Recebemos uma carta de um militante do PS, que devido à sua pertinência achamos por bem publicar na integra, para perceber como o Presidente da CMOlhão  eleito pelo PS em Olhão, em conluio com o PSD governa Olhão,sem prestar contas à Concelhia do PS em  Olhão.
Como temos denunciado em Olhão a Geringonça é entre o PS e o PSD  não admirando, o  enorme rol de criticas, e até ameaças de expulsão do concelho da parte do presidente da CMOlhão, a quem denuncia as negociatas que se fazem em Olhão à conta de informação privilegiada.


"ANTÓNIO PINA E A “TROIKA” DA  FEDERAÇÃO DE FARO DO PARTIDO SOCIALISTA"

"Dizem os Estatutos que o Partido Socialista reconhece aos seus membros liberdade de crítica e de opinião, exigindo o respeito pelas decisões tomadas democraticamente nos termos dos seus Estatutos e que os seus membros têm o dever de exprimir livremente a sua opinião a todos os níveis da organização do Partido e apresentar, aos respetivos órgãos, críticas, sugestões e propostas sobre a organização, a orientação e a atividade do Partido e que devem, também, participar à entidade competente para dele conhecer, qualquer violação das normas que regem a vida interna do Partido. E não sofrer sanção disciplinar sem prévia audição e sem garantias de defesa, em processo organizado pela instância competente arguir perante as instâncias competentes a nulidade de qualquer ato dos órgãos do Partido que viole o disposto nos presentes Estatutos.
Refere, também, que as Concelhias são as estruturas que articulam e coordenam a atividade do Partido ao nível municipal e que lhes compete apreciar a situação política geral, e em especial os problemas da área do respetivo concelho e desencadear e assegurar o cumprimento do processo de designação dos candidatos autárquicos municipais e aprovar as restantes listas de candidatos aos órgãos autárquicos municipais do respetivo concelho;
Esta introdução parece-me necessária para que se possa compreender o que se tem vindo a passar a nível nacional com a designação dos candidatos do PS às autarquias, cujas eleições deverão ter lugar em Outubro de 2017.
Há alguns meses atrás, a Comissão Nacional do PS, em Lisboa, aprovou uma orientação que posteriormente difundiu por todas as estruturas do país, fazendo saber que os atuais presidentes de Câmaras Municipais, Assembleias Municipais e Juntas de Freguesias deveriam recandidatar-se se, sobre eles não houvesse acusações graves derivadas do exercício das suas funções que, de qualquer modo, pudessem prejudicar a imagem e o resultado eleitoral do Partido Socialista. Ora, rapidamente, aquilo que parecia ser uma mera orientação política, depressa se transformou numa verdadeira imposição antidemocrática e contrária ao previsto nos estatutos do partido socialista, designadamente, retirando às concelhias (artº36º, alínea g) a capacidade de designar os candidatos aos diferentes órgãos autárquicos.
Esta situação acabou por gerar diversos conflitos a nível nacional e, no caso concreto de Olhão, revelou-se deveras perniciosa. E porquê? Porque António Pina desde que tomou posse como presidente de câmara que tem feito o seu mandato completamente de costas voltadas para o seu próprio partido em Olhão. Não é por acaso que Francisco Leal não foi eleito presidente da assembleia municipal, senão vejamos. António Pina tem feito aprovar a maioria das suas decisões com o voto favorável do PSD. António Pina e o PSD em Olhão têm gerido esta câmara a seu belo prazer. Então se as relações António Pina e PSD são assim tão boas, por que razão o PSD não votou o nome de Francisco leal para aquele cargo? É óbvio, não? Porque António Pina queria pura e simplesmente livrar-se de Francisco Leal e, tudo parece indicar que três anos depois, este ainda não percebeu o que lhe aconteceu e continua a culpar a concelhia pela sua não eleição para aquele cargo.
Como é por demais evidente, não fosse a imposição de Lisboa, António Pina nunca seria o candidato escolhido pela concelhia de Olhão do PS, veja-se, então, qual foi o resultado quando ele se propôs a votos na sua concelhia e cuja candidatura foi chumbada!!! Sim, chumbada mesmo tendo sido imposta por Lisboa! A democracia e a descentralização não podem ser meras palavras, elas têm que ser praticadas e a concelhia de Olhão, por maioria, rebelou-se contra esta imposição que violam os próprios estatutos do PS. Houve alguém que disse que só Salazar é que nomeava os presidentes de câmara. Estava enganado, pois hoje, é o próprio partido socialista, herdeiro de longa tradição democrática e descentralizadora que comete este vil ato de traição aos seus princípios e valores, impondo, não só os candidatos às câmaras municipais como às Juntas de Freguesia. Se os olhanenses se revoltaram contra os franceses, em 1808, como não se haviam de revoltar perante esta situação indigna e ultrajante dos valores democráticos?
Após este resultado que rejeitou por larga maioria António Pina este, numa atitude infantil abandonou a sala mesmo quando o presidente da concelhia lhe fez um apelo para o diálogo e a convergência política. António Pina sentia-se com as costas quentes, por isso, uma vez mais voltou costas à sua concelhia.
Perante esta não-aceitação da concelhia quanto ao nome de António Pina, Lisboa revoltou-se contra os olhanenses e ordenou à Federação de Faro que avocasse todo o processo autárquico de designação dos candidatos a Olhão. E, como são os meninos bem comportados e que para manterem os seus lugares de deputados e outros, não esboçam qualquer crítica à sede nacional, no dia 8 de Maio, acabaram por avocar todo o processo de Olhão, designado um conjunto de três pessoas (Uma TROIKA) constituída pelos Deputados Fernando Anastácio, Luís Graça e Isilda Gomes – Presidente da câmara municipal de Portimão) para, conjuntamente com António Pina escolherem todos os amigalhaços que entendam para figurarem nas listas, em Olhão, nas listas do PS, passando ao lado da concelhia que foi eleita e sufragada democraticamente pelo voto dos militantes de Olhão.
Mas o que aqui também importa referir, é que todo este processo também tem como objetivo aniquilar politicamente a figura do anterior presidente da concelhia Carlos Manso, o qual também foi rejeitado em Faro para figurar na lista de deputados pelo Algarve. Para quem não sabe Carlos Manso é o vice-presidente da Ordem dos Economistas do Algarve e um olhanense de grande valor, parece, no entanto, que as pessoas de grande valor em Olhão, são rapidamente ofuscados pelos medíocres da política e seus padrinhos. E porquê aniquilar Carlos Manso? Porque Carlos Manso defende o reforço dos Serviços Públicos, da Saúde, da Educação, e já por diversas vezes se manifestou contra a privatização da Águas. António Pina é exatamente o contrário, defensor das privatizações, na Saúde, na Educação e também nas Águas do Algarve.
Caros Olhanenses
Compete somente a vós, nas próximas eleições autárquicas dar a resposta adequada nas urnas aos senhores de Faro e de Lisboa que decidem pelos olhanenses quem deve ir nas listas do PS em Olhão. É o momento para que a honra e a dignidade do povo de Olhão renasça tal como já o fizeram no passado."

Nota do Olhão Livre: Como Ditadores desse calibre, não admira a falta de democracia que existe em Olhão, seja cada vez maior.

11 comentários:

Anónimo disse...

fica aqui uma questao, a ambiolhao teoricamente paga xx por cada metro cubico de saneamento que é tratado na Etar ou seja os nossos esgotos sao contabilizados á entrada da etar e a ambiolhao paga um xx por metro, depois esse custo é reflectido nas nossas facturas, se é caro ou barato nao é essa a questao , mas fica a minha duvida sendo a Algarlixo uma empresa privada que cobra aos clientes por lhes esgotar as fossa será legal depois irem deitar os residos numa tampa que esta na doca frente ao restaurante vitaminas? todas as semanas la estao eles a descarregar o camiao directamente para a rede de esgotos pois assim a ambiolhao ira pagar para que tratem os residos que essa empresa privada esta a despejar numa rede publica. nao era suposto a Algarlixo ir directamente á Etar e pagar para despejar os residoes que recolheu aos clientes?
ja era tempo de proibir essas empresas de colocarem os residos na rede de saneamento e sim obrigalos a ir á etar mas claro isso tinha custos para a algarlixo e se assim é de borla para que pagar?

Anónimo disse...

ACASO nao paga subsidio de alimentacao e contrata empresa de catering, mas se deve ter enganado e contratou empresa de residous , pois a comida alem de mal cozinhada tem odores e aparenta mau estado de conservaçao era tempo da ASAE ir dar uma visita as instalacoes.

Anónimo disse...


"VOTEM NELES QUE FICAM BEM ENTREGUES"

«Os três membros da Comissão vão agora falar com todas as partes, por forma a chegar a um entendimento com toda a serenidade e calma. Não é, à partida, uma situação que gere preocupação», acrescentou, em declarações ao nosso jornal. A Comissão é composta por Isilda Gomes, Fernando Anastácio e Luís Graça.

ASSUNTO A TRATAR PARA RECANDIDATURA DO MENINO TÓ PINA.
Sejam felizes.

Anónimo disse...

António Pina nesses 4 anos foi um fracasso para quem acreditou ser uma lufada de ar fresco.
As ruas da cidade de Olhão estão uma vergonha.
Na Rua da Olivença Rua Maria da Cruz Rolão e todas as ruas do Bairro da Cavalinha estão um autêntico NOJO. dignas de uma cidade do 4º mundo.
A Rua 18 de Junho parece que foi atacada à BOMBA tal a quantidade de crateras que existem desde as 4 Estradas até a avenida da Republica.
Cada vez há mais merda a ser descarregada na Ria Formosa e cada vez há mais viveiristas a vender viveiros para os franceses e seus testas de ferro colocarem ostras exóticas em bancadas de ferro e sacos de plástico.
No Centro de Saúde de Olhão milhares de olhanenses continuam sem médico de família,e para apanhar uma consulta à vaga é uma caso de sério como pessoas a ir às 6 da manhã para a porta do Centro de Saude que está uma vergonha pois não recebe tinta há anos e as paredes estão cada vez mais cheias de bolor.
Mais tinha para dizer mas fico por aqui tal é a vergonha que está Olhão.

Anónimo disse...

O Salazarismo não disfarçava o quero, posso, mando. O Estado sou eu,Salazar, ponto. A democracia para alguns democratas tem hora conforme atrapalha ou não a escalada ao poder, daí a tendência manifesta, quantas vezes já vista, da volta à moda anterior.

Anónimo disse...

São os viveiristas que começam a vender os seus viveiros aos franceses e António Pina e o seu amigo vereador Carlos Martins quem ocupa uma área de exploração de ostras que lhes foram concessionada indevidamente e, para além disso, pagam o equivalente a uma ocupação de 5000m2 mas, na realidade ocupam 50000m2. Enquanto os outros viveiristas são multados por ocuparem alguns metros a mais, estes senhores que deveriam dar o exemplo pagam apenas 05 5000m2 mas continuam ilegalmente a ocupar os 50000m2. As denúncias dos muitos viveiristas junto da ARH em Faro apenas têm tido como resposta daquele organismo que tal assunto se encontra à consideração superior, isto é, está dentro da gaveta dos mais altos responsáveis que vão perpetuando esta ilegalidade. Tenham vergonha.

Anónimo disse...



Os três membros da Troika de Faro vão agora falar com todas as partes? Isto só para rir. Já passou uma semana e nada mais disseram à concelhia de Olhão, no entanto, todos os dias estão a cozinhar com o PINA como vão lixar os olhanenes. Não tenham dúvidas: vão aparecer com falinhas mansas e a falar de conciliação de democracia de solidariedade, etc, etc. HIPÓCRATES! Então esses rapazes não sabem que António Pina mesmo à revelia da sua concelhia, uma vez mais, e mesmo antes da reunião da concelhia de Olhão e da Federação de Faro, já tinha mandado um nome para Lisboa como sendo o candidato do partido socialista à assembleia municipal, mesmo sem a sua concelhia se ter pronunciado?
Estes senhores da Troika não sabem disto? Claro que sabem e toda a Federação de Faro sabia mas como o que estava em causa era apoiar o PINA e derrubar a concelhia de Olhão e todos os seus dirigentes, esses senhores, Lisboa e Faro não quiseram saber desta ilegalidade e desta falta de transparência de António Pina. Encobrem-se uns aos outros, que falta de decência e vergonha, não é por acaso que cada vez há mais abstenção nas urnas de voto. Não deveria haver abstenção mas sim uma votação maciça de eleitores que penalizassem estes comportamentos indignos.Infelizmente, passados mais de 40 anos o 25 Abril 1974, vivemos numa democracia encapotada, em que uns mandam e todos os outros devem obedecer, sob pena de sofrerem as consequências.Não é por acaso que Emanuel Macron ganhou a presidência francesa à revelia dos Partidos. Diz a constituição da república portuguesa que os Partidos políticos são o garante... de quê? da malandrice? da Prepotência? Do compadrio? da corrupção? É necessária uma outra revolução mas de mentalidades e de toda a sociedade civil.

Anónimo disse...

Votar nos partidos políticos não pode continuar a ser visto e a ser feito porque uns são sempre do benfica, outros são do sporting, do Porto e, assim, sucessivamente. Nas eleições está muito mais em causa do que a cor clubista, está em causa a nossa vida, quem nos vai representar, quem nos vai resolver os nossos problemas, quem tem mais saber e sensibilidade para compreender os problemas, muitas vezes dramáticos das populações. Não se trata de votar mais num símbolo mesmo que seja aquele que nós sempre defendemos, pois, muitas vezes por detrás desses símbolos estão, infelizmente, pessoas sem escrúpulos, sem sensibilidade e também sem saber, o que lhes interessa é proteger o seu modo de vida e o dos seus amigalhaços. Esqueçam os símbolos e concentrem-se nas pessoas que estão nas listas e que se candidatam. Não continuem a dar o vosso voto a pessoas indignas e sem escrúpulos. Por tudo aquilo que aqui já foi dito escrito, António Pina não merece qualquer voto dos olhanenes. Dá maus exemplos, revelou-se prepotente, arrogante, sem escrúpulos para se manter no poder e, não fossem os seus amigos de Faro e de Lisboa nunca seria o candidato do partido socialista em Olhão. Não é mais possível contar e calar tanta indignação e sancionar atitudes desta natureza, a política não pode ser isto. A coberto da democracia estamos forjando novos ditadores. Não nos esqueçamos que Hitler também chegou ao Poder pelo voto democrático! Acordem e mostrem a vossa indignação nas urnas!!!

Anónimo disse...

Os compadres da MAFIA instalados nos lugares de decisão muitas vezes só fazem o que a mansidão do rebanho deixa fazer. A Democracia comparada com a ditadura exige mais deveres que direitos. Um dos deveres fundamentais é não aceitar malandrice, prepotência, corrupção, compadrio. Só bláblá não basta, porque inconsequente. É só reparar na reacção dos franceses quando há atropelos à constituição, à sua vida pessoal ou colectiva. A defesa da razão comum só com união vencerá, todos o sabem, mas parece que não. Caso contrário, sempre mais do mesmo: malandrice,prepotência,corrupção, compadrio e bláblá a seguir.

Anónimo disse...

REVOLUÇÃO BRANCA, a do VOTO EM BRANCO. A revolução pacífica para penalizar o banditismo político instalado.Votar sim, mas não neste sistema dominado por fdp`s. O VOTO EM BRANCO tem que ter consequência política, muito mais se for maioria.

Anónimo disse...

Olhão quem vai olhar por ti