quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

OLHÃO. SABADO NO IPMA, SESSÃO PUBLICA SOBRE A RIA FORMOSA

http://videos.sapo.pt/3M73GuATTsOH0Z20zlFA

<iframe width="420" height="315" src="//www.youtube.com/embed/eGb57iXDk7A" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>
No passado dia 7, o presidente do IPMA (ex-IPIMAR) foi ouvido na Comissão Parlamentar de Agricultura e Pescas sobre a situação da classificação das zonas de produção de bivalves na Ria Formosa. 
O primeiro link, reporta o vídeo da intervenção do deputado Cristóvão Norte e lamentamos não ter os vídeos dos restantes membros que compõem aquela comissão, para que todos pudessemos saber o que andam a fazer os nossos deputados.
O vídeo do Biosfera é mais uma repetição, sempre actualizada.
SÁBADO, no AUDITÓRIO do IPIMAR, pelas 17:00 horas, haverá uma sessão publica onde o deputado dará conta daquilo que se passou e que não cabe aqui antecipar, pelo que desde já apelamos à presença de todos os interessados para debater o problema.
No entanto temos algumas questões, nas quais todos devem ponderar, e que gostaríamos de ver esclarecidas, uma vez que nesta republica das bananas se instalou a cultura da irresponsabilização.
No vídeo do BIOSFERA aparece o representante da Agência Portuguesa do Ambiente que foi confrontado com um despacho de arquivamento da instituição que lidera, apesar de reconhecer que as descargas das ETAR estavam em incumprimento mesmo omitindo resultados sobre os quais nem se pronunciou, de tal forma que entrou em contradição com a gestora da Águas do Algarve que reconheceu os incumprimentos como se pode ver no jornal Publico em http://www.publico.pt/local/noticia/coliformes-fecais-invadem-ria-formosa-e-colocam-em-perigo-consumidores-de-bivalves-1617803.
Ao mandar arquivar um incumprimento, este palhaço devia ter sido automaticamente demitido, do mesmo modo que tomando conhecimento das palavras da gestora da Águas do Algarve, estava obrigado à aplicação de coimas pelos crimes ambientais. Nada! Tão criminoso é quem pratica como aquele que encobre.
No vídeo do BIOSFERA vemos também, uma técnica do IPMA e subscritora do projecto QUASUS, a branquear a situação da poluição da Ria Formosa. Aliás, esta técnica quando confrontada sobre a qualidade das águas numa sessão promovida pela Câmara Municipal de Olhão, enalteceu mesmo a qualidade das águas da Ria. Também os responsáveis do IPMA não são responsabilizados pelas omissões, pelas invenções e pelo deturpação dos resultados das analises.

Também o secretario de estado do mar, ao publicar o despacho nº 2227/2013, despacho esse a que se refere o deputado Cristóvão Norte se envolve na operação de branqueamento da poluição, mentindo ao dizer que a nova ETAR estaria em fase de Avaliação de Impacto Ambiental quando tal não corresponde à verdade; aceitando o QUASUS que já se viu tratar-se de uma enorme aldrabice; dando às Câmaras, particularmente à de Olhão, a fiscalização das ligações ditas clandestinas, outra aldrabice. Também este cavalheiro devia ser demitido.
E é pela inacção da justiça, da teia de cumplicidades entre o Poder politico e Judicial que esta cambada vai gozando com o Povo. Está na altura de pedir responsabilidades, porque tudo o que foi feito, foi no sentido de impedir que os produtores de bivalves exigissem uma indemnização pelas elevadas taxas de mortandade dos bivalves.
Estas são algumas das razões porque que devem comparecer todos os interessados na Ria Formosa e sem medos mostrar a sua revolta pelo garrote que lhe põem ao pescoço com a desclassificação das zonas de produção de bivalves.
REVOLTEM-SE, PORRA!

4 comentários:

Anónimo disse...

O deputado do PSD não diz toda a verdade sobre o que se passou na audição do secretário de estado: o fundo de compensação salarial anuncicado não se aplica aos mariscadores e que as medidas para a qualidade da água na Ria não são para começar já. O deputado do PSD que finge morder a mão do dono mais não que o faz que isso - finge trazer grandes notícias às gentes de olhão mas mais não é que uma mão cheia de nada dada pelo governo psd/cds-pp. Resumindo, o secretario de estado diz que nada se resolve já e o ipma redefine as áreas de produção (o despacho referido acima) que o mesmo é mandar o lixo para baixo do tapete.

Anónimo disse...

Ver o Terramoto de braço dado com este pseudo-deputado laranjinha, OMG!
As pessoas são assim mesmo: umas são o que são, outras fingem que são, algumas pensam que são, tem as que querem ser, as que não conseguem ser, as que precisam ser, as que cansaram de ser e as que vão ser...

a.terra disse...

Ao comentador das 16:16 para lhe dizer que está xompletamente equivocado. Pela Ria Formosa participaria em qualquer sessão publica, de qualquer partido sem o minimo pejo. O sectarismo deve ser aplicado em casos muito especificos e o comentador deveria era ter assistido à primeira discussão, há cerca de um ano atrás para perceber que não fui fazer frete algum, tal como não penso fazer agora. Aquilo que tenho para dizer, será dito, mesmo que desagrade. Não vou é deixar passar em claro uma oportunidade de dizer o que penso sobre a poluição na Ria. Aliás o texto por si só, já diz alguma coisa.

Salpicos Romã disse...

É sempre mais fácil mandar bocas do que fazer.
Parabéns ao esforço!