domingo, 4 de maio de 2008

"BARREQUINHAS SUL" - A INEVITABILIDADE DA DEMOLIÇÃO



Com a construção do Marina Village, as "Barrequinhas" sul tem os dias contados.
Basta olhar para o projecto para nos apercebermos disso mesmo. O problema põe-se nos mesmo termos que para as casas pré-fabricadas que são uma vergonha, para Olhão, por ainda estarem de pé. Não pela demolição em si mas porque se vai tornar realojar toda aquela gente. Será que alguém da autarquia já lhes terá posto o problema? Provavelmente, não. Mas pior que isso, trata-se de se saber em que condições serão realojadas e onde.
Fala-se à boca pequena que foram criadas sérias dificuldades ao construtor que teria um projecto para fazer um condomínio fechado, na antiga fábrica do Gargalo e que, por via dessas dificuldades, a câmara agora pensa em construir ali os blocos onde pretenderá realojae os despejados das "Barrequinhas".
A ser verdade, quanto irá pagar cada inquilino? 300 ou 400 euros, como aconteceu com os que se mudaram para os blocos junto ao bairros dos pescadores? Será que as pessoas estrão disponíveis para pagar tanto com a vida tão complicada como está?
Para já, quanto custa ao município a transferência de toda esta gente, das casas pré-fabricadas mais as "Barrequinhas"?

4 comentários:

Anónimo disse...

quem será que encheu os bolsos com o negócio,da CMO e a REAL MARINA HOTEIS?
fala-se por aì que houve pessoas com influência na aprovação do projecto desse hotel, que hoje já não estando na CMO ,são responsáveis da mesma firma ,não é so o jorge coelho a escola é toda a mesma.

Alguem de Olhão. disse...

Uma coisa é certa, se os terrenos são do Município de Olhão, a população tem todo o direito a saber que contas foram feitas e onde vai ser investido esse dinheiro.

Ou será que a imobiliária do Eng. Bernardes, é que vai ter o lucro todo, visto que já deve ter apartamentos vendidos aos espanhóis?

Anónimo disse...

você acha que a CMO vai apresentar contas dos terrenos vendidos,e do que vai gastar para tornar aquela zona apetecivél aos especuladores imobiliários.Até a escola do largo da feira já é a melhor escola do concelho,acha que eles iam gastar o dinheiro,nessa escola para os pobres das barrequinhas,com o tempo os homens que trabalham na ria vão ser escoraçados das redondezas da ria para os novos ricos lá se instalaremão sei e se eles sabem que irão morar em cima de uma lixeira.
Floripes.

Anónimo disse...

Toda esta negociata da Câmara de Olhão, que vem desfigurando a nossa terra desde há vários anos, mete nojo. O eng. Leal e os outros engenheiros seus amigos estão a destruir a singularidade de Olhão. De certeza que alguém tem ganho com isto tudo, e não são os olhanenses...