sexta-feira, 20 de maio de 2016

Contra a exploração de Petróleo em frente ao Parque Natural da Ria Formosa!

MALP cria petição para suspender prospecção e exploração de hidrocarbonetos em frente a Faro

 

MALP cria petição para suspender prospecção e exploração de hidrocarbonetos em frente a Faro

Imprimir Partilhar por email
fotos retiradas da página do f.b. do MALP.  
19-05-2016 - 23:42
O Movimento Algarve Livre de Petróleo lançou uma petição pela suspensão da prospecção e exploração de hidrocarbonetos (gás e petróleo) pelo concessionário Repsol/Partex no mar do algarve.
 
O MALP pretende com esta petição alertar toda a população do Algarve para a necessidade "de levantar a  sua voz" contra o início da actividade, com arranque previsto para Outubro, e fazer um apelo a António Costa e Silva da Partex que recue nas suas intenções de transportar a indústria petroquímica para o mar do Algarve em frente a Faro e à Ria Formosa. 
 
O Movimento exige o fim dos furos em mar e em terra pelas empresas petrolíferas e o máximo de escrutínio público pelo Estado sobre estes negócios que em seu entender "levantam enormes problemas na garantia da defesa do interesse público".
 
O Movimento Algarve Livre de Petróleo quer também saber o que já fizeram as empresas de exploração de hidrocarbonetos no mar do Algarve e os trabalhos que estão em curso, assim como as técnicas de exploração que estão a ser utilizadas, os estudos de impacto ambiental, económico e social que foram feitos, por onde está previsto ser transportado o gás para terra e o que estão as empresas de prospecção e exploração a fazer neste momento.
 
Este grupo de cidadãos pede ao governo, aos deputados e ao Presidente da Assembleia da República que apreciem esta petição, "travando imediatamente a prospecção e exploração de gás e de petróleo na região".
 
 
Nota do Olhão Livre: os autores do Olhão Livre convidam todos, os que gostam de ver um Algarve Livre de Petróleo a assinar a Petição do MALP
 
Estranho muito estranho é a posição e o silêncio dos pseudo ambientalistas e  do o presidente da CMOlhão António Miguel Pina,  o GRANDE defensor do Camaleão na Ilha do Farol , não vir a terreiro  nem levar  esse assunto a discussão nas reuniões da CMOlhão.
Estranho também esse assunto não ser discutido na Assembleia Municipal de Olhão.
Muito estranho esse silêncio quando é TODA a Ria Formosa, que pode estar em causa.
Porque razão para os autarcas eleitos em Olhão não se preocuparem e não colocarem na sua ordens de trabalho, essa questão ambiental?
Assim como é estranho os"nossos" eleitos não se prenunciarem, com o perigo que é para a saúde dos filhos de Olhão, a continuação da CMOlhão continuar a usar o herbicida  Glifosato da Monsanto, na monda química das ervas nas ruas do Concelho de Olhão, questão justamente levantada nas páginas do f.b. por  Vítor Matias eleito pelo como independente nas Listas do PSD à Junta de Freguesia de Olhão.
 
Fim à Poluição na Ria Formosa!
 

3 comentários:

Anónimo disse...

o Vai à Merda está mais interessado na casinha do papá na Ilha do farol, e na venda dos terrenos do largo da feira pois isso é que tá a dar envelopes pelo natal dos moços de braga.

Anónimo disse...

Estão na política para quê?

Unknown disse...

nao baixem os braços!!!
Artigo 9.º Constituição da República Portuguesa
Tarefas fundamentais do Estado:
Proteger e valorizar o património cultural do povo português, defender a natureza e o ambiente, preservar os recursos naturais e assegurar um correcto ordenamento do território