quarta-feira, 17 de junho de 2015

OLHÃO: ARGUIDO!

Finalmente fui constituído, não por roubar, matar ou fazer qualquer trafulhice, mas porque o vereador Eduardo Cruz através de uma acusação particular, entendeu ter sido difamado pelo Olhão Livre, na pessoa de um dos seus autores.
Só não repito aqui e agora uma serie de mimos porque o processo está em segredo de Justiça mas certamente não perderá pela oportunidade, porque por mais mais pinotes que as cruzes dêem, este blog continuará com a sua postura e linha editorial, denunciando o que entender e chamando os bois pelos nomes. Não é por este ou qualquer outro processo, e sabemos que há mais, que nos irão calar, disso podem ter a certeza!
Admitimos ser desagradáveis contra quem está ligado ao Poder e o defenda como forma de exploração do Povo, mas jamais podemos pactuar com os crimes cometidos contra a população em geral, ainda que esta não tenha a mesma percepção que nós.
O Poder tenta alterar o modo de vida das pessoas, criando Regimes Jurídicos para tudo e mais alguma coisa; Planos de Ordenamento elaborados nas costas do Povo e contra os interesses dele; Leis e mais Leis para se protegerem e ficarem a salvo da porcaria de Justiça que temos.
No caso de Olhão, e é igual em todo o País, as violações aos regimes jurídicos, aos planos de ordenamento  e à legislação em geral, têm sido mais que muitas, contando desde sempre com a cumplicidade com o maior, e por vezes, único partido dito da oposição, o PSD.
O Ministério Publico junto do Tribunal Penal tem arquivado sistematicamente as denuncias dos crimes dos eleitos locais, na maior parte dos casos por insuficiência de prova ou na fraca possibilidade de uma condenação em julgamento. Das denuncias feitas aos serviços do Ministério Publico junto do Tribunal Administrativo, desconhecem-se os seus resultados, apesar de decorrerem anos. Quanto ás outras instituições do Estado, com responsabilidades na fiscalização dos actos administrativos, nem vale a pena falar nelas.
O conhecimento dos despachos do Ministério Publico junto dos Tribunais Administrativos, permitia, face aos factos tidos como provados, pedir a responsabilização dos eleitos, quando não fora ele próprio a extrair certidão a enviar ao Tribunal Criminal.
Curiosamente, o Regime Jurídico da Urbanização e Edificação diz que quem tenha conhecimento das violaçoes do disposto nele, como aos planos de ordenamento deve denunciar ao Ministério Publico. Era suposto que o dito Ministério desencadeasse a investigação aos actos praticados, mas ao invés disso obriga o cidadão a fazer prova dos factos denunciados, a coberto da Lei da Responsabilidade Criminal dos Titulares de Cargos Políticos e de Altos Cargos Públicos.
Em resumo a Justiça está completamente inquinada, sequestrada por um conjunto de leis que mais não visam que a absolvição dos eleitos mas que ao mesmo tempo obriga o cidadão.
É neste contexto, com as dificuldades acrescidas pela teia legislativa, que somos confrontados com a tentativa de censura, que é disso que se trata na prática, que o Eduardo Cruz intenta calar a única voz que tem feito oposição às diatribes do Poder local, regional ou central no que à região diz respeito.
Sabemos que alguns dos nossos leitores entendem que abusamos do sarcasmo, da forma com escrevemos que não do conteúdo, acusando-nos de excessos, mas não deixamos de dizer que os excessos de quem exerce o Poder são bem mais nefastos para o Povo do que aquilo que nos é apontado.
PELA LIBERDADE DE OPINIÃO!
CONTRA A CENSURA!

8 comentários:

Anónimo disse...

Até que enfim. Mas vale tarde do que nunca

Anónimo disse...

E continuamos a brincar aos tribunais e a esbanjar dinheiros públicos, quando muitos choram por um pratinho de sopa... Vão pó caralho, pá!!!

Anónimo disse...

esse pintas, deu cabo do sco e depois saiu antes que a barraca viesse.
quando saiu já sabia que a falência do sco estava para breve.
ele é do PSD, ou é de quem lhe fizer mais favores e lhe der mais oportunidade de dar nas vistas?

Anónimo disse...

Caro António Terramoto, quem olha olhos nos olhos e não tem medo de enfrentar o poder abusivo e ditatorial merece, pelo menos da minha parte, toda a admiração e respeito por defender aquilo em que acredita, e nunca se esqueça, podem vir muitos "tremores", mas o meu amigo faz jus ao seu nome, nada podem contra um Terramoto!

Anónimo disse...

Ele e pequeno e basta todos os homens pequenos querem dar nas vistas e como não podem porque não cresceram querem dar com ações vejam o mini ministro do mau ambiente

Anónimo disse...

Á pala da liberdade e por detras de um computador ofende a quem não está de acordo com ele com nomes que só a ele deve ser aplicado.
Estou de acordo que vá respoder a tribunal pelos nomes que tem dirigido a quem não está de acordo com as suas ideias politicas.

Salsa disse...

António Terramoto tens o meu apoio nesta tua luta pela defesa dos explorados contra os exploradores.

a.terra disse...

Ao comentador das 09:13
Não sabe ou não quer saber que tipo de "ofensas" foram produzidas, mas todas elas Têm uma explicação, No tribunal veremos quem ofendeu quem.
Mas tambem estou convicto de que o comentador nutre um odio de estimação por todos aqueles que estão fartos de serem espoliados dos seus direitos ou rendimentos e como tal se pronunciam contra a situação criada por gente igual ou pior que o Eduardo Cruz.
Aguardemos pois, mas aviso-o desde já que estou pronto para repetir a dose, mal surja a oportunidade.
Passe bem!