sábado, 29 de março de 2014

OLHÃO: ORÇAMENTO MAL APROVADO!

Realizou-se esta manhã, a Assembleia Municipal  extraordinaria para aprovação do Orçamento camarário, que foi aprovado pela maioria relativa socialista e a abstenção da laranja azeda e do representante do Velho Rumo.
Porque de forma sub-repticia fomos visados, queremos desde logo esclarecer que em politica não temos amizades seja com quem for e que separamos a agua da chuva da merda de agua despejadas pelas ETAR. Quando algum politico ou força politica entender gamar, explorar, roubar ou viver à custa do Povo, obviamente que contarão com a nossa oposição independentemente da cor que a isso se propuser e não pouparemos nos adjectivos por mais chocantes que eles sejam.
O presidente conseguiu a aprovação do Orçamento com base em promessas, que não da execução, das propostas dos diferentes partidos, o que levou a direita, com a abstenção na votação, a viabilizar o dito cujo.
Pelo meio ficou a postura patética, de arrogante e prepotente, de autentico palhaço, do presidente da Câmara Municipal de Olhão, que mostrou a continuidade do presidente defunto nas ultimas eleições autárquicas.
Como pulha que é, o aprendiz de presidente tentou passar atestados de menoridade às bancadas oposicionistas, nalguns casos indo ao ponto de tentar ridicularizar os seus membros, no que contou com a passividade da mesa da assembleia que nunca lhe impôs o mesmo travão que usou para uma cidadã reclamante, assunto que pela importância deixaremos para amanhã.
António Miguel Pina é um PULHA politico! E é um pulha porque não respeita os seus pares e muito menos os interesses do Povo, resumindo tudo à gestão de um antro, onde sobressaem fortes indícios de corrupção, vocacionado para a protecção de interesses económico financeiros, que no fundo serão os explorados, os roubados, a pagar a factura final.
A media das receitas correntes dos últimos três anos ronda os 20 milhões, e de acordo com a nova Lei das Finanças Locais, a divida total não pode exceder 1,5X aquele montante, quando se sabe que aquela divida ultrapassa os 42 milhões. Omite, o palhaço de serviço, que a divida total compreende a divida de todo o grupo financeiro Município de Olhão, enquanto as receitas correntes se referem apenas e só à Câmara Municipal, conforme boletim informativo da AMAL, distribuído aos municípios.
Mas outros parâmetros terão de ser cumpridos, nomeadamente a percentagem de execução orçamental, cuja pratica nos tem mostrado ser muito inferior ao permitido por Lei, e que dentro de três meses, o mais tardar, será lançado o respectivo alerta.
A arrogância com que o pulha em presidente se apresentou foi ao desplante de vaticinar a extinção de uma força politica da oposição, por esta não ter acompanhado a abstenção de direita. Aqui para nós, apesar de não passar de um pulha somos obrigados a dar-lhe razão, não pelas razões invocadas, mas porque quem se senta à mesa de negociações com a máfia politica, tarde ou cedo acaba por ser absorvido. Com pulhas não há nem pode haver contemplações, ou mata-se ou morre-se.
Pensar ou dar o beneficio da duvida a pulhas é o mesmo que lhe voltar as costas para o tiro traiçoeiro.
E como dissemos de inicio, amanhã, voltaremos ao concurso para "admissão" do director financeiro da Roubiolhão e à integridade politica e profissional de quem participou neste cambalhacho.
Lá vamos criar mais uns quantos inimigos que não entendem que nestas coisas, não basta parecerem sérios, têm que sê-lo, como as protistutas.

3 comentários:

Anónimo disse...

Ao aprovar o orçamento o PSD de Santana e Saleromostra que são farinha do mesmo saco,que o alberto das moças.

Anónimo disse...

há filhos de ladras internacionais, que nos andam a roubar.

Salpicos Romã disse...

É tudo do mesmo! Quem é que acreditava no contrário?