sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

OLHÃO: ACAMPAMENTO AZUL SEM AGUA

A ACASO e a Câmara Municipal de Olhão, desde a criação do projecto Acampamento Azul, mais um sindicato de voto, que têm vindo a enaltecer os méritos da iniciativa, o mesmo não acontecendo quando surgem os problemas.
O Acampamento Azul é ocupado por famílias de etnia cigana e era do interesse da edilidade mantêm-los concentrados num local, minimamente infra-estruturado, e longe do olhar das pessoas, não a pensar no voto dos ocupantes, mas daqueles preconceituosos que se querem ver livres de "más" companhias.
Contou o Município com a adesão da ACASO, o que era de esperar, pois a gestão de ambas está nas mãos da mesma família politica, o partido socialista e uma não consegue sobreviver sem a outra, tal o nível de cumplicidade que estabeleceram ao longo dos anos.
Mas eis que tanto uma como a outra entesaram e começam a aparecer buracos por todos os cantos, não havendo dinheiro para acudir a todas as capelas. O Acampamento Azul fornecia agua aos seus ocupantes a partir de um furo e porque a bomba se avariou, decidiram acabar com o abastecimento de agua, até que encontrem o "carcanhol" para pagar a sua reparação.
Mas levanta-se a questão de saber como vão agora assegurar que aquela gente, por eles "organizada" e manipulada, tem acesso a um elemento essencial e indispensável à vida das pessoas. Depois de criarem hábitos diversos dos que estavam habituados, com acesso a agua para a alimentação e higiene, obrigam-nos agora a retomarem a vida de antigamente, o que está a revoltar a comunidade cigana do Acampamento Azul.
A autarquia que sempre levantou aquela bandeira como um trunfo seu, está obrigada a garantir a qualidade de vida então prometida. Ou será que estas bandeiras apenas servem para as campanhas eleitorais?
António Pina, pai, presidente da ACASO, especialista na área dos sindicatos de voto e mentor, estratega da ascensão politica do outro António Pina, filho, vice-presidente da Câmara Municipal de Olhão, empenhados que estão na eleição do traquina, não podem ou não devem fugir ás responsabilidades que lhes cabem neste processo, mandando reparar a bomba em questão o mais rápido possível. Aliás nem deviam ter criado as condições para a presente denuncia, até porque se tivessem alguma sensibilidade, saberiam bem das dificuldades que eles próprios teriam se estivessem na situação das famílias privadas da agua.
Não assegurar o abastecimento de agua à comunidade cigana do Acampamento Azul, é um acto de politica criminosa, o que também não espanta se tivermos em conta os antecedentes de ambos, pai e filho.
À comunidade cigana cabe-lhes o manifestar a sua indignação e revolta e obrigar à reposição à situação anterior à avaria da bomba.
REVOLTEM-SE, PORRA!

2 comentários:

António Manuel - Tómanel disse...

Neste dia de inverno friorento e meio chuvoso, passei por aqui, para lhe felicitar pelos trabalhos que tem publicado neste seu blog, especialmente, esta última postagem.
Um abraço cá deste nosso Algarve - Faro.
http://umraiodeluzefezseluz.blogspot.com

Anónimo disse...

Se as pessoas deste blog têm tanta pena dos ciganos levam-nos para casa e tratem deles agora vir para incentivar para as pessoas revoltarem-se destas situações. Estas pessoas alguma vez contribuiram para a sociedade, desconataram e pagaram impostos!!!!!!!!! Francamente tenham dò..........