sexta-feira, 10 de junho de 2016

OLHÃO: A CÂMARA E A (IN)SEGURANÇA PARA PESSOAS E BENS!

Ao repetirmos a publicação desta imagem pretendemos chamar a atenção para o conceito de segurança de pessoas e bens com que as entidades publicas, neste caso a Câmara Municipal de Olhão, nos mimoseiam.
Não há muitos anos atrás, já havia caído uma pequena parte deste edifício, que ameaça desmoronar e que a Câmara, no uso das suas competências, deveria ter procedido à notificação do proprietário para proceder à sua reparação ou demolição. Apesar de terem passado alguns anos,poucos, tempo mais que suficiente para uma tomada de decisão, a Câmara nada fez.
Felizmente, não houve pessoas ou viaturas a passarem na hora errada e aí toda a gente viria a terreiro chorar baba e ranho pelas vitimas, em lugar de exigirem em devido tempo que a autarquia tome as providências necessárias para proteger os seus cidadãos. Mas agora já soube cortar o trânsito quando o edifíciojá devia estar demolido.
No gaveto da Rua 18 de Junho com a Capitão Nobre, mesmo em  frente à Farmácia Olhanense, e junto à passadeira de peões, pode ver-se a imagem acima.
Só o facto de ali colocarem baias, é o reconhecimento de uma situação de risco, mas que como se vê a Câmara Municipal nada faz no sentido de proteger pessoas e bens, a não ser que esteja à espera que as pessoas se encostem à parede para não a deixar cair.
Colocar baias, apenas por colocar não resolve problema algum, sendo necessário criar uma zona de segurança tanto para os transeuntes como para as viaturas. É evidente que reconhecemos que, dado o movimento naquela artéria, a criação de tal margem de segurança, ia criar constrangimentos, particularmente na circulação automóvel.
Mas será que isso implique descurar a segurança das pessoas? Ou, caso alguém passe na hora errada, será um assassinato? É que se a parede cair em cima de alguém, com toda a certeza não fumará mais!
Mas não é apenas aqui que a Câmara descura a segurança de pessoas e bens. Vejam-se as imagens a seguir:


A imagem de cima, reporta a situação de degradação da antiga sede do Clube Desportivo Os Olhanenses,  na principal artéria da cidade, que já esteve rodeada de baias, encostadas à parede, tal como na imagem anterior. Mas as baias desapareceram, não sabemos se por falta de dinheiro, de material ou por ter sido "reduzido" o risco. Oxalá não passe ninguém na hora errada e atenção que aqui passa muita gente.
A imagem seguinte reporta o estado de degradação do edifício colado ao anterior, visto pelo lado da Rua dos Lavadouros, local onde costumam estacionar algumas viaturas. Aqui nunca foi aplicada qualquer protecção.
Em todos os casos, há uma ligação comum, a degradação do edificado a ameaçar o seu desmoronamento. Cabia à autarquia ter procedido à notificação dos proprietários para procederem a obras de recuperação ou demolição do edificado, mas pelo contrário, o que fazem é deixar avançar a degradação por todos os cantos da cidade.
Será que por ser a própria Câmara a deixar degradar o seu edificado como no caso da Vivenda Vitória e não se sentir com moral para obrigar o proprietários a intervir?
Então no que ficamos? Qual o conceito de protecção de pessoas e bens?


11 comentários:

Anónimo disse...

O presidente e seu séquito de lambe cus, não conhecem essas bandas estão mais inclinados para as negociatas da Zona Ribeirinha e em correr com os pescadores do porto de abrigo para a pesca artesanal.

Anónimo disse...

Poracaso na semana que estamos no dito edifício frente a farmácia olhanense um transeunte foi apanhado de surpresa por uma pedra e teve que ser socorrido pelo INEM e pelos paramédicos que se deslocaram ao local.

Anónimo disse...

Poracaso na semana que estamos no dito edifício frente a farmácia olhanense um transeunte foi apanhado de surpresa por uma pedra e teve que ser socorrido pelo INEM e pelos paramédicos que se deslocaram ao local.

Anónimo disse...

Por essas e por outras é que Olhão está na moda!

Anónimo disse...

Uma vergonha o que se passa nas ruas de OLhão Prédios em riscode queda eminente Ruas esburacadas e crateras nas estradas colocando em risco a integridade fisica das pessoas como já aconteceu em frente à Farmácia Olhanense sendo a pessoas assistida pelo INEM e o presidente da CMOLhão indiferente a TODA essa Vergonha?
Será que as negociatas que todos os dias são feitas nos gabinetes do poder da sede da CMO, são mais importantes que a segurança das pessoas?

Marcio Carrilho disse...

Olhão precisa de alguém que acabe com os poderes instalados na Câmara! Olhão precisa de uma pessoa séria e que saiba o que é trabalhar. Olhão precisa de sangue novo na câmara! O Pina e os seus lambe botas só vão estragar mais a CMO. O Concelho está com a falência à porta.
Comento identificado, sem receios e sem qualquer pudor doa a quem doer! E quem não gostar temos pena!

Anónimo disse...

Marcio vá-se preparando pois os tempos que aí vem vão ser terríveis essa gente não perdoa,são vingativos até para os seus camaradas quando mais para os de fora.

Anónimo disse...

Bem denunciado essa gente não tem vergonha na cara,POIS obras é só na avenida 5 de Outubro.
Será que só na AV 5 de Outubro É QUE PAGAM imi?

Anónimo disse...

E a ocupação de todo o passeio para fins privados, há bem mais de 1 mês, em frente ao colégio Bernardete? O regulamente municipal EXIGE a existência de um corredor de segurança que garanta a passagem para peões. Ocuparam o estacionamento em frente ao banco Montepio para fazer cargas e descargas de material mas quando se trata do bem estar dos peões que se lixem - numa zona de acesso a transportes públicos, infantário e comércio.

Anónimo disse...

Também os mafiosos do gang do Al Capone eram terríveis, não perdoavam, eram vingativos e eles cairam às mãos da justiça. A solução só está nas nossas mãos, denunciar, responsabilizar e entregar a quem de direito, para que sejam julgados. Mais tarde ou mais cedo eles pagarão pelos seus crimes.

Anónimo disse...

A pulhice não prescreve e tarde ou cedo, alguém fará o ajuste..., depois chamem-lhe nomes.