quarta-feira, 23 de outubro de 2013

OLHÃO: QUEM QUER UMA VERDADEIRA AUDITORIA À GESTÃO AUTARQUICA'

Apesar de constar do programa de candidatura dos diversos partidos concorrentes e parecer consensual o pedido de auditoria à gestão do Grupo Empresarial Câmara Municipal de Olhão, a verdade é que a esta hora um assunto que já devia estar em cima da mesa do presidente sob a forma de proposta ainda não aconteceu. Quem tem mais interesse na auditoria : Poder ou Oposição?
Como todos sabemos, o Poder é agora exercido por outra figura, restando saber se está ou não comprometido com as muitas irregularidades que sobressaem a olho nu na gestão do grupo empresarial, mas na verdade o novo detentor da cadeira presidencial pode ter muitas vantagens na realização da auditoria, pese embora o facto de não o poder dizer ou apoiar por razões institucionais.
A Oposição lamechas dá sinais de não acreditar em si própria, protelando o pedido de auditoria quando há factos mais que suficientes para o fazer. Por exemplo, em 2007 a Câmara Municipal de Olhão com a conivência da Assembleia Municipal contraiu empréstimos bancários no montante de 22 milhões de euros. Sabe-se que parte desse dinheiro foi desviado das rubricas para as quais foi pedido não se sabendo onde e como foram utilizados. Mais, também se sabe que um parte desse dinheiro, ao ser desviado par fins diversos, criou uma nova divida junto do destinatario: Ou seja divida sobre divida e com essa brincadeira e apenas nesse ano a divida passou a 34 milhões. E se agora se coloca o problema dos números importa também apurar as movimentações irregulares de pessoal com elevados encargos para o município bem como de tantas e tantas outras irregularidades cometidas a roçar a criminalidade, sem falar no buraco das contas auditadas em 2010 e 2011 e reconhecidas como marteladas, razão mais que suficiente para se promover a auditoria.
Por outro lado temos ainda as empresas municipais, onde para não fugir à regra da falta de transparencia ostentada pelo casa-mãe, se praticam irregularidades incríveis. A Mercados de Olhão não possui programa informático para a emissão de recibos de acordo com a lei sobre a matéria. Os recibos emitidos são ilegais e irregulares servindo para limpar o às de copas mas impedem uma avaliação correcta do estado das contas da empresa. Da mesma maneira que levar para casa o dinheiro ou dar-lhe uma utilização fora da empresa é perfeitamente ilegal e isso a auditoria permitia apurar as movimentações dos dinheiros que é de todos nós.
A Fesnima é outra das empresas visadas, visto que não se sabe, e a empresa tal como a casa-mãe, faz questão de não esclarecer que tarifário utiliza para cobrança dos espaços no Festival de Marisco e muito menos como se processa essa cobrança, se em regime de encontro de contas com o consumo se ela deriva exactamente da multiplicação do tarifário pelo numero de metros de ocupação. Aliás, pelo impacto nas contas do Festival seria curial apurar as contas da cerveja vendida bem como das razões do impedimento da participação da Sagres no Festival. Mistérios que só uma auditoria pode ajudar a resolver.
E porque o caminho está todo armadilhado convém lembrar aos eleitos que aqueles que integram os órgãos sociais das empresas, estão inibidos de se pronunciar sobre matérias que as envolvam, pelo que s recomenda o pedido de suspensão do respectivo mandato para quando for apresentado e votado o pedido de auditoria.
O Povo de Olhão precisa de saber como foi enganado todos estes anos pela máfia politica do Edifício da Alfandega. O Povo de Olhão precisa de saber porque está a pagar uma factura tão elevada na agua, resíduos e no IMI.
Chega de gamanço! Pela auditoria imediata à gestão do grupo empresarial do Município.

5 comentários:

Salsa disse...

Na minha opinião estas denuncias deviam de ser feitas em pequenos textos para facilitar a sua leitura e compreensão.

Anónimo disse...

Não poderia concordar mais com este post. Pergunto-me do que é que haverá medo para ainda não ter sido feita.

Anónimo disse...

O primeiro beneficiário será o novo Presidente, António Pina, que ficará salvaguardado de eventuais irregularidades que venham a ser descobertas. Mas se a oposição "lamechas" não avançou ainda com o pedido da auditoria, é porque tem rabos de palha! Vai uma aposta?

Anónimo disse...

Completamente de acordo com o aqui escrito. O pininha e o resto dos palhaços dos seus amigos a falta de melhor devem ser chamados mesmo nos sabendo que a desculpa vai cair no narigudo. Quanto a oposição apenas um comentário: atenção sr Cruz nao basta parecer sério se tiver duvidas pergunte ao parasita do alberto e ao mamão do salero. Tenha vergonha e chame os bois pelos nomes enquanto eu ainda acreditar em si.

Anónimo disse...

É A ALTURA PRÓPRIA E ADQUADA PARA EXIGIR A VERDADE EM RELAÇÃO À EDILIDADE CESSANTE, SEM MEDOS.

Em Maio de 2009 circulou uma carta anónima super recheda de nomes sonantes constantes na mesma, e; que na actual Edilidades, continuam lá todos.

A citada carta é de um dos trabalhadores da CMO e que insinuava que a comandita é quem governa e se governa em proveito próprio, e; é ela quem mandava na CMO e nos funcionários, e; alguém foi um fantoche nas mãos dela. Ela é quem decide tudo, concursos, promoções, nomeação de veriedodes, júries, etc..

PUBLICIDADE: O Hotel situado no Jardim em Estoi é um lugar aprazivel paro o turismo interno e externo.