sábado, 23 de fevereiro de 2008

Estacionamento em Olhão - 2

Para a autarquia, e para o séquito de seguidores, parece que o problema do estacionamento não existe ou que o "Parque do Levante" veio resolver em boa parte. Não é assim!

O "Parque do Levante" serve única e exclusivamente os interesses do super-mercado que ali existe. A primeira hora grátis é uma forma de convidar os clientes a fazerem compras na referida superfície comercial. E os residentes na zona? Será o mesmo "Parque" alternativa?

Num país onde as pessoas estão sobrecarregadas com os impostos, com o apertar do cinto cada vez mais, imposições do partido do governo que por sinal é o mesmo que sustenta politicamente a câmara, o "cartão" proposto pela câmara não ´será mais um "imposto" infligido aos moradores da zona que ali queiram pôr o carro?

Um cidadão que, por exemplo, trabalhe em Faro, que se sirva dos caminhos de ferro para se deslocar para o seu local de trabalho, deixa o seu carro em Olhão. Logicamente procurará encontrar estacionamento o mais próximo possível da sua área de residência. No inverno ainda é possível que encontre mas no verão terá sérias dificuldades em encontrar. Quanto custa levar o carro para o "Parque do Levante"? 75 euros (15 antigos contos) sem contar com o cartão de adesão.

É solução para as pessoas? Não!!!

Para a autarquia trata-se de procurar o "retorno" de um investimento que fez e que cada vez se tornará mais difícil de o conseguir. A s despesas com os vigilantes e outras inerentes ao funcionamento do "Parque" são de tal forma elevadas e os preços praticados tão pouco convidativos que, durante boa parte do ano não seja nada rentável. No verão, com os emigrantes que cá vem passar férias ou os veraneantes ocasionais e que deixam ali os carros enquanto vão dar um mergulho nas nossas praias, é capaz de fazer face às despesas.

De qualquer forma, dizer-se que o "Parque do Levante" está ali para servir os cidadãos de Olhão é mera demagogia.

9 comentários:

rc disse...

Claro que o primeiro beneficiado com o Parque do Levante é o supermercado e os segundos são os clientes e veraneantes, estes enquanto houver espaços livres nas áreas portuárias que irão acabar com o ajardinamento prometido por F.Leal.
Fora estes, os outros principais potenciais utilizadores são os moradores da zona do Levante (considerando tudo o que fica para nascente da Av. da Républica e Rua do Comércio) porque para residentes de Olhão mais afastados começa a ficar longe ( a não ser que seja praticante e hobista da marcha) e pouco prático.
Serão também, amanhã, os utilizadores que necessitarem deslocar-se ao Auditório Municipal e às novas instalações da Câmara.
A rentabilidade do Parque do Levante em termos de lucro é de menos importância que a sua utilidade para os munícepes e aqui ela é nula ao preço (80€) do regulamento . É caríssimo.
Em quanto à frente da autarquia estiver a perspectiva despesista à conta do dinheiro dos contribuintes e da EU (que tambem é o nosso dinheiro) estas obras continuam.
O Parque do Levante pode tornar-se útil se tiver tarifas aceitáveis para os residentes do Levante estacionarem as suas viaturas e libertarem as ruas mais apertadas à pedonalização e à circulação das viaturas de emergência e de recolha de lixo, melhorando significativamente a qualidade esta zona de Olhão.
Com estes políticos à frente da Câmara só ficamos mais empobrecidos e com o trabalho de os afastar.

costa disse...

Só para dar uma achega de como o parque do Levante beneficia a superficie comercial que lhe fica contígua, no dia da reabertura, fizeram de cerca de 36000 € e no segundo a volta de 45000 €. Vejam lá se nao dá jeito ter um parque de estacionamento ali a mão!
Mais uma vez com esta politica a autarquia ou o seu presidente, não favorecem os munícipes.

Anónimo disse...

O Costa Tens inveja do dinheiro que a superficie comenrcial faz?
Sabes de quem era o terreno onde foi construido o parque?
Quantos anos o parque servio a população e aqueles que iam para a praia e não a superficie comercial.
Fico à espera que sejas candidato às autarquicas e mais importante que dez a cara e não te escondas por detraz de um nome.

Anónimo disse...

A questão não se trata de saber quanto a superfície comercial faz ou deixa de fazer. Se ela lá está, é para fazer dinheiro. A questão é que há toda uma série de residentes à volta, que na maior parte do ano não conseguem estacionar perto das suas residências e no verão, então, é quase impossível. É natural que o "Parque" sirva a superfície comercial. O que já não é natural é que aumentando o volume de tráfego, precisamente por causa da superfície comercial e no verão por estar relativamente próximo do cais de embarque, os residentes tenham que deixar os carros bem longe da sua área de residência. Penso que o COsta não citou os números de receita da superfície comercial em dois dias por uma questão de inveja. Factos são factos e toda a gente sabe que aquela superfície comercial só no verão é que "fazia" dinheiro e não era por falta de estacionamento...
Penso que a receita desses dois dias serviu apenas para ilustrar o efeito que o parque teve nas receitas. Mas, também, diga-se em abono da verdade, que talvez parte da receita se deva ao facto da mesma superfície ter aparecido de "cara lavada". Mas isso não retira o essencial da questão que é a situação dos residentes

Anónimo disse...

este costa deu à costa no mundo dos disparates então o pingo doce abre a loja para estar às moscas ?

Anónimo disse...

Desves Ser advogado do Costa.
Porque não dão a cara, se calhar mem moras por aqui.
Por não dizes que existe cartões que torna o estacionamento muito mais barato.
Porque que não dizes que se pode colocar o carra das 20.00 às 08.00 do dia seguinte por 25,00€ por mês.
Criticar é facil.
Era melhor como estáva que só permitia assaltos quase todos os dias.
Será que o Costa não queria ir para lá como guarda.
Ó Costa apaga a luz.

Anónimo disse...

Ninguém me passou carta de alforria para defender o que quer que fosse mas, e tu? Porque te empolgas tanto em defender aquilo que os munícipes contestam? Não achas que aquilo é mais uma obre de fachada? Achas sinceramente que aquilo serve os interesses dos residentes? Já os estás a atirar para o período compreendido entre as 20 e as 8Horas. Já admites que se o carro estiver lá o dia todo sai "pesado" ao bolso do utente. Mas, e durante o dia? Se as pessoas não levarem os carros para o trabalho? Ou também achas que, ao preço que os combustíveis estão, dá para grandes devaneios? Provavelmente terás "posses" para aguentares com essas situações. Achas que a maioria dos residentes tem as mesmas "posses"? Penso que não! Que te deu o P"S" para o defenderes tanto? Vem sempre assim que nós até te agradecemos!

costa disse...

Em primeiro lugar quero agradecer a presença assídua destes dois leitores anónimos que suponho sejam olhanenses. É sinal que este blog embora acabado de nascer está no bom caminho.
Sabíamos que um blog de opinião e intervenção política, cívica e social não iria agradar a gregos e troianos.
1º ponto – quando fiz referência à caixa que a superfície comercial realizou nos dois primeiros dias, foi só para salientar que sem o parque de estacionamento gratuito na primeira hora, tal não aconteceria por falta de estacionamento. Não quero com isto dizer que deva ser pago nessa hora, mas sim que os benefícios para os utentes sejam maiores.
2º ponto – o terreno era do falecido Dr. Ramires, que fez um acordo com o então Modelo, para ser utilizado em beneficio público e sem fins lucrativos, daí ter sido, na altura, encerrada a lavagem automática e retiradas as correntes então colocadas no parque de estacionamento.
3º ponto – não estou a pensar a pensar candidatar-me às autárquicas mas se estivesse estaria no meu direito de cidadão.
4º ponto – no que respeita a dar a cara, pergunto eu, desde quando Costa não é nome? Será melhor contactar todos os Costas deste país e reivindicarmos esse direito.
5º ponto – no que respeita a dar à costa, sou aqui nascido e criado, nunca naufraguei mas conheço muitos que já meteram água, quando em cargos arranjados pelos partidos a que pertencem.
6º ponto – quanto à segurança, é um ponto deveras interessante. Acabou com os assaltos todos os dias? Os estabelecimentos comerciais continuam a ser assaltados todos os dias, os particulares idem idem, aspas aspas. E o que faz a autarquia? Deverá o direito à segurança ser pago e apenas usufruir desse direito quem tem posses para isso?
7º ponto – quanto à proposta de emprego, agradeço, não é que esteja a receber qualquer subsídio ou rendimento mínimo, … embora Olhão seja o concelho, no Algarve, com maior número de situações dessas. Por esse motivo, se há falta de guarda para esse parque, deverá ser contactado o Centro de Emprego, visto que 8% da população portuguesa está desempregada ou fazer a proposta a um dos “Boys” que avidamente procuram “jobs” (ou será que só querem cargos de administração ou de empresas municipais)?

Anónimo disse...

80 euros por mes ? Isso e para o Dr. Artur ou possivelmente para o Joao Guilherme se por acaso fizer muitas placas. Meus Srs. estao em Portugal e mais concretamente em Olhao na zona do Levante ,sera que por acaso ja estudaram o estrato populacional da referida zona ? Sera que os habitantes da referida zona tem possibilidades de poder vir a estacionar a sua viatura no referido parque ? E Ja repararam 80 euros ?? menos do que isso pago eu por mes e tenho garagem privada num dos paises mais caros da Europa
onde nao se pode comparar nem os ordenados nem o tipo de vida . Embora isso so sirva de comparaçao quando alguns politicos assim o entendem.