sábado, 14 de novembro de 2015

OLHÃO: DEMOLIÇÕES NA ILHA DA ARMONA?

2015-255-marcas-casas-ilha-armona-01
O presidente da Câmara Municipal de Olhão, é um autentico branqueador de situações. tentando a todo o custo limpar a imagem na mira de conseguir um segundo mandato apesar das sucessivas asneiras que comete.
Vem agora comunicar que da parte da Câmara Municipal não vai haver lugar a demolições na Ilha da Armona, como se pode ver em http://www.cm-olhao.pt/destaques2/1655-municipio-desconhece-marcacoes-para-destruicao-na-ilha-da-armona#.VkYZRWKuajE.facebook.
No entanto, o presidente omite que haja da parte da Sociedade Polis, em cumprimento do POOC, demolir trezentas casas naquilo que é classificado como Espaço a Reestruturar, assunto que já foi anunciado pelo arquitecto Sidónio Pardal na presença de António Pina.
Esquece o Pininha que ao proceder assim, escondendo a realidade aos moradores da Ilha da Armona, está na prática a desmotivá-los para a solidariedade para com os moradores dos restantes núcleos habitacionais da Ria Formosa. E esquece que quando chegar o momento, os moradores da Ilha da Armona não vão ter a mesma solidariedade que negam aos dos restantes núcleos.
Mais, o Pininha, prevê para substituição do edificado, a instalação de Parques de Campismo, que já podiam e deviam existir, sem que fosse necessárias quaisquer demolições.
E se é certo que as marcações das casas, bem como das cartas colocadas debaixo das portas, não têm origem nos serviços camarários, não pode o Pina dizer claramente que não haverá demolições naquela ilha, pelo contrario, sabe que tal está previsto.
Com duas caras, como o feijão careto, Pina diz uma coisa em privado e outra em publico esquecendo que a mentira tem perna curta.
Sim, é um facto indesmentível que o POOC, na zona a nascente da passadeira, no sentido norte-sul, classificou toda aquela área como Espaço a Reestruturar e todo o edificado aí instalado, 300 habitações, é para demolir se prolongarem a vida do POLIS.
O Pina só não diz a verdade porque ele foi um dos que aprovou o POLIS e não sabe como descalçar essa bota, preferindo pronunciar-se sobre situações fora da sua jurisdição, ainda que lhe assista esse direito, na defesa do ambiente, enquanto direito difuso.
Mas que diga a verdade aos moradores da Ilha da Armona!
Tal como, a verdade sobre o projecto da "auto-estrada" e do Muro da Vergonha para a sua protecção. É que se aquele edificado é para jogar abaixo, para que quer ele a estrada à volta de um edificado que deixa de existir? 
Os moradores da Ilha da Armona devem questionar o Pina sobre as situações aqui denunciadas, sob pena de chegado o momento não terem como se defender do camartelo demolidor.
REVOLTEM-SE, PORRA!

4 comentários:

Salsa disse...

O pior inimigo é o que se diz nosso amigo

É preciso apoiar os que de verdade defendem os interesses do povo.

Anónimo disse...

Não foi o Polis, mas sim a CMO que fez as marcações.

nuno moreira disse...

Sempre disse que Pina não era de confiar visto estar a par das situaçoes e enganar os ilheus do farol e hangares com palavras falsas. Agora vem a parte da Armona em quer o Pina diz não ser a camara que quer mandar as casas abaixo mas sim a POLIS no entanto ele faz parte da POLIS. Tambem sabemos que durante alguns anos muitas casas foram construidas sem consentimento da municipio para o lado da costa. Para mim essas pessoas prevaricaram o que poderiam estar sujeitas a possiveis embargos. Foi pena a fiscalizaçao do municipio não ver isso com antecedencia para que não fosse necessario utilizar de novo a palavra (DEMOLIÇAO)

João Morais disse...

A camara de olhão não tem poderes para fazer seja o que for na culatra ,hangares ou farol na armona sim