quarta-feira, 13 de maio de 2015

ALGARVE: QUE ECONOMIA DO MAR?

É já no próximo dia 15 que na Universidade do Algarve vai ser feito mais um Fórum "Economia do Mar", integrando a Comissão de honra a ministra Cristas, que nunca teve uma palavra para os pescadores algarvios e muito particularmente num momento tão difícil como o que atravessa o sector da pesca da sardinha, dado ter-se esgotada a cota previamente estabelecida à revelia dos pescadores; integra também a comissão um tal secretario de estado que subscreveu um despacho mas que não obriga à sua implementação; ainda David Santos, o actual presidente da CCDR proprietario de um prédio ilegal na Praia de Faro, Desidério Silva, presidente da RTA e que enquanto autarca autorizou construções em Domínio Marítimo, e o reitor da Ualg, mais um serviçal de serviço.
O presente Fórum, vai na sua terceira edição, se contarmos com o discurso de Paulo Pita e Cunha, assessor da presidência da Republica das bananas para os assuntos do mar, durante a campanha eleitoral para as autárquicas e um simposium realizado sobre o mesmo tema e também ele na UALG, no dia seguinte à visita dos deputados à barra da Fuzeta.
Constam ainda do cartaz, figuras como Cristóvão Norte, deputado de bússola avariada, para falar no mar de politicas e mais alguns figurões que vão vomitar ideias que pouco ou nada têm a dizer com o Povo da região.
Não há ninguém para falar sobre a pesca e moluscicultura porque, na perspectiva do governo, estes sectores estão condenados ao desaparecimento, não pela falta de recursos, mas porque o Poder central, a mando duma Merkel, que é quem manda e usa a UE, entende dever acabar com o que ainda resta do sector produtivo.
Destaca-se do painel, intervenções sobre a exploração do mar profundo, sem se questionar os impactos que uma tal exploração terá nos pesqueiros, no grande beneficio do Turismo, sustentável ou não mas certamente lucrativo para alguns. Não se sabe se a intervenção sobre a exploração do mar profundo está relacionada com a extracção de petróleo ou gaz de xisto na costa algarvia e das suas consequencias e contrapartidas para a região e para o País.
Podem embrulhar os discursos no melhor celofane mas uma coisa não podem negar: é que a tomada de decisões nas costas das pessoas, sem as ouvir, o secretismo que rodeia os processos, o tabu sobre as perspectivas de desenvolvimento desenhadas por esta cambada, é sinal de que aquilo que se prepara para a costa algarvia e suas populações.
Economia, economia e só economia! E as pessoas?
Tenham vergonha!


2 comentários:

Salpicos Romã disse...

E fazer uma manifestação nesse fórum?!

Anónimo disse...

e quanto ao dito leilao dos viveiros ja falta pouco mais de um mes e nada se sabe