terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Demolições na Ilha da Culatra: Ministro do Ambiente diz que as demolições vão avançar!

Segundo esta ultima  declaração do Ministro do Ambiente do governo PS,  Matos Fernandes afirmou o seguinte segundo noticia do radiocomercial online

"No entanto, esta terça-feira, questionado na Comissão de Ambiente no parlamento, o ministro Matos Fernandes garantiu que as demolições na Ria Formosa são mesmo para avançar, "tal como está no programa do Governo e na lei".
Matos Fernandes sublinhou que todas as acções judiciais apresentadas contra a decisão do governo saíram derrotadas, "porque as casas em questão estão em domínio público marítimo".
O ministro do Ambiente sublinha que as que forem primeiras habitações ou as que estão a ser utilizadas por motivos profissionais, durante a maior parte do ano, para os mariscadores ou viveiristas não vão ser demolidas."

 Parece  assim que a questão do Domínio Publico Marítimo volta a estar na ordem do dia, para as demolições na Ilha da Culatra núcleos do Farol e dos Hangares avançarem.
 
Mas que raio de democracia é essa quando na Ria Formosa na Fuzeta , Concelho de Olhão estão em construção mansões de luxo de um camarada de partido do actual ministro, construções essas que foram aprovadas pela CMOlhão, cujo presidente faz parte da actual Administração do Polis Ria Formosa, conforme se pode ver na foto publicada em cima?
 
Que raio de estado de direito é este que um ministro diz que  as casa na Ilha da Culatra (nucleos do Farol e Hangares), tem de ir abaixo por estarem construídas em Domínio Publico Marítimo, e depois vemos ser construídas em 2009 e aprovadas pela CMOLhão sendo vice-presidente o actual presidente da CMOlhão António Miguel Ventura  Pina, um empreendimento de luxo com cerca de 90 apartamentos que estão a ser vendidos a quase 1 milhão de €,  em Domínio Publico Marítimo na Fuzeta.

Que raio de Justiça é esta?
Será que o peso da carteira se subverte à igualdade de direitos a todos os cidadãos?
Se o Domínio Publico Marítimo é de Todos, porque razão uns podem e outros não podem ocupar esse mesmo Espaço Publico?
Aos moradores com casas  ditas ilegais na Ilha do Farol é caso para perguntar porque razão vão as suas casas abaixo e fica de pé a casa do pai do Presidente da CMOlhão que pertence à Administração do Polis Ria Formosa?
Será que nessa lista de demolições estão casas de pescadores já na reforma, e fica  de pé a casa do Pai do Pina e de outros camaradas de partido, que são tão ilegais como a desses pescadores?
Aos moradores só resta uma coisa: Exigir igualdade de tratamento para TODOS!
Caso contrário só resta lutar contra as demolições ilegais.

13 comentários:

Anónimo disse...

O que eventualmente está mal deve ser rectificado no âmbito de uma requalificação séria, construtiva, ponderada à luz abrangente da realidade concreta e de todas as outras decisões tomadas, nunca por meio do conceito de uma renaturalização abstrusa, pérfida,cujo fim último é arrasar tudo de forma faseada, para dar lugar à construção de empreendimentos no mesmo local( nunca desmentido antes pelo contrário), talvez alguns em monopólio exclusivo, como se vê na renaturalizada Deserta . Que autoridade moral tem o PS, tem o snr. ministro para conduzir desta forma (meter tudo no mesmo saco) e com estes argumentos ( renaturalizar, restituir a todos o que é de todos, estão em perigo, ocupam ilegalmente espaço público...etc,etc) quando esses mesmos argumentos não são aplicados,ou quando o são só pagam coima, a outros que se configuram como grandes de poder financeiro? Em termos de comparação, quantas injustiças já cometidas nestas ilhas? Razão tem o actual director do POLIS quando num estado de alma, acredito de boa formação humana, desabafou " AS INJUSTIÇAS VÃO CONTINUAR".Parece, a menos que surja um pingo de bom senso de elevação humana,cívica, democrática, que as injustiças vão continuar. Salazar deve estar com aquele raro semblante de sorriso,infelizmente para a democracia que ele detestava.

Anónimo disse...

Que raio de justiça é esta ou que raio de regime é este que demonstra facetas de compadrio político que fazem corar de vergonha o anterior? Tudo para os amigos, encontradas as formas de contornar a chatice das leis de toda a maneira e feitio ; Para os outros, o rigor absoluto das mesmas.O outro durou quarenta e poucos anos, quanto aguentará este as pulhices democráticas?

nuno moreira disse...

No meu ver a luta está perdida depois de ter ouvido o ministro na comissao de ambiente dizer que todos os processos contra o estado colocados pelos residentes nos nucleos do Farol e Hangares tinham perdido a favor do estado. Ainda por cima que deu essas sentenças foi o tribunal que não está acima da Lei. Por outro lado tenho uma leve impressao que existem pessoas no Farol que fazerm parte do SOS que tem interesses.

Anónimo disse...

Esta conversa toda não dá para mais meio litro de vinho.
Começaram todos contra a POLIS e punham o Partido Socialista no cimo da defesa das casinhas, entretanto umas vão ficando e outras vão sendo notificadas e os lideres das manifestações vão dormindo, já não falam que o P.S. iria resolver tudo a contente.
Agora já o ministro os secretários são maus mas não tomam as posições que assumiram na defesa da gerigonça.
Na última reunião do executivo farense a CDU apresentou uma moção contra os derrubes quem votou a favor foi o PSD e a CDU, o Partido Socialista votou .
Se não querem ser registados como palhaços aproveitados pelos partidos, tem a oportunidade de dizer em viva voz na assembleia municipal de faro a realizar-se
na Centro de Dia no Montenegro a 23 de Fevereiro pelas 21H30 mint.
Deixem-se de fazer de palhaços!

Anónimo disse...

O que falta dizer que não foi dito por lapso é que o Partido Socialista votou contra a Moção o mesmo que dizer votou a favor das demolições!

Anónimo disse...

Vá lá que a MAFIA escolhe infiltrados que não se preocupam com o disfarce.

Anónimo disse...

António Costa disse a Jerónimo de Sousa que o Governo "fez uma avaliação caso a caso", tendo sido definidos três critérios: "Qualquer casa que esteja a ser demolida não será substituída por uma nova", notou Costa, no "respeito por um conjunto de regras", ou seja, "só demolir habitações no domínio público", "em zona de risco" e que "não fossem primeiras habitações ou instalações de pescadores e viveiristas". O primeiro-ministro defendeu que "se, nestas 60 casas [a demolir], há alguma que não respeita os critérios", o Governo corrigirá esse erro.
(Diário de Noticias)

Anónimo disse...

Existem pessoas no Farol que fazem parte do SOS que tem interesses já salvaram as casas deles ainda vão poder alugar e ganhar muitos euros, e arranjarem bons empregos.Quando foi a minha na praia de faro ninguém nos ajudou porque esta fantochada toda agora também são todas de segunda.

Anónimo disse...

Mosso o leadro tem casa na culatra e no farol hahahaha e diz que mora onde? Júlio abre os olhos.

Anónimo disse...

Pela solução justa da requalificação,UNIÃO UNIÃO UNIÃO. Que não aconteça o mesmo da outra banda onde a desunião, a sacanice,a mesquinhez, a traição e a cobardia tiveram nota alta.

Anónimo disse...

O srº António Costa diz que falou com o presidente da câmara de olhão mas essa zona pertence a faro.
Hoje estarei presente na assembleia municipal de faro para questionar os eleitos do PS.

Anónimo disse...

As casas são ilegais, portanto abaixo com elas!!!!!!!!!Agora gritam porque muita gente ganhou muito dinheiro com as suas belas casinhas.

Anónimo disse...

Quem será o boss desta grande pandilha de zarolhos, quem será.