domingo, 20 de março de 2011

Demolições na Praia de Faro. PS é contra ou a favor?

Polis só prevê manutenção de 85 casas na zona desafetada da Praia de Faro


Foto
carlos filipe de sousa Ver Fotos »
Areia invade a estrada na Praia de Faro

Menos de um quarto dos imóveis que hoje existem na zona desafetada do Domínio Público Marítimo na Praia de Faro deverá ficar de pé depois da passagem do Polis por esta zona balnear.

A Sociedade Polis Ria Formosa distribuiu um relatório preliminar sobre o futuro Plano de Pormenor da Praia de Faro, a que o «barlavento» teve acesso, e que determina que só 85 das 374 edificações existentes nesta área vão ficar de pé.

O documento deveria ter sido discutido na quinta-feira numa reunião da comissão específica criada para acompanhar as intervenções na Praia de Faro, mas a reunião foi adiada e ainda não há nova data marcada.

Esta comissão inclui a Câmara de Faro e as três associações que representam os moradores e utentes da ilha.

Antes da discussão, o silêncio e expetativa parecem ser as opções dos intervenientes. Macário Correia voltou a recusar tecer comentários sobre o plano prévio, que deverá mais tarde servir de base ao Plano de Pormenor que a Câmara terá de elaborar e que o executivo terá de colocar à consideração e aprovação dos órgãos autárquicos e em consulta pública.

Já da parte de uma das associações que representa os moradores que vivem fora da zona desafetada, a atitude é esperar para ver. «Esse documento nada diz sobre os pescadores. Primeiro, queremos ver o que é dito na reunião, depois é que partimos para a luta», disse o presidente da Associação Duna Mar Nascente Gilberto Silva.

O presidente da coletividade farense acrescentou que espera para ver o que dirá a Associação de Utentes da Ilha de Faro, criada para defender os interesses da zona central, que diz que «nunca quis nada com a malta da pesca».

«Eu sempre os avisei que isto ia acontecer», garantiu. O «barlavento» tentou repetidas vezes e sem sucesso contactar os responsáveis pela Associação de Utentes.

O relatório que será discutido hoje resulta de um estudo para avaliar o nível de risco da Praia de Faro encomendado ao Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), que, como o nosso jornal avançou na passada semana, determinou que a Praia de Faro tem um nível de risco elevado, acima de qualquer outro já identificado nesta zona lagunar.

Na prática, isto deverá significar que não ficarão de pé praticamente nenhum dos imóveis que hoje se encontram entre a estrada que atravessa a ilha e o mar, mas também algumas agora a norte e que mais tarde ficarão a sul de uma nova rua a criar. A ideia é promover a reconstrução dunar.

«Como princípio ordenador, e considerando o eixo longitudinal definido pelas Avenidas Nascente e Poente da Praia de Faro, considera-se que todas as construções e ocupações a sul deste eixo deverão ser demolidas e removidas dando lugar à reconstrução dunar», lê-se no documento.

Apesar de abrir algumas exceções, decorrentes de uma avaliação que inclui diversos fatores, desde a localização à estabilidade do edifício, estas são bem poucas.

Feitas as contas às frações registadas pelos autores do plano, que ascendem a 374, e aos edifícios que são identificados como a manter, fica o número de 289 imóveis a demolir.

Um número que aumenta se se tiver em conta os fogos que realmente existem, já que há edifícios com mais que uma casa de habitação e frações com mais do que um edifício.

Por outro lado, há a considerar que, em muitos casos, não se trata de edifícios de habitação, já que neles se incluem estabelecimentos comerciais e edifícios públicos pertencentes a diversas entidades.

20 de Março de 2011 | 10:38
hugo rodrigues

Noticia retirada do Barlavento on line.

Nota do Olhão Livre. A Presidente do Polis Valentina Calixto e do vice presidente do Polis Francisco Leal, procedem assim, para dividir as pessoas que tem casas nas ilhas da Ria Formosa.

Hoje são as casa da Pria de Faro amanhã serão as casa da Ilha do Farol ,depois serão as dos Hangares ,depois as da Culatra e por fim as da ilha da Armona, que estiverem em Dominio Publico Maritimo.

O P.S de Faro diz que está contra,as demolições na praia de Faro, mas o vice presidente do Polis Francisco Leal é da comissão politica Nacional do PS.

Afinal em que ficamos, o PS no Algarve é contra ou a favor das demolições na praia de Faro e em todas as ilhas da Ria Formosa?

Este blog está aberto a um esclarecimento, por parte do PS, para eclarecer as pessoas que nos visitam.

12 comentários:

Observador. disse...

fiz essa pergunta ao João Soares deputado eleito pelo PS no Algarve. Vamos ver se ele responde.

Anónimo disse...

O leal não pode dizer que não à Valentina pois obrigou esta a fechar a Barra da Fuzeta obras essas não previstas no Polis,que serviram exclusivamente para proteger os prédios construidosamenos de 15 metros do preia mar ou seja, em Dominio Publico Maritimo com o fechar de olhos de todas as autoridades. desde a CCDR ICNB GNR Autoridades maritimas e INAG mais a ARH.
só na fuzeta o polis já gastou mais de 4 milhões de euros que não estavm preivisto no polis.

Filho da Praia de Faro disse...

belo berbicacho arranjou o Leal ao PS com as obras de fechar a barra da Fuzeta,é que agora Leal está refem da Valentina Calixtoe não pode ir contra as ideias dela Valentina Calixto poroutro lado arranjou uma maneira de terLeal ao seu lado para conseguir jogar as casa abaixo naPraia de Faro coisa que há anos os poderos da Quinta do Lago andava a tentar.de uma cajadada Valentina mata dois coelhos,Faz a vontade ao poderos da Quinta do Lago e do Ancão e valoriza os terrenso que a Valentina Tem no LUDO,mesmo, em frente à praia de Faro.
Não admira que daqui a pouco tempo, esses terrenos mudem de dono, e seja aprovado ali um PIN.

Anónimo disse...

então assim, já se começa a perceber porque querem jogar as casas da praia de Faro abaixo.Negoicios coma valentna o macario e o leal à mistura heim??

Anónimo disse...

Grande lutador esse Gilberto Silva!
Na firmeza das razões históricas da comunidade piscatória, na procura da verdade, soluções dignas e o mais possível justas para todos, o homem tem revelado uma envergadura de carácter e conhecimento, muito parecido a um Lula.
Como retributo aos relevantes serviços prestados, de estranhar que o Prolongamento da Av. Nascente da Praia de Faro não seja assumido pelo POLIS como Av. Gilberto Silva.Será mais uma injustiça da eng. Valentina?

Anónimo disse...

falas assim porque não vives da pesca nem tens de viver ao pé do mar.

Anónimo disse...

Ás segundas feiras, Quartas e sextas
o PS é contra as demolições
Ás tercas,quintas,e sabados é a favor,resta´o Domingo que é para descansarem.Estes oportunistas sabem lá o que querem !Querem aonde há money money Ok ?Todos os dias entram em contracenso,vejam com as portagens,estes boys e gils PSSS não é gente de uma cara só.

Anónimo disse...

Falem mais falem,o leal e a valentina é que sabem,não vale a pena falarem tanto que isso é perder tempo.Para mim deviam era todas as cassas irem abaixo que esses gajos andem a alugar as cassa e não paguem nada de empostos.R R

Anónimo disse...

Por mim pode vir 50 FMI
Estes malandros se tivessem tributado as mais valias da PT que distribuiram milhões aos ricos deste país,não necessitavam de roubar este dinheiro aos pensionistas e reformados.Mas este Robin dos Boys,rouba aos pobres para dar aos ricos,vão estar lixados na fila do desemprego seus manhosos.
Venha o F.M.I. são tecnicos isentos dos partidos so nos vão obrigar a cortar aonde deve ser cortado,pois a nivel das politicas economicas vão nos deixar no sentido certo,sem partidarites agudas.

Anónimo disse...

A questão das casas da praia é abordada do ponto de vista politico que não do tecnico. Embora não seja recomendavel a sua construção, tambem não é recomendavel o que pretendem fazer. No fundo, e fazendo fé nas palavras de Macario Correia ao Correio da Manhã de Domingo passado, trata-se de postura de estado, de responsabilidade, mas adiantando que nas decadas de 60 e 70 foram construidos unidades de turismo de qualidade, geradores de trabalho, pouco importando os crimes ambientais cometidos. Sem querer fugiu-lhe a boca para a verdade no objectivos das demolições programadas. Esqueceu-se porem que os indicadores de desenvolvimento turistico não são nada propicios para investimento desse tipo.
Não espanta o despudor de Macario Correia, pois em Cabanas de Tavira tambem permitiu construções em terrenos que estavam sob a tutela do dominio publico hidrico. Favor paga-se com favor.
Os moradores da Praia de Faro saberão dar a resposta adequada àquele que nos tempos em que foi secretario de estado do ambiente, era apelidado de microcefalo.

Anónimo disse...

mOSSE Ó COSTA ,MAS O QUE É QUE TU QUERES?ACHAS MAL O QUE O POLIS DIZ SOBRE A PRAIA DE FARO,mas afinal quem é que manda és tu ou é a valentina e o leal?vamos vêr se nos entendemos.Amnhã, num dia qualquer o mar invade a ilha de faro e depois quem são os responsaveis pela morte daquelas pessoas?.R.R.

Francisco disse...

Boa Pergunta! depende do PS... Se for o PS do Leal é a favor se for o PS de Faro, provavelmente é contra... ó RR só uma pergunta inocente... e sabes porque é que nos ultimos 20 anos os galgamentos maritimos nos cordões dunares têm sido tão frequentes??? é óbvio que não!!! a causa está assinalada e bem identificada... é por essas e por outras que a camara de Albufeira vai gastar 3 milhões em 600 mil metros cubicos de areia para por na praia... è o que dá fazer pontões á parva...