sábado, 2 de junho de 2018

OLHÃO: IPMA COLOCA EM CAUSA SAÚDE PUBLICA?


Na grande maioria dos casos, as pessoas não têm a mínima percepção da forma de funcionamento das entidades que o Estado vem criando e muito menos para que servem, muito longe daquilo que deveria ser a sua função.
No caso do IPMA é notória a sua vocação para o branqueamento, omitindo nuns casos, e noutros de completo branqueamento como se pode constatar pelas imagens acima e que explicamos de seguida.
Se os nossos leitores repararem nas cinco zonas de produção de bivalves, duas delas têm o estatuto parcial de Classe C, no caso Olhão 1 e 5 e no caso de Olhão 3 o estatuto atinge todas as espécies.
Para além de ser altamente questionável a forma como são classificadas as zonas, podemos de qualquer das formas adiantar que com o estatuto C é interdita a apanha de bivalves, a não ser mediante a presença de técnicos do IPMA e mesmo assim para os transferir para uma zona de transposição que competia àquela entidade criar e não criou. Os bivalves apanhados nesta zona não podem ser comercializados por conterem contaminação microbiológica, podendo representar uma perigo para a saúde publica.
Então como explicar que o IPMA, de acordo com os mapas reproduzidos, venham declarar como aberta a apanha de bivalves em classe C?
Creio que já todos se aperceberam que as causas da contaminação microbiológica e da desclassificação das zonas de produção, está ligada aos esgotos directos e ao mau funcionamento das ETAR, todas elas da responsabilidade de outras entidades publicas, como autarquias ou a Aguas do Algarve.
E porque os crimes perpetrados contra a Ria Formosa partem de entidades publicas, o IPMA prefere por um lado desclassificar as zonas de produção mas permitir ao mesmo tempo a apanha de bivalves, branqueando assim os crimes cometidos.
No Algarve, e não só, tem havido um amplo movimento de contestação à prospecção e produção de petrolio, com o Governo a isentar de Avaliação de Impacto Ambiental a prospecção do dito cujo, suportado em pareceres de entidades como o IPMA.
É o que dá a chamada independência de todo um conjunto de instituições deste País, mais subservientes ao Poder político que um cão ao dono, não apontando o que está errado como forma de corrigir, mas antes branqueando as acções de todo o Poder político.
Isenção e independência, só à mesa do café!
E os atingidos pelas grandes virtudes do Poder político como reagem? Porque está tudo calado? Porque não saem à rua para contestar estes crimes?
Deixem-se acomodar pelas bonitas palavras e não lutem e o futuro destina-lhes um caminho de fome e miséria! LUTEM!

7 comentários:

Anónimo disse...

Que fazer com aqueles que não querem perceber a MAFIA?Sejam felizes.

Anónimo disse...

para essa vergonha ser possível só pode ser com compadrio da máfia.

Anónimo disse...

Com zonas C originadas pela qualidade das aguas em Olhão como pode haver agua para as depura-
doras funcionarem? tomem cuidado não vão aparecer da doca de Olhao aguas com 150 vezes mais
poluição do que é permitido para as aguas a enviar para as depuradoras, nas marés mortas e no
verão.Por acaso sabem quantas vezes isso acontece?

POBRE PAIS ONDE CHEGASTE e com tanto dinheiro que é gasto......

Salsa disse...

Porque será que não se faz nada?

Talvez porque o povo de Olhão está adormecido pelos partidos do dito "arco do poder"

Anónimo disse...

Boa noite. Sim, boa noite ou talvez bom dia. São 3.15 da manhã. Olhão Livre, Olhão com educação e cidadania. Olhão e os esgotos. Sim provavelmente um "post" que parece desconfigurado, off topic também. Como não consigo dormir com o Hotel Vila Monte em plena festa exterior a dar música a todo o Moncarapacho dá-me para desabafar aqui! Como pode o Município de Olhão fechar os olhos aos esgotos do hotel que vão directamente para a ribeira aqui da freguesia (fica o convite para a visita) e passar licenças de ruído a torto e a direito para casamentos ou festas, que todos tem o direito, mas dentro de locais apropriados e que não disturbem os vizinhos. Fica aqui a notícia em primeira mão...Hotel Vila Monte que se quer de 5 estrelas, polui a ribeira de Moncarapacho e polui o silêncio deste lindo local! Treta de Hoteis que se dizem verdes, biologicos e ecologicos e cheios de modernices com glamour e groumet food e só fazem é ser amigos deles mesmos desrespeitando tudo e todos! E a festa continua...
Ah...ainda outra coisa. O hotel mandou uma carta para o vizinhos com a qual pretendem manter uma relação de cordialidade...só pode ser ironia não?

Kolo Polo disse...

Quando chegar a festa do marisco levantão a interditão da apanha de bivalves. Depois quando acabar já podem fechar outra vez. E quem se lixa são os mariscadores que ficam sem comer. Mas quem se importa com eles não é?

Anónimo disse...

" Um povo ignorante é instrumento da sua própria destruição". A cornadura pode acontecer a qualquer mas depois de descoberta há a reacção dos bravos e dos mansos. A MAFIATUGA desde sempre, com raríssimas excepções, tem encontrado ignorância e mansidão. Está no ADN como tão bem diria o camarada.