terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Demolições na Ria Formosa Ilhote do Coco, chegaram as máquinas de destruição maciça!

Chegaram as máquinas assasinas ao Ilhote do Coco, situado em frente aos mercados de Olhão, com um  unico objectivo: Destruição!
Durante mais de 4 décadas esse Ilhote foi habitado em permanência, por várias familias,de pescadores viveiristas e mariscadores, que viviam da Ria Formosa. outras havia que só iam para a Ilhote do Coco,  assim que a temperatura premitia ,pois as casas,embora de alvenaria, são rudimentares, e a maioria delas não lhes permitia  suportar os rigores do Inverno.
Aqui fica a foto do Ilhote do Coco antes do fim desse Ilhote,  muito apetitoso,  para os poderosos do Turismo Internacional,que tudo fazem na Ria Formosa,para tal  é só  necessário no futuro acabar com os viveiros em seu redor,e  se forem  desclassificados, nem sequer  irão ao tal leilão de viveiros, que o governo quer fazer este ano,  outro ataque  que está a ser cozinhado, no segredo dos deuses contra a comunidade de viveiristas, quem sempre viveu da Ria Formosa,e que os presidentes  das autarquias de Olhão e Faro sabem há muito,  mas nada fazem para defender essas comunidades históricas, deles basta-lhes o voto.



A Claudia Fernandes  moradora no Ilhote do Coco faz esta denunciae este apelo  na sua página do Face Book:
NAO TEMOS REALOJAMENTO NEM DA PARTE DA POLIS OU DE CAMARA MUNICIPAL DE OLHAO NEM DA SEGURANÇA SOCIAL DE LADO NENHUM E AQUI  JA ESTAO AS FITAS A VOLTA DA MINHA CASA....AQUI ESTAMOS A TONA...SEM QUALQUER AJUDA..

O ministro jurava a pés juntos.que nenhuma pessoa que tivesse  tivesse como 1ª habitação a casa nos Ilhotes nas Ilhas ou na Praia de Faro veria a sua habitação destruida sem se proceder ao seu realojamento.
Também Sebastião Brás Teixeira ,fez esta garantia "garanto que a segunda fase da operação só será desencadeada quando houver “garantia de realojamento”, recusando-se a avançar com datas.

Pelo que se está a passar e lendo o apelo da Claudia Fernanedes o minsitro mente, pois nem Antonio Miguel presidente da CMOlhão, nem Sebastião Brás Teixeira do Polis, nem a Segurança Social garantiu realojamento a Claudia Fernandes ao seu marido e às sua filha de poucos anos de idade.
As máquinas assasinas, chegaram ao Ilhote do Coco e devastam tudo o que lhe apareça pela frente.
Onde está agora o presidente  da CMOlhão, Antonio Miguel, que tanto fala contra as demolições na Ria Formosa, quando essas são no Concleho de Faro,  mas quando as demolições são feitas em Olhão como é o caso, cala-se como uma ratazana de esgoto,será que anda perdido neste esgoto situado no T em Olhão, e que ele afirmou à boca cheia e com o Auditório  Municipal cheio que tinha 500 000€ para acabr com ele e até hoje nada fez?

Porque não chama agora as televisões e diz que a lei do POOC não está a ser cumprida?
.
 Essa aventesma, que  adora banhos de multidão, mas que nada resolve, pois  ainda recentemente  mandou entaipar uma casa de Habitação Social, para correr com uma familia que se viu na mesma situação que a Claudia  Fernandes e que ocupou essa habitação vazia, no Bairro de Habitação Social da Rua da Armona.

Não é entaipando as casas que se resolve o problema das pessoas, sejamelas  as que foram corridas do Ilhote de São Lourenço que fazem parte os nucleos do Coco e das Ratas,em frente aos estaleiros de construçao Naval em Olhão, sejam elas outras pessoas com necessidades de habitação.
 
 


Como é possivél tal atropelo à lei  quando a lei da Constituição diz o seguinte:
Constituição da República:Artigo 65.º - (Habitação)
1. Todos têm direito, para si e para a sua família, a uma habitação de dimensão adequada, em condições de higiene
e conforto e que preserve a intimidade pessoal e a privacidade familiar.
2. Para assegurar o direito à habitação, incumbe ao Estado:

a) Programar e executar uma política de habitação inserida em planos de reordenamento geral do território e apoiada em planos de urbanização que garantam a existência de uma rede adequada de transportes e de equipamento social;
b) Incentivar e apoiar as iniciativas das comunidades locais e das populações tendentes a resolver os respectivos problemas habitacionais e fomentar a autoconstrução e a criação de cooperativas de habitação;
c) Estimular a construção privada, com subordinação aos interesses gerais.

3. O Estado adoptará uma política tendente a estabelecer um sistema de renda compatível com o rendimento familiar e de acesso à habitação própria.
4. O Estado e as autarquias locais exercerão efectivo controlo do parque imobiliário, procederão à necessária nacionalização ou municipalização dos solos urbanos e definirão o respectivo direito de utilização.
Início de Vigência: 25-04-1976


 

9 comentários:

Anónimo disse...

Seria bom confirmar a casa do sogro do Rogério Bacalhau na ilha de Faro não foi demolida mas as que ficam á sua volta foram.
Uma casa estava com numero de demolição mas segundo dizem foi apagado e continua segundo se fala por laços de amizade com alguém da Polis.
Será verdade?
Alguém poderá confirmar espero, que seja abordado na assembleia municipal de faro dia 27 pelas 21h30.

Anónimo disse...

Será que todo este processo não é simplesmente uma pura violação dos direitos humanos?
Existem pessoas que ficaram ou vão ficar sem habitação. No mesmo sítio, outras vão ficar a rir, porque pertencem à nobreza. Os servos da gleba, construíram as suas casas ilegalmente,mas sempre pagaram a dízima reclamada pelos senhores.Num dos vários banquetes feitos com dinheiro do povo, as cortes partidárias resolveram tirar as casas ao povo. Para isso juntaram-se os três partidos, donos e senhores do reino e lançaram mãos à obra. As nossas casas e dos nossos amigos ficam, as restantes vão abaixo. Moção aceito por unanimidade e aclamação. QUE SE LIXE O POVO!
Mas meus senhores a Constituição da República Portuguesa no seu Artigo 9.º alínea d) - São Tarefas fundamentais do Estado -
Promover o bem-estar e a qualidade de vida do povo e a igualdade real entre os portugueses, bem como a efectivação dos direitos económicos, sociais, culturais e ambientais, mediante a transformação e modernização das estruturas económicas e sociais;

e no seu Artigo 13.º
Princípio da igualdade

1. Todos os cidadãos têm a mesma dignidade social e são iguais perante a lei.

2. Ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.

Dá a sensação que estão a violar a Constituição da República Portuguesa, ou os POLIS, os PDM, os As, os Bs e os Cs e toda a porcaria de artimanhas, falcatruas, injustiças , violações dos direitos humanos,prevalecem sobre a nossa Constituição, que vós muito falais em rever.
TENHAM VERGONHA! IGUALDADE PARA TODOS, PARA QUANDO?

Anónimo disse...

Estão muito mal informados more aqui na praia de faro e a casa do sogro do bacalhau também vai abaixo já não tem nada dentro nem portas e janelas.

Anónimo disse...

Antes de falar (mal) de tudo, vejam a realidade. Hoje toda a gente põe tudo no facebook... será esta senhora um exemplo de quem realmente precisa??? Humm..

Anónimo disse...

O assunto foi confirmado a pregunta era visível.
Alguém poderá confirmar.
Mas vamos aguardar pela assembleia municipal em faro.

Anónimo disse...

Ao anónimo às 14:02 da Praia de Faro
não tem janelas e portas desde quando? Os jornalistas do Correio da manhã viram a casa e hoje afirma o contrário.
Quem lhe encomendou a mentira fácil de confirmar?

Anónimo disse...

Ao anónimo das 13:51 está mal informado pois o galinheiro que outro nome não tem do sogro do bacalhau está sem portas e janelas, só que está junto a outra casa e é preciso saber qual é. Venha cá ver que é para querer.

nuno moreira disse...

Caros amigos antes de culparmos alguém sobre as casas , convém irem ao terreno confirmar se essas casas se mantem para que não exista falsa informação. Não vale apena estarem a voltar uns contra os outros. Assim é que não se vai a lado algum

Anónimo disse...

E quando forem ver as casas convém que analisam a casa certa